Emissor gratuito de NFe será mantido em 2017

Desde 1º de janeiro de 2017 os emissores passaram a ser atualizados e disponibilizados pela SEFAZ-MA


Da Redação

15/04/2017 - 12:16

 Após muitas idas e vindas em 2016, a Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo (SEFAZ-SP) encontrou uma forma de continuar disponibilizando aos usuários o emissor gratuito de notas fiscais eletrônicas (NFes) e também o emissor gratuito de conhecimentos de transporte (CTes).

Para isso, ela cedeu o emissor ao Corpo Técnico de Tecnologia da Informação (COTEC), da Secretaria de Estado da Fazenda do Maranhão (SEFAZ-MA).

Desde 1º de janeiro de 2017, o emissor gratuito da NFe (versão 3.10.86), assim como o de conhecimentos de transporte (CTe), desenvolvidos pela SEFAZ-SP, passaram a ser atualizados e disponibilizados pela SEFAZ-MA.

Obtendo acesso ao emissor gratuito da SEFAZ

Para ter acesso ao emissor gratuito de NFe, bem como ao emissor gratuito de CTe, basta fazer o download no portal da SEFAZ-MA.

A SEFAZ-MA também disponibilizou um manual, orientando os contribuintes a adicionarem o Emissor de NFe e CTe na lista de exceções de sites. Essa é uma condição para que as RIAs (Rich Internet Applications) — aplicações via web que se assemelham a softwares — sejam executadas no computador.

O software é compatível com todos os estados e Distrito Federal e por ele é possível baixar o XML das NFes.

Outras explicações mais detalhadas estão disponíveis no Manual de Orientações disponibilizado no portal, onde também pode ser consultado o Manual para Importação de Notas Fiscais Anteriores — que são aquelas geradas no antigo programa — e restauração dos arquivos no novo diretório, criado no portal da SEFAZ-MA com a instalação do novo programa.

As razões para a SEFAZ-SP cessar a disponibilização do emissor gratuito

Em abril do ano passado, a SEFAZ-SP anunciou que o emissor gratuito de NFes, em operação desde 2006, deixaria de funcionar a partir de 1º de janeiro de 2017. A alegação era de que o sistema era subutilizado, uma vez que — segundo o órgão — 92,2% das notas eletrônicas já eram geradas por sistemas próprios.

Entretanto, os principais atingidos pela decisão da SEFAZ-SP foram aqueles que emitem poucas notas por mês, já que o próprio órgão não recomenda que se use o programa para emissão de alto volume de NFes.

Dessa forma, diante do anúncio, muitos pequenos e microempresários tiveram que buscar novas alternativas para não se verem diante da indisponibilidade do aplicativo. Assim, a iniciativa da SEFAZ-MA beneficiou aqueles que ainda não tinham encontrado uma saída para o problema.

A questão da NFes para as pequenas e médias empresas

O importante é que esses pequenos e médios empresários que adotaram sistemas automatizados de processamento de NFes — assim como já o fazem as empresas de grande porte — passaram a ficar blindados em relação a esse tipo de indefinição burocrática.

Os mais modernos sistemas de gestão de NFes da atualidade trabalham com ferramentas de data mining, capacitadas a localizar documentos fiscais de forma on line na velocidade que você precisa.

Além disso, a capacidade de armazenamento supera a de quaisquer soluções de hardware no escritório, uma vez que estão diretamente ligadas aos servidores da SEFAZ.

As notas emitidas por tais sistemas permanecem armazenadas e podem ser consultadas ou baixadas em poucos cliques, tanto o arquivo XML da NFe quanto o PDF do DANFe (Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica).

Conheça mais sobre o universo das notas fiscais eletrônicas das notas fiscais eletrônicas. E não esqueça de se manter atualizado sobre os assuntos que interessam ao seu negócio!

Se você tem dúvidas sobre a consulta de NFe e encontra dificuldades nisso, acesse o Arquivei.com.br e conheça nosso sistema de consulta de notas fiscais e CTes.

Na Arquivei você poderá:

- consulta de nfe diretamente da Sefaz;

- consultar e gerenciar cada uma delas com total controle sobre os dados.

Oferecemos um teste grátis de 7 dias para as empresas interessadas.

Conheça mais em nosso vídeo de apresentação: https://www.youtube.com/watch?v=sSUUKxbXnxk




Índice de inflação do aluguel cai em abril

Inflação do aluguel cai e acumula variação de 3,37% em doze meses.


O que deve mudar com a reforma trabalhista?

Projeto aprovado pela Câmara altera profundamente as relações trabalhistas no Brasil.


Exportações brasileiras crescem 24,4% no 1º trimestre

A maior alta nas exportações foi observada no setor da indústria extrativa, 38%.


Dia das Mães deve injetar R$2,10 bi no comércio de BH

Empresários estão otimistas e acreditam que as vendas serão melhores este ano.


Mercado financeiro espera inflação de 4,04% no ano

Banco Central reduz projeção para a inflação em 2017 pela sétima vez no ano.


Tribunal valida acordo milionário entre VW e EUA

Juiz afirma que valor acordado é suficiente pela fraude cometida.


Maioria dos empresários não pretendem contratar crédito

85% dos micro e pequenos empresários não pretendem contratar crédito nos próximos três meses.


Caixa já pagou mais de R$15 bilhões das contas inativas

A previsão é que R$ 43,6 bilhões sejam sacados das contas inativas do FGTS.


Livros infantis ganham espaço no mercado brasileiro

Nesta terça-feira (18/04) é comemorado o Dia Nacional do Livro Infantil.


Inadimplência de pessoas físicas cresce em BH

Segundo pesquisa da CDL/BH, entrada de recursos do FGTS está ajudando as pessoas a quitarem dívidas.