Metade dos professores não cumpre o conteúdo planejado

Pesquisa mostra que professores do ensino fundamental cumpriram 80% do conteúdo do ano.


Da Redação

20/03/2017 - 16:10

Metade dos professores do ensino fundamental (51%) conseguiu desenvolver pelo menos 80% do conteúdo previsto para o ano. Na outra ponta, 11% concluíram menos de 60% daquilo que deveria ter sido ensinado aos alunos.

Os dados são do questionário da Prova Brasil 2015, aplicado a diretores, alunos e professores do 5º e do 9º ano do ensino fundamental de todo o país. As informações foram organizadas e divulgados nesta segunda-feira (20) na plataforma QEdu (www.qedu.org.br)

Quando considerados apenas os professores do 9º ano, menos da metade (45%) desenvolveu pelo menos 80% do conteúdo previsto para as turmas que fizeram a Prova Brasil em 2015. Já entre os professores do 5º ano, a porcentagem chega a 55%. A questão foi respondida por mais de 262 mil professores.

A maioria dos professores (91%) disse ainda que gasta até 20% do tempo da aula com tarefas administrativas como fazendo a chamada ou preenchendo formulários. Outros 20% da aula são gastos para manter a ordem e a disciplina em sala de aula para 70% dos professores.

O tempo que resta para atividades de ensino e aprendizagem é de menos de 80% do total para 57% dos professores. Considerando uma aula de 50 minutos, isso significa que, nos melhores cenários, menos de 40 minutos são dedicados de fato ao ensino.

Segundo o pesquisador da Fundação Lemann, sediada em São Paulo, Ernesto Faria, os dados são preocupantes. "Os alunos não estão tendo acesso a conteúdos importantes. Os professores conseguem cumprir uma parte, mas conteúdos importantes sequer são apresentados", disse.

O resultado pode ser visto no desempenho dos estudantes brasileiros na última divulgação da Prova Brasil. A avaliação de 2015 mostrou que, ao deixar a escola, no fim do ensino médio, apenas 7,3% dos estudantes aprendem o mínimo adequado em matemática e 27,5% em português.

De acordo com Faria, esses dados podem ser usados para se pensar a Base Nacional Comum Curricular, que atualmente está em discussão no Ministério da Educação. A base deverá orientar o que deve ser ensinado em cada etapa escolar.

"Não basta só ter um documento e currículo de altas expectativas e não resolver problemas de material didático e estratégias para aprendizagem. Não adianta ter um currículo bom, mas não cumprido na sala de aula", afirma. Os questionários foram respondidos por 52.341 diretores, 262.417 professores e 3.810.459 estudantes.

Fonte: Agência Brasil




ProUni abre inscrições para bolsas não preenchidas

O cadastro pode ser feito até 5 abril para não matriculados e 5 de maio para os estudantes inscritos


Inspirado no Pokémon aplicativo ensina biologia

Bio3D permite ter uma visualização em três dimensões de imagens presentes nos livros.


Agências e universidades oferecem intercâmbio

Study in Europe Road Show acontece em oito estados, de 27 de março a 7 de abril.


Fundação Lemann firma parceria com a Quizlet

A empresa norte-americana Quizlet lançou sua plataforma na língua portuguesa e anunciou sua parceria com a fundação.


Estudar com prazos, funciona?

Especialista ensina técnicas para estudar com prazos e desafios inspiradores.


Fies abre inscrições para as vagas não preenchidas

Estudantes podem concorrer a partir desta segunda-feira (20).


Empresas estão em busca de estagiários e trainees

E você, está procurando uma vaga de trainee ou estágio?


Inep divulga notas dos treineiros no Enem na segunda

Treineiros terão acesso às notas do Enem à meia-noite de segunda-feira, dia 20 de março.


Universidade oferece 48 bolsas de estudos

Os aprovados receberão uma bolsa no valor de 11 mil euros.


R$ 316 milhões para bolsas e eventos científicos

MEC destina R$ 316 milhões para bolsas e eventos científicos.



...


...