Telecomunicações seguem liderando as reclamações

Sistemas de defesa do consumidor registram 2,7 milhões de atendimentos em 2016.


Da Redação

16/03/2017 - 15:45

Os sistemas de defesa do consumidor registraram mais de 2,7 milhões de atendimentos e reclamações em 2016.

As empresas de telecomunicações lideram a lista de reclamações, segundo dados dos boletins do Sistema Nacional de Informações de Defesa do Consumidor (Sindec) e do Consumidor.gov.br, divulgados quinta-feira (16) pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública.

Para o diretor do Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor, André Lopes, o volume de litígios de consumo na Justiça é grande, por isso o ministério trabalha em um serviço que ajude o cidadão a resolver seus problemas online, o Consumidor.gov.br. “É um avanço muito importante o consumidor buscar seus direitos e encontrar canais para isso, sobretudo sem precisar fazer recurso ao Judiciário”, disse.

No total, o Sindec registrou 2.458.127 atendimentos, sendo 63,7% de reclamações ou denúncias. Em operação desde 2004, o Sindec reúne informações de Procons de todo o país. Esses atendimentos presenciais caíram 7,2% em relação a 2015, quando 2.648.521 pessoas foram atendidas no Procons.

No Sindec, as empresas de telecomunicações respondem por 28,8% das reclamações; assuntos financeiros são 25,3% das reclamações; produtos, 20,9%; e serviços privados, 13,4%.

Os assuntos mais reclamados nos Procons são telefonia celular e fixa e cartão de crédito. Entre os principais problemas estão cobrança, contrato e vício ou má qualidade do serviço.

Já o Consumidor.gov.br registrou 288 mil atendimentos em 2016, índice maior que o de 2015, quando 184 mil pessoas solicitaram atendimento pelo site.

Desde que foi lançada, em junho de 2014, a plataforma já recebeu 581.946 reclamações e já tem mais de 470 mil usuários cadastrados e 372 empresas credenciadas. O índice médio de soluções pela plataforma é de 80,1%, em até 7 dias.

As operadoras de telecomunicações foram alvos de 47,5% das reclamações na plataforma online; 23,9% das reclamações foram para bancos e financeiras; e 9,7% para comércio eletrônico.

Os assuntos mais reclamados no Consumidor.gov.br são cartão de crédito, telefonia móvel pós-paga e bancos de dados e cadastros. Entre os principais problemas também estão cobrança, contrato e oferta e vício ou má qualidade do serviço.

Fonte: Agência Brasil




O renascimento da seleção brasileira

Das cinzas do 7 a 1, Brasil renasce sob o comando de Tite.


Quais os limites do foro privilegiado?

Criado no século 19, seu instituto beneficia 22 mil brasileiros.


OIT afirma que desemprego seguirá crescendo no mundo

Segundo OIT é preciso criar 40 milhões de postos de trabalho a cada ano no mundo.


PF deflagra 39ª fase da Operação Lava Jato

Nova fase da Lava Jato tem como alvo operadores do mercado financeiro


ONU quer eliminação total de armas nucleares existentes

A organização tenta eliminar as armas nucleares há mais de 70 anos.


Mulher trabalha 5,4 anos a mais que o homem, diz Ipea

De acordo com estudo do Ipea, o trabalho extra é resultado dos afazeres domésticos.


Aposentadoria: apenas quatro em dez estão preparados

Veja por que e como se preparar para ter uma aposentadoria tranquila no futuro.


3,4 milhões fizeram cursos profissionalizantes

As informações constam do Suplemento Educação Profissional, da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) 2014.


Brasil lança campanha por direitos às mulheres rurais

Brasil lança campanha internacional pelo empoderamento das mulheres rurais.


Até onde vai o sigilo da fonte?

Condução de blogueiro alinhado ao PT reacende debate sobre preservação da fonte.



...


...