Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Não confunda as alergias de outono com os sintomas do coronavírus

Não confunda as alergias de outono com os sintomas do coronavírus

25/03/2020 Divulgação

No outono, o ar tende a ficar mais seco, ocasionando sintomas como espirros, coriza, obstrução nasal, coceiras no nariz, ouvido, garganta, tosse e falta de ar.

Por isso, é muito importante estar atento e não confundir esses sintomas com os do Coronavírus, já que este pode provocar febre alta também.

Alergia não provoca febre! É o alerta a Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (ASBAI). Rinite e asma são as doenças mais comuns nessa época do ano. Isso porque o ar seco e frio age nas vias respiratórias como um irritante e, no caso das alergias, as vias aéreas que já estão inflamadas, ao entrar em contato com o ar seco e frio, manifestam sintomas respiratórios.

O tratamento é individual, orientado pelo médico especialista e, geralmente, baseado em anti-histamínicos com ou sem descongestionantes, broncodilatadores e corticoides. A ASBAI alerta que todos esses medicamentos têm efeitos colaterais em potencial, de forma que é desaconselhado a automedicação.

Assim como recomendando para frear o coronavírus, para prevenir as alergias do Outono, orienta-se evitar locais fechados, grandes aglomerações, lavar as mãos com frequência, usar álcool gel, vacinar-se contra a gripe e fazer o controle ambiental.

Fonte: Gengibre Comunicação



Saúde recebe 1,2 milhão de doses de Astrazeneca

Imunizantes foram entregues nesta sexta (3) ao PNI.


Variante Ômicron: Brasil dá resposta rápida em vigilância e monitoramento

Ministério da Saúde está atento e acompanha cenário epidemiológico.


Fhemig abre novas vagas temporárias para BH e Patos de Minas

Fundação busca recreador educacional, médicos e técnico em contabilidade.


Brasil registra a maior queda na média móvel de óbitos por Covid-19 desde o início da pandemia

Com queda de 31,24% nos últimos 14 dias, média móvel de óbitos pela doença segue na faixa de 200 por sete dias consecutivos.


Mais 1 milhão de doses da Pfizer desembarcaram no país neste domingo

O Brasil recebeu mais um voo com vacinas Covid-19.


Mais de 230 milhões de doses já foram aplicadas nos braços dos brasileiros

144,3 milhões de pessoas receberam a primeira dose da vacina Covid-19 e outras 86 milhões concluíram o esquema vacinal.


Ministério da Saúde distribui mais de 22 milhões de vacinas Covid-19 em sete dias

Com a conclusão do envio para primeira dose da população adulta, vacinas são destinadas para novas etapas da campanha e para completar o ciclo vacinal da população.


70 milhões de brasileiros já tomaram as duas doses ou a dose única da vacina

Número representa quase 44% da população adulta do país.


O Brasil está entre os quatro países que mais vacinam a população

Ampla adesão da população ao programa de imunizações ajuda o Governo Federal a colocar fim no caráter pandêmico da Covid-19; número soma as doses 1 e 2 das vacinas.


Brasil registra menor média móvel de mortes pela Covid-19 desde 5 de janeiro

Índice está em queda desde junho deste ano; mais de 81% da população adulta já receberam a primeira dose da vacina.


Brasil atinge mais de 190 milhões de doses de vacinas Covid-19 aplicadas

Números somam as primeiras, segundas e doses únicas já no braço da população brasileira.


Mais de 1 milhão de adolescentes de 12 a 17 anos já foram vacinados contra a Covid

Orientação é que a imunização dos adolescentes só seja iniciada depois que os municípios aplicarem a primeira dose em toda a população adulta.