Metade dos brasileiros está com sobrepeso

Estudo da Vigitel revela que 53,8% está com peso acima do recomendado.


Da Redação

17/04/2017 - 15:10

Estudo divulgado nesta segunda-feira (17/04) pelo Ministério da Saúde revela que o excesso de peso no Brasil cresceu 26,3% nos últimos dez anos, passando de 42,6% em 2006 para 53,8% em 2016.

De acordo com a pesquisa Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), o problema é mais comum entre os homens: passou de 47,5% para 57,7% no período. Já entre as mulheres, o índice passou 38,5% para 50,5%.

Segundo o estudo, Rio Branco é a capital brasileira com maior prevalência de excesso de peso: 60,6 casos para cada 100 mil habitantes. Em seguida estão Campo Grande (58/100 mil habitantes), Recife, João Pessoa e Natal (56,6/100 mil habitantes) e Fortaleza (56,5/100 mil habitantes). Já Palmas é a capital brasileira com a menor prevalência de excesso de peso (47,7/100 mil habitantes).

O levantamento revela que, no Brasil, o indicador de excesso de peso aumenta com a idade e é maior entre os que têm menor grau de escolaridade. Nas pessoas com idade entre 18 e 24 anos, por exemplo, o índice é de 30,3%. Já entre brasileiros de 35 a 44 anos, o índice é de 61,1% e, entre os com idade de 55 a 64 anos, o número chega a 62,4%. Já na população com 65 anos ou mais, o índice é de 57,7%.

Em relação à escolaridade, 59,2% das pessoas que têm até oito anos de apresentam excesso de peso. O percentual cai para 53,3% entre os brasileiros com nove a 11 anos de estudo e para 48,8% entre os que têm 12 ou mais anos de estudo.

Obesidade


A Vigitel diferencia excesso de peso ou sobrepeso de obesidade. A pessoa com sobrepeso tem Índice de Massa Corporal igual ou maior que 25 quilos por metro quadrado (kg/m2). Já a obesidade implica em IMC igual ou superior a 30 (kg/m2).

De acordo com os dados, a prevalência de obesidade no país duplica a partir dos 25 anos de idade e o problema também é maior entre os que apresentam menor escolaridade. Nas pessoas com idade entre 18 e 24 anos, por exemplo, o índice é de 8,5%. Já entre brasileiros de 35 a 44 anos, o índice é de 22,5% e, entre os com idade de 55 a 64 anos, o número chega a 22,9%. Na população com 65 anos ou mais, o índice é de 20,3%.

Em relação à escolaridade, os que têm até oito anos de estudo apresentam índice de obesidade de 23,5%. O percentual cai para 18,3% entre os brasileiros com nove a 11 anos de estudo e para 14,9% entre os que têm 12 ou mais anos de estudo.

Fonte: Agência Brasil




Baleia Azul: pais devem ficar atentos a mudanças de comportamento

Casos recentes de suicídio de crianças e adolescentes estão sendo investigados pela polícia de alguns estados do Brasil.


7 mitos sobre orgasmo e como chegar ao ápice do prazer

Especialista em sexualidade quebra os mitos sobre o orgasmo e ensina o melhor caminho para chegar lá


Orar na época de declarar impostos

Este mês, os norte-americanos se apressam para declarar o imposto de renda.


Alimentos que ajudam no combate ao estresse

Especialista lança e-book com receitas para melhorar o humor e combater o estresse e ansiedade.


Alimentos que contribuem para a queima de gordura

Especialista em emagrecimento destaca sete opções inesperadas para ajudar a perder a barriga.


Existem lições a serem aprendidas dos placebos?

Cresce a preocupação com pacientes que ingerem remédios em excesso.


Como ficar em forma depois de tanto chocolate

O chocolate traz benefícios, mas também provoca a subida dos números da balança.


Você já sabe o que você vai comer nesta sexta-feira?

Durante minha infância era normal que, na Sexta-Feira Santa, comêssemos bacalhau.


A estrela brilha para todos

Foi apenas mais um nascimento, não foi?


A importância de deixar os homens serem pais

A maioria das mulheres acreditam que são as maiores responsáveis pela criação dos filhos.