Dieese: cesta básica fica mais cara em 15 capitais

O custo da cesta básica em novembro aumentou em 15 das 18 capitais analisadas.


Da Redação

05/12/2013 - 15:25

De acordo com a pesquisa do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), Fortaleza foi a capital que registrou a maior alta, 3,47%.

Além de Fortaleza, as principais altas registradas no país ocorreram em Florianópolis e Belo Horizonte (ambas de 2,67%), Vitória (2,43%), Natal (2,28) e Manaus (2,26). As três capitais que registraram queda no valor da cesta básica foram: Goiânia (-3,06%), Aracaju (-1,73%) e Recife (-0,69%).

Porto Alegre foi, pelo segundo mês consecutivo, a capital com a cesta mais cara: R$ 328,72. Em seguida, aparecem São Paulo (R$ 325,56), Vitória (R$ 321,41) e o Rio de Janeiro (R$ 316,88). Os menores valores médios foram observados em Aracaju (R$ 218,71), Goiânia (R$ 254,44) e João Pessoa (R$ 257,16).

Pelos cálculos do Dieese, o valor do salário mínimo necessário para um trabalhador e sua família suprirem as despesas em novembro deveria ser R$ 2.761,58, ou seja, 4,07 vezes o mínimo em vigor (R$ 678). Em outubro, o valor era R$ 2.729,24.

Com a elevação do custo da cesta, a jornada de trabalho necessária para o trabalhador que ganha salário mínimo adquirir a cesta básica aumentou em cerca de uma hora, totalizando, na média das 18 capitais, 93 horas e 17 minutos. Em outubro, esse tempo foi 92 horas e 15 minutos.

Nos últimos 12 meses, todas as 17 capitais pesquisadas registraram aumento na cesta básica. As maiores altas ocorreram em Salvador (17,89%), no Rio de Janeiro (16,46%) e em Porto Alegre (14,6%).

Fonte: Agência Brasil

Onde fica Fortaleza (CE)?




OIT afirma que desemprego seguirá crescendo no mundo

Segundo OIT é preciso criar 40 milhões de postos de trabalho a cada ano no mundo.


PF deflagra 39ª fase da Operação Lava Jato

Nova fase da Lava Jato tem como alvo operadores do mercado financeiro


ONU quer eliminação total de armas nucleares existentes

A organização tenta eliminar as armas nucleares há mais de 70 anos.


Mulher trabalha 5,4 anos a mais que o homem, diz Ipea

De acordo com estudo do Ipea, o trabalho extra é resultado dos afazeres domésticos.


Aposentadoria: apenas quatro em dez estão preparados

Veja por que e como se preparar para ter uma aposentadoria tranquila no futuro.


3,4 milhões fizeram cursos profissionalizantes

As informações constam do Suplemento Educação Profissional, da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) 2014.


Brasil lança campanha por direitos às mulheres rurais

Brasil lança campanha internacional pelo empoderamento das mulheres rurais.


Até onde vai o sigilo da fonte?

Condução de blogueiro alinhado ao PT reacende debate sobre preservação da fonte.


Brasil tem 17 milhões de crianças vivendo na pobreza

Este número equivale a 40,2% da população brasileira na faixa etária de 0 a 14 anos.


Operação da PF combate crimes cibernéticos em 5 estados

Fraudes contra o sistema bancário são investigadas em Goiás, Pará, Tocantins, Santa Catarina e DF.



...


...