Dor mamária: causas e tratamentos

Dores intensas na mama? Fique atenta aos sintomas. É comum as mulheres sentirem algum desconforto nas mamas durante, ou antes, da menstruação.


Da Redação

28/12/2013 - 22:00

Normalmente, a dor é bilateral, nos quadrantes mais externos da mama e desaparece, assim que a menstruação cessa. Caso, a dor permaneça ou não esteja relacionada com o período menstrual, é preciso consultar o seu ginecologista para realizar alguns exames com o objetivo de determinar a causa da dor.

De acordo com a ginecologista e obstetra, Denise Gomes, Diretora Médica da Plena Clínica, algumas das causas que provocam dores na mama são problemas musculares, articulares, ocasionadas pela má circulação ou de nervos. “É normal a dor aparecer nos primeiros três dias antes da menstruação.

A mastalgia, como é chamada a dor mamária, em geral está relacionada à ação hormonal sobre as estruturas mamárias. Pode também estar ligada a patológias mamárias como a ectasia ductal, a adenose esclerosante e a necrose gordurosa. Ela pode ser contínua ou ocasional”, explica a ginecologista.

A Mastalgia é sintoma de câncer? Essa dor é mais comum em mulheres na faixa etária de 30 aos 50 anos, antes da menopausa, caracterizada pelo entumecência mamária durante a menstruação. “Muitas mulheres com mastalgia ficam preocupadas e com o medo da dor simbolizar um câncer de mama. É importante alertar que a dor mamária não é uma doença e não está associada aos casos de câncer de mama”, ressalta a ginecologista, Dra. Denise Gomes. A dor mamária pode ser classificada como cíclica que esta associada ao ciclo menstrual ou não-cílica que é uma dor mais rara, ela tem origem nos seios ou em outros lugares, como no músculo ou nas articulações.

Como tratar a mastalgia? O primeiro passo para o tratamento é a paciente realizar alguns exames para afastar a possibilidade de existência de alguma patologia mamária.  As mulheres ficam mais tranquilas após verificar os resultados dos exames e checar que não correm o risco de ter o câncer. Dependendo da gravidade da dor, o médico pode indicar alguns remédios para diminuir o sintoma.

“O uso de vitamina E e/ou anti-inflamatórios não hormonais é a opção terapêutica mais comum. O tamoxifeno vem sendo uma alternativa para driblar as dores intensas nos seios. É recomendado utilizar o remédio por um período curto de três a seis meses”, aconselha a médica, Dra. Denise Gomes.

Aliviando as dores

Para amenizar as dores algumas medidas podem ser tomadas como, por exemplo, o uso correto do sutiã. “As pacientes com dor mamária devem optar para o uso de sutiãs ajustados para reduzir o sintoma. O uso de anticoncepcionais orais e de terapia de reposição hormonal também pode está associada à dor. A interrupção da medicação e do tratamento pode trazer certo alívio, mas antes de tomar qualquer providência converse com o seu médico”, alerta a médica.

Agora que você já sabe que a  mastalgia é passageira, não é uma doença e muito menos provoca o câncer de mama. Conheça as dicas da ginecologista, Dra. Denise Gomes para amenizar as dores nos seios:

- Prefira alimentos que estimulem a eliminação de líquidos pelo organismo como morango, melancia, alcachofra, aspargo, agrião e salsa.

- Diminua a consumo de sal e de alimentos em conserva no período pré-menstrual, porque eles causam retenção de líquidos.

-  Peça uma orientação para o seu ginecologista sobre o tamanho correto do sutiã. Opte pelos modelos que possam dar maior sustentação ao seio e use quando a sua mama estiver dolorida.

- Reduza o consumo de cafeína (café, chá preto e mate), de doces e de alimentos enlatados.

- Tome um analgésico se a dor estiver insuportável. Se ela persistir por um longo período, procure o seu médico.

-  E não deixe de praticar atividade físicas.


Fonte - Ginecologista e Obstetra Denise Gomes.




Epidemias de zika e chikungunya poderão ser mais fortes

Fiocruz diz que epidemias das doenças serão ainda maiores no verão de 2016/2017.


Não cometa esses erros ao tentar emagrecer

Emagrecer é um processo complexo, tanto é que, muitas pessoas acabam não conseguindo alcançar os objetivos almejados.


Cólicas do bebê: o que fazer?

Especialista explica como diminuir um dos problemas mais comuns do primeiro trimestre de vida da criança.


Brasil tem 827 mil vivendo com HIV, 112 mil não sabem

Pesquisa mostra queda de 42,3% na mortalidade provocada pelo HIV/aids no Brasil nos últimos 20 anos.


Mitos e verdades sobre a dor de garganta

Sabia que até hoje não foi comprovada a eficácia do mel com própolis no tratamento das dores de garganta?


Endoscopia x gravidez: descubra quando deve ser feita

A endoscopia só deve ser realizada em gestantes no último caso ou quando apresentar sinais de alarme como dor abdominal intensa, dificuldade ao engolir, vômitos severos e incessantes, sangramento gastrointestinal e obstruções das vias biliares.


Incontinência urinária afeta mulheres após menopausa

Doença, que acomete principalmente pessoas do sexo feminino e idosos, possui diversas formas de tratamento.


Dengue, chikungunya e zika deixam 885 cidades em alerta

Brasil tem 885 cidades em situação de alerta ou risco de surto


É hora de falar sobre a saúde do homem

Índice de cuidado com a saúde é de 78% de mulheres contra 63,9% dos homens.


Atraso no crescimento dos dentes prejudica crianças

Especialista explica as causas e como obter um diagnóstico precoce do problema.