OIT destaca crescimento da classe média no Brasil

Segundo Organização, o programa Bolsa Família e o fortalecimento do salário mínimo, nos últimos 10 anos, impulsionaram o crescimento da classe média brasileira.


Da Redação

03/06/2013 - 15:35

Enquanto a crise econômica global causa desemprego em países ricos, as nações emergentes, como o Brasil, estão com seu mercado de trabalho numa situação melhor.

A avaliação é da Organização Internacional do Trabalho (OIT), no relatório "O Mundo do Trabalho 2013: Reparando o Tecido Econômico e Social', divulgado nesta segunda-feira (3).

Sobre o Brasil, um dos destaques da organização no relatório foi o crescimento de 16 pontos percentuais da classe média entre 1999 e 2010. Segundo a OIT, isso foi ajudado pelo fortalecimento do salário mínimo e do Programa Bolsa Família.

Para a organização, essas duas políticas explicam a redução da pobreza no país e o fortalecimento da economia nacional.

No entanto, a OIT aponta problemas que ainda precisam ser resolvidos no Brasil: aumentar o número de trabalhadores com carteira assinada, elevar a produtividade, promover mais investimentos e reajustar os salários acima da inflação.

Os países desenvolvidos, por outro lado, estão em uma situação que pode se tornar "preocupante", a despeito da recuperação econômica desde 2009, ano em que começou a crise financeira internacional.

De acordo com o documento, na América Latina e no Caribe, registrou-se em 2012 taxa de emprego, em média, 1% superior à de 2008, ano anterior à crise. Na região, essa taxa atingiu 57,1% ao fim de 2012.

"Nos países em desenvolvimento, o desafio mais importante é consolidar os recentes progressos na redução da pobreza e da desigualdade", informou, em nota, o coordenador do relatório, o diretor do Instituto Internacional de Estudos de Trabalho da OIT, Raymond Torres.

A organização citou o estabelecimento de um piso salarial, por meio da fixação de salários mínimos, e de políticas de proteção social como essenciais para a situação atual desses países.




Mulheres gastam em média R$ 350 com sapatos

Segundo levantamento da 33 e 34 Shoes, os produtos mais comprados variam de R$130 a R$ 400.

40% dos adultos no mundo são analfabetos climáticos

Nada menos do que 40% dos adultos do mundo nunca ouviram falar de mudanças climáticas, segundo a pesquisa.

Mercado de TI gera 1,3 milhão de empregos no Brasil

Empresas demoram até 70 dias para preencherem vagas e projetam déficit de 400 mil profissionais até 2022.

Brasileiros pagaram menos para viajar aos Estados Unidos

Convertidas para o real, as passagens aéreas chegaram a apresentar queda de preço.

67 milhões de brasileiros, entre 14 e 75 anos, são sedentários

Levantamento contribuirá para nortear as próximas ações da Campanha Move Brasil, que visa aumentar o números de brasileiros praticantes de esportes e atividades físicas até 2016, ano Olímpico.

Confira sete dicas para minimizar os efeitos do fuso horário

Seja qual for o destino de sua viagem, é possível amenizar os sintomas provocados pela mudança do fuso horário.

Pesquisa: bancos praticam venda casada e outras irregularidades

Pacotes bancários para uso exclusivo pela internet e pelo caixa eletrônico são umas das práticas.

Brasileiros mudam hábitos para enfrentar a crise hídrica

56,5% das pessoas passaram a tomar banhos mais curtos e 45% passou a fechar a torneira enquanto escova os dentes, mas outras medidas para a redução do consumo ainda são menos utilizadas.

Até quando a grávida pode viajar de avião

Conheça os cuidados e os principais direitos das gestantes durante o voo.

Participação de pessoas com deficiência no mercado cresce 20%

A Lei de Cotas para Pessoas com Deficiência completa nesta sexta-feira (24) 24 anos.




Copyright © 2015 Todos os direitos reservados