Site de busca revoluciona mercado de moda feminina

Plataforma precursora reúne quase 300 lojas e mais de 350 mil produtos disponíveis para as mulheres.


Da Redação

09/03/2017 - 15:10

Nascido em agosto de 2010, o Paraíso Feminino é mais do que uma ferramenta de busca, é um verdadeiro universo de informação e marcas que tem como público especialmente as mulheres.

“O projeto surgiu da minha própria dificuldade de encontrar tudo o que eu procurava em um só lugar. Os sites que existiam não atendiam essa demanda”, explica Rachel Toyama, que dirige o portal e dá dicas de moda, estilo e compras no E-Trends, caderno de moda do Paraíso Feminino. Hoje, a plataforma precursora reúne quase 300 lojas e mais 150 devem ser indexadas até o final do ano: “isso significa mais de 350 mil produtos em nossa base de dados”, revela Rachel.

Entre as lojas que podem ser encontradas pela ferramenta de busca estão Dafiti, OQVestir, Farfetch, Carmen Steffens, Arezzo, Amaro, Poshtaus, Passarela, Marcyn, Fiever, Anacapri, Anita, Schutz ,Marisa, Ray-Ban, Coca-Cola, Corello, Forum, Tufi Duek, Hering, Dzarm e mais recentemente a Colcci.

Já passaram pelo portal outras, como Ana Hickmann, Daslu, Fashion UP e Uselets que já encerraram suas lojas virtuais. “Estamos sempre em busca de ótimos parceiros para garantir variedade e o maior número possível de opções em cada categoria”, enfatiza a gestora, que é fundadora, diretora, consultora de moda do Paraíso Feminino e que atua também na curadoria das lojas.

Formada em odontologia pela UNESP, consultora de imagem pela Dresscode e Personal Stylist pela Escola São Paulo, Rachel Toyama ministrou por 3 anos aulas no curso de E-commerce de Moda da ComSchool.

“Eu já tinha um background de tecnologia e moda que, unidos, me permitiram dar início ao projeto do Paraíso Feminino”, conta ela. Hoje, Rachel conta com a ajuda de Tiago de Almeida, Diretor de Tecnologia da startup, formado em Sistemas de Informação e que trouxe do mercado experiência em desenvolvimento de sistemas web e instalação e configuração de servidores, extremamente importante, já que a empresa tem como base a internet. “Nós somos uma ferramenta de busca, explica a gestora, mas com um quê a mais, que é a segmentação de mercado e a consultoria que damos por meio da informação gerada no E-Trends”, enfatiza.

O primeiro e maior buscador exclusivo para o mercado feminino ainda tem uma ferramenta que ajuda a montar looks, ou seja, combinar as peças encontradas nas marcas parceiras. “O Paraíso Feminino não realiza venda de nenhum produto, mas faz a interligação entre as consumidoras e as lojas virtuais, além de incentivar a compra assertiva, permitindo que a usuária tenha uma experiência única entre a busca de produtos e suas combinações”, finaliza Rachel.




"Curtidas" que geram financiamento para ações sociais

A plataforma Curtida.Social é uma espécie de crowdfunding que opera por meio de redes sociais.


Novas regras para registro de softwares no Brasil

Com a redução na burocracia, o registro de softwares cairá de uma média de 100 dias para apenas 7.


Filho sem Fila: o aplicativo que deu certo

Ele foi criado para minimizar problemas urbanos simples que se transformam em um verdadeiro caos.


Público masculino ganha aplicativo exclusivo de moda

Em apenas um clique é possível combinar o que tem no armário sem complicações.


Sinal analógico de TV em SP será desligado quarta-feira

São Paulo e 38 cidades da região metropolitana entram no processo de digitalização do sinal de TV.


Principais obstáculos da transformação digital no Brasil

Leia neste artigo as principais dificuldades encontradas pelo empresariado brasileiro para aderir a comunicação digital.


Site facilita clínicas e hospitais a contratarem médicos

O problema não é falta de médicos no setor e sim a falta de conexão entre médicos e gestores de saúde.


Facebook finalmente libera o botão "não curtir"

O uso do recurso será restrito ao app de mensagens Messenger.


Brasil está na 85ª posição em qualidade de internet

Em 2016 a média da velocidade chegou a 6,4 Megabits por segundo (Mbps).


No futuro próximo, tudo estará interligado em rede

Estima-se que 50 bilhões de dispositivos estejam conectados no mundo.



...


...