Mudanças no ensino médio só em 2019

Governo aprova reforma educacional, mas MEC precisa definir diretrizes do currículo.


Deutsche Welle

10/02/2017 - 07:45

O governo federal conseguiu aprovar no Senado uma medida provisória que implementa mudanças no ensino médio, a etapa educacional oferecida a jovens de 15 a 17 anos que antecede a entrada para a universidade e a formação em nível superior. Porém, somente a partir de 2019 é que os estudantes de escolas públicas e privadas do país poderão, efetivamente, testar o novo sistema.

A Medida Provisória nº 746, a chamada "reforma do ensino médio", foi aprovada de supetão, com apoio de 43 senadores na noite desta quarta-feira (08/02), dando provas da força da base parlamentar do governo. Na próxima semana, o texto deve ser sancionado pelo presidente Michel Temer. A votação foi alardeada pelos governistas como uma grande conquista política, ainda que seus efeitos práticos não possam ser sentidos nos próximos dois anos.

Hoje, os alunos do ensino médio estudam 4 horas por dia e são obrigados a cursar 13 disciplinas. A reforma aumenta a carga horária diária para 5 horas e introduz uma nova lógica curricular: 60% das disciplinas serão obrigatórias, mas divididas em quatro grandes áreas de conhecimento: linguagens, ciências da natureza, ciências humanas e matemática.

O restante da grade curricular, os outros 40%, será cursada conforme as preferências de cada estudante, que poderá escolher, entre essas quatro áreas, a qual dará ênfase. Haverá também a opção de o aluno, nesses 40%, concluir o ensino profissionalizante.

Bases indefinidas

A grande questão é que, para que essa nova lógica de ensino seja experimentada, é preciso, antes, que o Ministério da Educação (MEC) defina as diretrizes de ensino de cada uma dessas quatro áreas de conhecimento. Essas definições devem constar na Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e, depois de concluídas, serão enviadas para análise do Conselho Nacional de Educação. Esse processo é longo.

O MEC prevê que, em setembro, a base curricular comum estará concluída, e que os debates no Conselho de Educação terminem no máximo até dezembro deste ano. Segundo o ministério, nada impede que as redes de ensino que se sentirem preparadas possam iniciar as mudanças já em 2018.

"Ninguém ainda conhece a Base Nacional Curricular. Esse é o grande risco da reforma do ensino médio. Estamos definindo uma coisa que é 60% de algo que a gente não conhece", observa Priscila Cruz, presidente-executiva do movimento Todos pela Educação, que reúne segmentos da sociedade com objetivo de pressionar pela melhoria da qualidade do ensino.

"O governo sinaliza com uma enorme mudança, mas ela não poderá ser colocada em prática porque precisa de um outro documento que nem começou a ser feito para essa reforma poder se consubstanciar. A previsão é que mudança do ensino médio só comece em 2019. Nem no ano que vem será possível", prevê Cruz.

Falta debate sobre qualificação do professor


Outro aspecto complexo da reforma, acrescenta a especialista, é o gargalo da formação e qualificação de professores no Brasil. "Estamos com dificuldade de garantir que os professores ensinem o conteúdo básico. Imagine esses 40%, que seria um conhecimento mais avançado da disciplina. Se temos problema para o básico, imagina para o avançado. Não temos professores em escala no Brasil para garantir esses 40%."

Pensar em mudanças curriculares e alterações sem colocar a qualificação do professor no centro do debate, segundo ela, é como fazer um excelente projeto arquitetônico para uma casa construída com tijolos de areia. "A arquitetura é correta, mas você não sustenta uma política como essa sem professores de qualidade."

Má qualidade do ensino

O governo argumenta que os objetivos da reforma são modernizar o currículo, capturar a atenção dos jovens e reduzir a evasão escolar, dando mais opções de formação com uma grade curricular flexível, moderna, e permitindo também uma especialização técnica. O Ministério da Educação estima que há no Brasil mais de 1 milhão de jovens de 17 anos fora da escola, e outros 1,7 milhão que não estudam nem trabalham.

A justificativa do governo para aprovar as mudanças por medida provisória, um mecanismo de votação só usado para temas urgentes e relevantes, é que a reformulação do ensino médio é uma emergência. De fato, indicadores internacionais mostram que o nível educacional é baixo.

De acordo com levantamento do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa), os estudantes brasileiros têm desempenho inferior à média dos alunos de 72 países quando medido o conhecimento em leitura, ciências e matemática. "Os indicadores muito negativos colocam o Brasil numa condição vexatória no contexto internacional", declarou o ministro da Educação, Mendonça Filho. Segundo ele, a aprovação da reforma dá aos jovens um sinal de que terão mais oportunidades e mais qualidade de ensino.

Especialistas em educação concordam com os princípios da reforma, em especial com o aumento da carga horária e a necessidade de permitir que o estudante faça opções sobre as disciplinas em que prefere se aprofundar. Porém, é grande a preocupação com a forma de implementação e com a existência de recursos financeiros que possam viabilizar a melhora da qualidade.

Para Daniel Cara, coordenador geral da Campanha Nacional pelo Direito à Educação, o aumento da carga horária requer mais recursos públicos, e os estados brasileiros estão praticamente todos em falência fiscal. Além disso, ele observa que a autonomia do estudante para escolher as matérias que quer estudar é positiva, mas vê no modelo proposto um engessamento. "O ideal seria o estudante poder fazer disciplinas eletivas, como na universidade. Mas ele vai ter que se limitar aos quatro itinerários formativos."





