Aplicativo para smartphones dedura blitz da Lei Seca

A Polícia Civil pode abrir um inquérito para investigar um aplicativo para smartphones criado no ano passado que funciona como o perfil do BlitzBH, no Twitter.


Da Redação

01/02/2013 - 19:28

Além de burlar a lei no boicote às blitze, o aplicativo pode servir como auxílio a criminosos para fugir do cerco policial.

O aplicativo traz um mapa com os locais das viaturas da polícia, informações sobre o tráfego, radar e acidentes. Ele é nacional e, assim como no Twitter, os usuários podem postar informações online.

"As pessoas têm que se conscientizar que quando usam esses aplicativos, também podem estar avisando bandidos sobre as fiscalizações", disse o responsável pela Delegacia Especializada em Crimes Cibernéticos, Pedro Paulo Marques.

Mas, diferentemente do BlitzBH, o endereço é marcado em um mapa. O usuário então traça sua rota e descobre se há fiscalização no trajeto.

"O aplicativo é bom porque você pode saber de tudo que está acontecendo em seu caminho para casa, por exemplo", disse o garçom Marcos Filipe Ramos, 27.

O tenente-coronel Alexandre Petronzio, comandante em substituição do Batalhão de Trânsito da Polícia Militar de Belo Horiznote, garante que o aplicativo não vai atrapalhar a atuação da polícia. "Nossas blitze estão surtindo efeito e elas vão continuar", afirmou.

Segundo o delegado, há um inquérito aberto desde o ano passado para investigar o Twitter. "Nós ouvimos os usuários que criaram o BlitzBH. Eles alegaram liberdade de expressão e disseram que não tinham interesse em prejudicar a atuação da polícia", contou. O BlitzBH tem 69,2 mil usuários.

Fonte: O Tempo

Onde fica Belo Horizonte (MG)?




Lei eleitoral que proíbe prisão de eleitores começa a valer

Eleitores não podem ser presos cinco dias antes e até 48 horas depois das eleições


Decreto Federal regulamenta uso de algemas

O uso é permitido apenas em casos de resistência e de fundado receio de fuga ou de perigo à integridade física.


Governo reajusta salários do Mais Médicos a partir de 2017

O novo valor mensal de R$ 11.520 passa a valer a partir de janeiro de 2017.


TSE recebeu mais de 32 mil denúncias de irregularidades

Aplicativo Pardal permite que os eleitores de todo país façam denúncias de propaganda eleitoral irregular.


Fundação Abrinq lança campanha “Não Vai Ter Colo”

A campanha mostra que é preciso muito mais do que marketing para receberem o apoio das crianças e da sociedade.


Preços dos alimentos voltam a cair e aliviam a inflação

Cinco dos oito grupos pesquisados tiveram queda, destaque para alimentação.


Doações de benefiários do Bolsa Família superam R$15 mi

A maior doação realizada por um beneficiário do programa foi de R$ 67 mil.


Moro revoga prisão temporária de Mantega

Juiz afirma que desconhecia estado de saúde da esposa do ex-ministro da Fazenda, detido em hospital em São Paulo.


Ipea: idosos são mais afetados pela atual onda de desemprego

A maior variação da taxa de desemprego foi entre os maiores de 59 anos, equivalente a 132% no período.


1/3 dos brasileiros responsabiliza a mulher pelo estupro

Mais de 33% da população brasileira consideram a vítima culpada pelo estupro.