Governo intensifica combate ao mosquito Aedes aegypti

Ações para evitar a proliferação do mosquito acontecem nas 41.688 Unidades Básicas de Saúde do país.


Da Redação

07/04/2017 - 12:00

No Dia Mundial da Saúde, celebrado nesta sexta-feira (7), o governo federal mobiliza os profissionais da saúde no combate ao mosquito Aedes aegypti.

As ações acontecem nas 41.688 Unidades Básicas de Saúde do país, com vistoria para identificar criadouros e orientações à população no combate ao mosquito transmissor da dengue, Zika e chikungunya.

A medida faz parte da campanha Sexta-Feira Sem Mosquito, organizada pelo Ministério da Saúde, em parceria com os conselhos nacionais de Secretários de Saúde e de Secretários Municipais de Saúde. A meta é que a população reserve um dia na semana para combater os focos do mosquito, vistoriando casas, ambientes de trabalho e escolas.

Segundo o ministério, medidas simples podem evitar a proliferação do mosquito, como fazer o descarte correto do lixo, tampar depósitos de água e limpar com buchas as laterais e bordas dos vasos de plantas.

Para o ministro da Saúde, Ricardo Barros, a mobilização é questão de hábito. “Se cada cidadão fizer a sua parte, evitando água parada e descoberta em locais que possam servir de criadouros, juntos estaremos realizando um grande mutirão semanal de limpeza em todo o país”, afirmou Barros, em nota.

Queda no número de casos

Segundo o ministério, as ações de combate resultaram na queda do número de casos das doenças transmitidas pelo Aedes aegypti. Em 2017, até 25 de março, foram notificados 90.281 casos prováveis de dengue em todo o país, uma redução de 90% em relação ao mesmo período de 2016 (947.130). Também houve queda no número de óbitos. A redução foi de 97%, passando de 411 em 2016 para 11 em 2017.

Em relação à chikungunya, a queda do número de casos foi de 73%. Até 11 de março, houve 26.856 casos da doença. No ano passado, foram 101.633 casos, no mesmo período.

Até 25 de março deste ano, o Ministério da Saúde registrou 4.894 casos de Zika em todo o país, uma redução de 97% em relação a 2016 (142.664 casos). A análise da taxa de casos prováveis mostra uma baixa incidência em todas as regiões geográficas até o momento. Em relação às gestantes, foram anotados 727 casos prováveis. Não houve registro de óbitos por Zika em 2017.

Fonte: Agência Brasil




Fiocruz cria aplicativo para pesquisar doenças

Com o aplicativo, os especialistas recebem os dados regionais diretamente das populações.


"É mito dizer que comer saudável é caro"

Praticamente um em cada cinco brasileiros está obeso, ainda que o consumo de açúcar tenha caído pela metade.


Dúvidas e indicações para o implante dentário

Há dois principais tipos de implantes que devem ser realizados de acordo com cada caso.


Saúde aprova venda e aplicação de vacinas em farmácias

Medida foi autorizada após surto de febre amarela e dengue no país.


Anvisa prepara projeto para 'rastrear' medicamentos

Anvisa firma convênio com a USP para projeto-piloto de rastreabilidade de medicamentos.


A população está preparada para envelhecer?

Deficiência auditiva atinge um terço das pessoas acima de 65 anos e metade de quem tem mais 75 anos


Inicia a mobilização nacional de vacinação contra gripe

A vacina permite a proteção contra os vírus A(H1N1), H3N2 e influenza B.


Dez dicas para incluir a água no seu dia a dia

Dicas importantes para ajudar aqueles que não sentem vontade de tomar água.


Atenção, Páscoa também é tempo de alergia

Atenção com os ovos de chocolate, frutos do mar e bebidas alcoólicas.


Anvisa agiliza patentes e entrada de genéricos

Governo promete agilizar exames de patentes e entrada de genéricos de maneria mais rápida no país.