BC reduz juros básicos da economia para 11,25%

Pela quinta vez seguida, o Banco Central (BC) baixou os juros básicos da economia.


Da Redação

13/04/2017 - 08:30

Por unanimidade, o Comitê de Política Monetária (Copom) reduziu nesta quarta-feira (12) a taxa Selic em 1 ponto percentual, de 12,25% ao ano para 11,25% ao ano. A decisão era esperada pelos analistas financeiros.

Com a redução, a Selic retorna ao nível de dezembro de 2014, quando também estava em 11,25% ao ano. De outubro de 2012 a abril de 2013, a taxa foi mantida em 7,25% ao ano, no menor nível da história, e passou a ser reajustada gradualmente até alcançar 14,25% ao ano em julho de 2015. Somente em outubro do ano passado, o Copom voltou a reduzir os juros básicos da economia.

Em comunicado, o Copom informou que o comportamento da inflação permanece favorável. “O processo de desinflação [abrandamento da inflação] se difundiu e houve consolidação da desinflação nos componentes mais sensíveis ao ciclo econômico e à política monetária. A desinflação dos preços de alimentos constitui choque de oferta favorável”, diz a nota do comitê.

A nota também diz que a aprovação e implementação das reformas do governo, especialmente as de natureza fiscal e de ajustes na economia, são “relevantes para a sustentabilidade da desinflação e para a redução da taxa de juros estrutural”.

A Selic é o principal instrumento do Banco Central para manter sob controle a inflação oficial, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o IPCA ficou em 0,25% em março, o menor nível registrado para o mês desde 2012.

Nos 12 meses terminados em março, o IPCA acumula 4,57%. Até o ano passado, o Conselho Monetário Nacional (CMN) estabelecia meta de inflação de 4,5%, com margem de tolerância de 2 pontos, podendo chegar a 6,5%. Para este ano, o CMN reduziu a margem de tolerância para 1,5 ponto percentual. A inflação, portanto, não poderá superar 6% neste ano.

No Relatório de Inflação, divulgado no fim de março pelo Banco Central, a autoridade monetária estima que o IPCA encerrará 2017 em 4%. De acordo com o boletim Focus, pesquisa semanal com instituições financeiras divulgada pelo BC, a inflação oficial deverá fechar o ano em 4,09%.

Fonte: Agência Brasil




Mercado financeiro espera inflação de 4,04% no ano

Banco Central reduz projeção para a inflação em 2017 pela sétima vez no ano.


Tribunal valida acordo milionário entre VW e EUA

Juiz afirma que valor acordado é suficiente pela fraude cometida.


Maioria dos empresários não pretendem contratar crédito

85% dos micro e pequenos empresários não pretendem contratar crédito nos próximos três meses.


Caixa já pagou mais de R$15 bilhões das contas inativas

A previsão é que R$ 43,6 bilhões sejam sacados das contas inativas do FGTS.


Livros infantis ganham espaço no mercado brasileiro

Nesta terça-feira (18/04) é comemorado o Dia Nacional do Livro Infantil.


Inadimplência de pessoas físicas cresce em BH

Segundo pesquisa da CDL/BH, entrada de recursos do FGTS está ajudando as pessoas a quitarem dívidas.


Economia brasileira cresce 1,31% em fevereiro

Foi a segunda alta consecutiva do índice. Em janeiro, avançou 0,62%.


Amazon vai contratar mais de 5 mil funcionários

A Amazon anunciou nesta semana que pretende criar mais de 5 mil vagas de emprego de meio período para o próximo ano.


Cuidado com os golpes da pirâmide financeira

Consumidor precisa ficar atento para não cair na tentação da promessa de dinheiro fácil.


Emissor gratuito de NFe será mantido em 2017

Desde 1º de janeiro de 2017 os emissores passaram a ser atualizados e disponibilizados pela SEFAZ-MA