Cartão único promete facilitar a vida das pessoas.

Com esse item, o usuário não precisa carregar todos os cartões de crédito e débito na carteira.


Da Redação

24/11/2013 - 13:00

Coin é um cartão que promete armazenar em um único item todos os cartões de crédito e débito de uma pessoa.

A novidade, disponível para pré-venda, foi apresentada neste mês em São Francisco, nos Estados Unidos.

Esse novo cartão é fabricado com uma fita magnética que pode mudar dependendo do que cartão se quer usar.

A bateria promete durar até dois anos e alimentar a pequena tela que mostra as informações ao usuário.

O novo produto também oferece segurança. Caso a pessoa esqueça o cartão, por exemplo, o seu celular pode avisá-la, pois o item usa a tecnologia bluetooth de baixo consumo energético para se conectar a um smartphone.

O novo cartão único pode ser encomendado por US$ 55 neste ano, mas a entrega só será feita em 2014. Mais à frente, o cartão poderá quase dobrar de preço, segundo o site do The Huffington Post.




Consumidores acreditam na melhora da economia brasileira

Indicador de expectativa do belo-horizontino cresceu quase 40% em junho frente a março.


Mercado de trabalho para os maiores de 60 anos é possível

Especialista em transição de carreira diz quais são as áreas que mais contratam pessoas na melhor idade.


Valor de passagens para voos domésticos diminui em 2016

Com menor procura, bilhetes para destinos nacionais têm queda no preço, segundo agência de viagens online.


Queda da inflação está em velocidade aquém da almejada

Para 2016, as projeções do BC e do mercado apontam inflação em torno de 6,75%.


Contas externas têm déficit de US$ 2,479 bilhões

Depois de dois meses seguidos de resultado positivo, as contas externas fecharam junho com déficit.


Parceria ajuda o meio ambiente e as pessoas necessitadas

Parceria entre confecção de pijamas e entidade beneficente transforma retalhos em roupas de cama.


Demanda do consumidor por crédito acumula queda de 8,9%

De acordo com Boa Vista SCPC, na variação acumulada em 12 meses houve queda de 5,1%.


Políticas antifumo impactam na cultura do tabaco

Entre 2014 e 2015, o faturamento dos fumicultores registrou queda de 19,6%.


Governo reduz projeção de queda do PIB para 3,1%

A projeção em maio era uma retração de 3,8%.


FMI recomenda que governo brasileiro aumente impostos

Além do ajuste fiscal, o FMI recomenda que o Brasil faça reformas estruturais.