Produção de energia renovável bateu recorde em 2016

Com 80% da produção total, usinas solares e eólicas promovem rápida expansão das fontes renováveis.


Deutsche Welle

10/04/2017 - 08:17

O diretor-geral da Agência Internacional para as Energias Renováveis (Irena), Adnan Z. Amin, exulta: "Estamos testemunhando uma transformação global de energia. Isso se reflete novamente num novo ano recorde na geração de energias renováveis." A declaração foi feita durante a apresentação do relatório Renewable Capacity Statistic 2017, em Abu Dhabi, capital dos Emirados Árabes Unidos.

O documento lista como as energias renováveis se desenvolveram desde 2007 em mais de 200 países e quantas usinas de fontes hidráulica, solar, eólica e de biomassa foram construídas, com qual capacidade.

Energia solar ultrapassa eólica


Em todo o mundo, foram construídas em 2016 usinas de energia limpa com a capacidade total de 161 gigawatts (GW), segundo dados da Irena. Isso corresponde à capacidade instalada de cerca de 161 usinas nucleares ou de carvão de grande porte.

Em termos de geração de energia, as instalações solares estão, pela primeira vez, à frente das eólicas, tendo sido construídas em todo o mundo usinas solares com uma capacidade total de 71 GW, quase 50% a mais do que em 2015. Em seguida vem a energia eólica (51 GW), hidráulica (30 GW), de biomassa (9 GW) e geotérmica (1 GW).

Assim, até o final de 2016 a capacidade de geração de energias renováveis em todo o mundo era de 2.006 GW, mais do que o dobro de dez anos atrás. A transformação da matriz energética mundial é incentivada sobretudo pelo custo atualmente baixo da produção eólica e solar. Na última década, cerca de 80% da energia renovável gerada recai sobre estas duas fontes. 
margin-right: 10px; margin-bottom: 10px;
Energias renováveis crescem em todo o mundo

Renováveis trazem mais empregos e prosperidade

Desde 2009 o preço da eletricidade gerada por usinas eólicas caiu cerca de um terço, e a por centrais solares, aproximadamente 80%. A eletricidade gerada pelas novas instalações é em geral mais barata do que a de usinas convencionais a diesel, carvão, gás e nuclear.

De acordo com dados da Irena, o forte crescimento das energias renováveis tem também outros efeitos positivos. "Elas são muito lucrativas e geram alguns benefícios socioeconômicos, como a criação de novos empregos. Além disso, há a melhora do bem-estar das pessoas e do meio ambiente", diz Amin.

Ele acrescenta, contudo, que, para atingir as metas climáticas mundiais acordadas em Paris, o ritmo de expansão deveria ser acelerado. "Essa dinâmica exige investimentos adicionais para a descarbonização do setor de energia. Os novos dados são um sinal encorajador de que estamos no caminho certo, mas há ainda muito a fazer."

Ásia cresce e Europa fica para trás

Nos últimos anos, o principal motor da expansão global de energia renovável foi a Ásia, com a China decididamente na dianteira. Segundo dados da Irena, o país asiático construiu em 2016 centrais eólicas com capacidade total de 19 GW, seguido a distância pelos EUA (9 GW), Alemanha (5 GW) e Índia (4 GW).

Em relação à energia solar, o ritmo na Ásia é ainda maior. Com a construção de usinas com a capacidade de 50 GW no ano passado, o continente respondeu por cerca de 70% do crescimento mundial. Foram instalados painéis solares com capacidade de 34 GW na China, 8 GW no Japão, 8 GW nos EUA, e 4 GW na Índia.

Como precursores na expansão das renováveis, a Europa e, em particular, a pioneira Alemanha continuam caindo na ampliação desses tipos de energia. No Velho Continente foram instalados apenas 5 GW de energia solar, na Alemanha apenas 1 GW. Como motivo para a diminuição, especialistas veem, sobretudo, a pressão das empresas de energia convencional na política do setor.

"Há um forte movimento contra a energia renovável. Os setores fóssil e nuclear tentam sustar sua expansão, que prejudicam o modelo de negócios deles", diz Stefan Gsänger, secretário-geral da Associação Mundial de Energia Eólica (WWEA), em entrevista à DW.

Gráfico do crescimento da energia solar nos principais países produtores

Eletricidade para mais 300 milhões de seres humanos

Pela primeira vez, o relatório de estatísticas da Irena divulgou também dados especiais sobre os assim chamados "sistemas off-grid" – sistemas isolados, não conectados à rede elétrica e autossustentados por baterias ou geradores.

Mais de 1 bilhão dos habitantes do planeta não têm acesso a redes elétricas, principalmente em regiões remotas. Nesses locais desenvolveu-se nos últimos anos uma forte dinâmica, principalmente em relação à energia fotovoltaica.

No fim de 2016, a capacidade de energia solar off-grid nessas regiões era de 1,4 GW, cinco vezes mais do que em 2011. Em geral trata-se de sistemas bem pequenos, com baterias que fornecem energia para uma aldeia ou casa durante a noite, permitindo a muitos o acesso à eletricidade. Esses sistemas têm grande sucesso especialmente na África e Ásia, com a Índia, Bangladesh, Argélia e África do Sul na linha de frente, segundo dados da Irena.

Na Índia há, ainda, um boom na expansão de bioenergia para fornecimento elétrico local. As instalações construídas em aldeias em 2016 totalizam quase 1 GW, 200 vezes mais do que no ano anterior. Segundo estimativas da Irena, até 60 milhões de famílias ou 300 milhões de pessoas têm acesso à energia através de sistemas off-grid.





