Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Clientes BB podem suspender parcelas do FIES enquanto durar pandemia

Clientes BB podem suspender parcelas do FIES enquanto durar pandemia

25/09/2020 Divulgação

Estudantes podem optar pelo benefício enquanto durar o estado de calamidade pública.

Estudantes que financiam seus estudos no Banco do Brasil (BB) pelo Fies (Fundo de Financiamento Estudantil) podem solicitar a suspensão de todas as parcelas restantes do contrato pelo tempo que durar o estado de calamidade pública, tendo em vista a pandemia causada pelo novo coronavirus. A adesão está disponível a partir desta quinta, 24, nas agências BB, e via Mobile na primeira quinzena de outubro.

A manifestação é feita de forma simples, sendo necessária apenas a concordância do estudante acerca das alterações contratuais, no momento da solicitação da suspensão. Após a formalização da proposta, a suspensão não será passível de cancelamento.

A medida atende o disposto na Resolução nº 39, de 27/07/2020, do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), órgão do Ministério da Educação (MEC) que concede financiamento a estudantes para a educação em cursos superiores de instituições de ensino privadas.

As novas regras ampliam as condições de suspensão dos pagamentos em relação à Resolução nº 38, de 22 de maio, cuja suspensão era de até quatro parcelas a serem incluídas nas prestações vencidas a partir de 20 de março, data em que foi decretado o estado de calamidade no País. A nova legislação admite a suspensão das parcelas com prestações vencidas, também a partir de 20/03, mas enquanto durar o estado de calamidade pública, independente da fase do contrato que o estudante financiado se encontra – e ainda prevê a concessão a:
-  estudantes que aderiram à suspensão na resolução anterior;
- estudantes que eram público-alvo da primeira suspensão, mas não aderiram;
- estudantes em situação inadimplente, cujos atrasos nas amortizações devidas até 20 de março de 2020 sejam de no máximo 180 dias. As parcelas em atraso, no entanto, não serão suspensas; 
- estudantes que regularizarem as cotas em atraso até 20/03/2020, ou no prazo de 180 dias antes dessa data. Cabe destacar que, para esses casos, as parcelas vencidas e não quitadas antes do dia 20 de março não são suspensas;
- estudantes sem registro de suspensão de cobrança de parcelas e sem registro de abatimento e carência estendida.

As demais condições permanecem da mesma forma, no que se refere aos efeitos da suspensão:
-  a pausa se dá sobre as parcelas vencidas e não pagas a partir de 20 de março.
-  as prestações que forem pausadas serão incorporadas ao saldo devedor do financiamento, nos termos e condições contratados, incidindo juros contratuais sobre as parcelas suspensas e não juros de mora, ou multa por atraso.
-  o cronograma será alongado na mesma quantidade de prestações pausadas para contratos em fase de amortização.
-  o dia de vencimento das parcelas trimestrais e de amortização não será alterado, permanecendo o mesmo fixado no contrato do estudante.
-  a retomada do fluxo de pagamento ocorrerá a partir do mês seguinte ao término do prazo suspenso, mantido o cronograma de vencimento das demais parcelas trimestrais (março, junho, setembro e dezembro).

A legislação ainda prevê um programa de renegociação – Programa Especial de Regularização do FIES, em fase de regulamentação pelo FNDE/MEC. 

Para quem optar por procurar o atendimento presencial, o BB informa que, durante a pandemia da Covid-19, as agências atendem em contingenciamento e triagem para o acesso às salas de autoatendimento, com a autorização de acesso limitada à capacidade do espaço disponível em cada unidade.

Fonte: Banco do Brasil - Diretoria de Marketing e Comunicação



Plano preliminar de vacinação contra a Covid-19 prevê quatro fases

Em reunião técnica nesta terça-feira (01), Ministério da Saúde informou que grupos prioritários receberão as doses conforme logística de recebimento e distribuição.


Casos de Aids diminuem no Brasil

Boletim Epidemiológico sobre a doença aponta queda na taxa de detecção de Aids no país desde 2012


Saúde libera R$ 432 milhões para implantação do Prontuário Eletrônico nos postos de saúde

Digitalização dos dados de saúde facilita o acompanhamento dos pacientes que buscam atendimento no SUS.


Saúde abre consulta pública sobre o tratamento da psoríase

Contribuições, opiniões, sugestões ou críticas já podem ser enviadas.


Saúde lança guia com orientações para atendimento odontológico durante a pandemia da Covid-19

Documento faz parte de uma série de ações do Ministério da Saúde para reorganização da atenção em saúde bucal no SUS.


Saúde amplia recursos para atendimento às populações ribeirinhas

Saúde amplia recursos para atendimento às populações ribeirinhas.


Ministério da Saúde prorroga período de atuação de médicos nos municípios

Medida vale para profissionais formados em instituições brasileiras ou com diploma revalidado no Brasil e intercambistas.


Atualização do cadastro de doadores de medula dobrou durante a pandemia

Número em outubro chegou a 10 mil atualizações, o dobro do ocorrido em agosto.


Brasil registra 5.064.344 de pessoas recuperadas

Número é superior à quantidade de casos ativos, ou seja, pessoas que estão em acompanhamento médico.


Governo Federal já distribuiu mais de 300 milhões em EPI

O uso dos equipamentos é essencial para manter a segurança e evitar riscos que ameaçam a saúde dos profissionais de saúde.


R$25 bilhões em crédito são liberados pela Caixa para micro e pequenas empresas

Possibilidade de modernizar processos internos através de investimentos tende a melhorar o desempenho dos negócios.

R$25 bilhões em crédito são liberados pela Caixa para micro e pequenas empresas

SUS oferece gratuitamente órteses e próteses sob medida

Iniciativa visa aumentar a autonomia e qualidade de vida da pessoa com deficiência física no desempenho das atividades do dia a dia.