Festival exibe 32 filmes inéditos sobre deficiência

Assim Vivemos - Festival Internacional de Filmes sobre Deficiência chega à sua 8ª edição no Rio.


 WhatsApp vai permitir transações bancárias no app

Digital

WhatsApp vai permitir transações bancárias no app

O recurso ainda está em desenvolvimento e deve começar a funcionar depois do app liberar sua plataforma para empresas.


Minha sogra veio morar em casa. E agora?

Bem Viver

Minha sogra veio morar em casa. E agora?

60% dos conflitos familiares são entre noras e sogras e apenas 15% entre genros e sogras.


Volume de exportações cresce 12,5% em julho, diz FGV

O volume das importações também cresceu 10,8% no mesmo período.



ONU anuncia Neymar como embaixador da Boa Vontade

Famosos

ONU anuncia Neymar como embaixador da Boa Vontade

ONG global trabalha em prol de pessoas com deficiência e populações vulneráveis.


BNDES fecha 1º semestre com lucro líquido de R$ 1,34 bi

Café Pequeno

BNDES fecha 1º semestre com lucro líquido de R$ 1,34 bi

No mesmo período de 2016, o Banco de Desenvolvimento teve prejuízo líquido de R$ 2,17 bilhões.


Tarifas promocionais chegam às viagens interestaduais

Nova resolução possibilitará aos consumidores escolher as ofertas mais vantajosas para o seu bolso.


Vendas a prazo no Dia dos Pais caem 2,18%

Mundo Empresarial

Vendas a prazo no Dia dos Pais caem 2,18%

Desde 2014 varejo apresenta quedas nas principais datas comemorativas.


Nem só de sal e pimenta vive uma receita

Alimentos e Bebidas

Nem só de sal e pimenta vive uma receita

Dicas de ingredientes que ajudam a intensificar o sabor dos pratos sem usar o sal.


Pesquisa mostra perspectivas de empresários do comércio

Mundo Empresarial

Pesquisa mostra perspectivas de empresários do comércio

Para 39% dos empresários de comércio e serviços, economia irá crescer no segundo semestre, apontam SPC Brasil e CNDL


Turma do Pagode lança mais uma faixa de Misturadin

Notas Musicais

Turma do Pagode lança mais uma faixa de Misturadin

Nova música é um medley com “Mania TDP” e “Nosso DNA”.


Rock in Rio confirma Youtubers para palco Digital Stage

Noticias Culturais

Rock in Rio confirma Youtubers para palco Digital Stage

Whindersson Nunes, Christian Figueiredo Mauricio Meirelles são alguns dos headliners confirmados


Livro de Romário faz revelações sobre o futebol brasileiro

Famosos

Livro de Romário faz revelações sobre o futebol brasileiro

Livro "Um olho na bola e o outro no cartola" será lançado dia 2 de setembro na Bienal do Livro do Rio.


Lei que protege biodiversidade marinha é aprovada

Lei do Mar dá ênfase aos serviços ecossistêmicos prestados pelo bioma, como a regulação do clima.


Internet das Coisas vai atuar na mineração

Tecnologia Máxima

Internet das Coisas vai atuar na mineração

Projeto conta com colaboradores para detectar problemas e pensar soluções do setor.


Cidades históricas de Minas lançam WebTV

Digital

Cidades históricas de Minas lançam WebTV

Produções irão divulgar o patrimônio cultural mineiro.


Perda de audição pode levar idosos à depressão

Ao negar o problema algumas pessoas podem se isolar do convívio social, prejudicando a própria vida.



A formação do professor precisa ir além da universidade

Educação & Capacitação

A formação do professor precisa ir além da universidade

Psicopedagoga alerta sobre a importância da constante atualização dos docentes.


Tom Cavalcante leva espetáculo

Famosos

Tom Cavalcante leva espetáculo "Stomdup" a São Paulo

Espaço das Américas abre as portas para Tom Cavalcante no dia 20 de agosto.


Scalene lança clipe nas mídias digitais do Rock in Rio

Música "distopia" faz parte do novo disco da banda, Magnetite.


Colesterol entre crianças é preocupante

Mundo Empresarial

Colesterol entre crianças é preocupante

Alimentação mais gordurosa e o estilo de vida atual tornou a garotada menos saudáveis.


Oito motivos para incluir castanhas na alimentação

Alimentos e Bebidas

Oito motivos para incluir castanhas na alimentação

As castanhas ajudam a controlar o peso e a glicemia e a prevenir doenças cardiovasculares.


Safra de grãos pode ter novo recorde em 2017, diz IBGE

Mundo Empresarial

Safra de grãos pode ter novo recorde em 2017, diz IBGE

Previsão de safra recorde de grãos sobe e atinge 242 milhões de toneladas.


Oscar 2018 abre inscrições para filmes brasileiros

Na Tela

Oscar 2018 abre inscrições para filmes brasileiros

Poderão concorrer longas exibidos entre 1º de outubro de 2016 e 30 de setembro de 2017.


Brasil puxa Clima Econômico da América Latina para baixo

Café Pequeno

Brasil puxa Clima Econômico da América Latina para baixo

Clima Econômico da América Latina fica abaixo da média dos últimos 10 anos


Comunidades quilombolas de 4 estados são reconhecidas

Utilidade Pública

Comunidades quilombolas de 4 estados são reconhecidas

Incra reconhece terras de comunidades quilombolas da Bahia, Pará, Paraíba e Sergipe.