Festival exibe 32 filmes inéditos sobre deficiência

Assim Vivemos - Festival Internacional de Filmes sobre Deficiência chega à sua 8ª edição no Rio.


 WhatsApp vai permitir transações bancárias no app

Digital

WhatsApp vai permitir transações bancárias no app

O recurso ainda está em desenvolvimento e deve começar a funcionar depois do app liberar sua plataforma para empresas.


Minha sogra veio morar em casa. E agora?

Bem Viver

Minha sogra veio morar em casa. E agora?

60% dos conflitos familiares são entre noras e sogras e apenas 15% entre genros e sogras.


Volume de exportações cresce 12,5% em julho, diz FGV

O volume das importações também cresceu 10,8% no mesmo período.



BNDES fecha 1º semestre com lucro líquido de R$ 1,34 bi

Café Pequeno

BNDES fecha 1º semestre com lucro líquido de R$ 1,34 bi

No mesmo período de 2016, o Banco de Desenvolvimento teve prejuízo líquido de R$ 2,17 bilhões.


Tarifas promocionais chegam às viagens interestaduais

Utilidade Pública

Tarifas promocionais chegam às viagens interestaduais

Nova resolução possibilitará aos consumidores escolher as ofertas mais vantajosas para o seu bolso.


Superproteção pode comprometer o desenvolvimento dos filhos

A psicóloga Simone Domingues explica como formar adultos independentes e autoconfiantes.


Nem só de sal e pimenta vive uma receita

Alimentos e Bebidas

Nem só de sal e pimenta vive uma receita

Dicas de ingredientes que ajudam a intensificar o sabor dos pratos sem usar o sal.


Pesquisa mostra perspectivas de empresários do comércio

Mundo Empresarial

Pesquisa mostra perspectivas de empresários do comércio

Para 39% dos empresários de comércio e serviços, economia irá crescer no segundo semestre, apontam SPC Brasil e CNDL


Turma do Pagode lança mais uma faixa de Misturadin

Notas Musicais

Turma do Pagode lança mais uma faixa de Misturadin

Nova música é um medley com “Mania TDP” e “Nosso DNA”.


Rock in Rio confirma Youtubers para palco Digital Stage

Noticias Culturais

Rock in Rio confirma Youtubers para palco Digital Stage

Whindersson Nunes, Christian Figueiredo Mauricio Meirelles são alguns dos headliners confirmados


Livro de Romário faz revelações sobre o futebol brasileiro

Famosos

Livro de Romário faz revelações sobre o futebol brasileiro

Livro "Um olho na bola e o outro no cartola" será lançado dia 2 de setembro na Bienal do Livro do Rio.


Lei que protege biodiversidade marinha é aprovada

Ciência & Ambiente

Lei que protege biodiversidade marinha é aprovada

Lei do Mar dá ênfase aos serviços ecossistêmicos prestados pelo bioma, como a regulação do clima.


Internet das Coisas vai atuar na mineração

Projeto conta com colaboradores para detectar problemas e pensar soluções do setor.


Cidades históricas de Minas lançam WebTV

Digital

Cidades históricas de Minas lançam WebTV

Produções irão divulgar o patrimônio cultural mineiro.


ONU propõe que União Europeia acolha refugiados

Café Pequeno

ONU propõe que União Europeia acolha refugiados

Atualmente a União Europeia (UE) acolhe 20 mil refugiados.


Economia compartilhada torna a vida mais fácil

Pesquisa mostra que 40% dos brasileiros já trocaram hotel por residência de terceiros.



Tom Cavalcante leva espetáculo

Famosos

Tom Cavalcante leva espetáculo "Stomdup" a São Paulo

Espaço das Américas abre as portas para Tom Cavalcante no dia 20 de agosto.


Scalene lança clipe nas mídias digitais do Rock in Rio

Notas Musicais

Scalene lança clipe nas mídias digitais do Rock in Rio

Música "distopia" faz parte do novo disco da banda, Magnetite.


Saiba como aumentar a restituição do IR

É preciso pensar no imposto com antecedência, para reduzir erros e ganhar mais dinheiro.


Oito motivos para incluir castanhas na alimentação

Alimentos e Bebidas

Oito motivos para incluir castanhas na alimentação

As castanhas ajudam a controlar o peso e a glicemia e a prevenir doenças cardiovasculares.


Safra de grãos pode ter novo recorde em 2017, diz IBGE

Mundo Empresarial

Safra de grãos pode ter novo recorde em 2017, diz IBGE

Previsão de safra recorde de grãos sobe e atinge 242 milhões de toneladas.


Oscar 2018 abre inscrições para filmes brasileiros

Na Tela

Oscar 2018 abre inscrições para filmes brasileiros

Poderão concorrer longas exibidos entre 1º de outubro de 2016 e 30 de setembro de 2017.


Brasil puxa Clima Econômico da América Latina para baixo

Café Pequeno

Brasil puxa Clima Econômico da América Latina para baixo

Clima Econômico da América Latina fica abaixo da média dos últimos 10 anos


Comunidades quilombolas de 4 estados são reconhecidas

Utilidade Pública

Comunidades quilombolas de 4 estados são reconhecidas

Incra reconhece terras de comunidades quilombolas da Bahia, Pará, Paraíba e Sergipe.


USP lança canal no Youtube com aulas em todas as áreas

Educação & Capacitação

USP lança canal no Youtube com aulas em todas as áreas

São mais de dois mil vídeos com aulas, debates e descobertas científicas da universidade.