Portal O Debate
Grupo WhatsApp


1903: Patenteada a casquinha de sorvete

1903: Patenteada a casquinha de sorvete

17/12/2008 Divulgação

No dia 13 de dezembro de 1903, um imigrante italiano nos Estados Unidos patenteou um wafer sobre o qual vendia sorvete. A casquinha de sorvete enrolada, como a conhecemos hoje, surgiu mais tarde.

O imperador romano Nero já era tão fascinado por delícias geladas que seus escravos tinham que trazer gelo dos Alpes italianos. O gelo era então saboreado com purê de frutas e mel. No século 13, nas suas viagens pelo mundo, Marco Polo aprendeu dos chineses como no inverno produzir sorvete a partir de leite congelado, suco concentrado de frutas, chocolate ou aroma de baunilha. No século 16, um confeiteiro italiano da Sicília descobriu que determinada quantidade de salitre fazia a água congelar. Um século depois, o sorvete italiano começou a conquistar a Europa.

No final do século 18, foi aberta a primeira sorveteria no norte da Alemanha, em Hamburgo. A iniciativa foi de um refugiado francês, que oferecia uma ampla variedade de delícias geladas. Foram os norte-americanos, entretanto, que começaram a sua produção em escala industrial. Em 1850, o comerciante de leite Jacob Fussel abriu uma pequena fábrica de sorvete na Pensilvânia, para não ter que jogar fora o creme que deixava de vender. Já a história dos gelatieri italianos teve seu auge em meados do século 19, na região de Vêneto. O que os Estados Unidos representaram para a indústria, a Itália representou para a gastronomia.

Várias versões para a origem
As primeiras carrocinhas de sorvete eram de vendedores de castanhas e pêras, que ficavam desempregados no verão. Conta a história que eles aprenderam o ofício de um siciliano. Não demorou para que se espalhassem pela Europa. Em 1865, já havia uma carrocinha de sorvete em Viena, dando lugar em seguida à primeira sorveteria. Pelas suas características térmicas e cremosas - muito próprias -, um aspecto muito importante na história do sorvete é a forma como é servido. No princípio, em pratos, depois em taças especiais. Há diferentes versões para o surgimento da prática e ecológica casquinha de sorvete, como a conhecemos hoje.

Uma delas refere-se a Ítalo Marchioni, imigrante italiano nos Estados Unidos, que em 13 de dezembro de 1903 patenteou um wafer criado por ele para servir sorvete. O registro de patente número 746971 valeu-lhe uma estátua em sua terra natal, na italiana Longarone. Ele havia emigrado para a América no final do século 19. No centro de Nova York, começou a vender sorvete de limão num carrinho de mão. Como os pratos fossem pesados de carregar e difíceis de limpar na rua, teria inventado um porta-sorvetes comestível, à base de um wafer redondo enrolado.

Inspiração na zalabia síria
Outra versão para o cone de sorvete é defendida por Mary Lou Menches, professora na Universidade de Illinois. Seu avô, Charles Menches, vendia sorvete num estande na tradicional exposição anual, todos os verões, em Saint Louis. Em julho de 1904, ele queria oferecer um sorvete a uma linda garota, mas não dispunha mais de pratos limpos. Na corrida, ele teria sido auxiliado pelo estande vizinho. Era o imigrante sírio Ernest Hamwi, que oferecia zalabia, uma especialidade da Síria, feita à base de farinha, açúcar, ovos, casca de limão e aroma de baunilha, prensado num ferro especial.

Quando ele ficava bem dourado, era enrolado em forma de cone e enchido com creme de frutas. Charles Manches comprou uma zalabia sem recheio, deixou esfriar e encheu com sorvete. Mais um destes inventos criados pela força da necessidade e que ficou famoso em todo o mundo. Logo que acabou a festa, resolveu industrializar o invento, que fez o maior sucesso nas quermesses seguintes. As provas são guardadas com muito carinho por Mary Lou, que expõe os utensílios na sorveteria da família no Estado norte-americano de Ohio.

Mais informações sobre a Alemanha e a Europa no site www.DW-WORLD.DE/brasil .



Receita de pão de calabresa com erva doce

Dica rápida e fácil da Chef Mari Rezende para seu o lanche da tarde.

Receita de pão de calabresa com erva doce

Três receitas para você salivar

São elas: Tomates Recheados (com atum), um Baked de Batata Doce (de sardinha) e mais uma receita de Penne Colorido, também com atum.

Três receitas para você salivar

Conhece a culinária goiana? Não sabe o que está perdendo…

Publicação digital terá receitas assinadas pela chef Adriana Gomes, que trará versões mais modernas de pratos típicos de Goiás, como o arroz com pequi.

Conhece a culinária goiana? Não sabe o que está perdendo…

Uma receita vapt-vupt para o final de semana

Camarão e bacon trazem sabor para risoto express.

Uma receita vapt-vupt para o final de semana

Livro digital traz receitas de chefs mundialmente renomados para download gratuito

Perspectivas Culinárias é uma série com dois volumes que faz parte do programa de mídia social da Lexus Creates.

Livro digital traz receitas de chefs mundialmente renomados para download gratuito

Aqui em casa só tem pão caseiro. Quer aprender?

Muita gente está fazendo ou aprendendo a fazer pães em casa.

Aqui em casa só tem pão caseiro. Quer aprender?

Vai encarar? Cookie vegano com gotas de chocolate

Esse cookie vegano vai fazer a alegria de quem deseja matar aquela vontade de comer um docinho no final da tarde.

Vai encarar? Cookie vegano com gotas de chocolate

Quer um café da manhã super diferente?

Azeitonas, tomates, pepinos, queijos, ovos. Já pensou em começar o dia assim?

Quer um café da manhã super diferente?

Rocambole de frango com amêndoas: uma receita prá lá de gostosa!

Uma opção saudável e pouco calórica da nutricionista Renata Pigliasco.

Rocambole de frango com amêndoas: uma receita prá lá de gostosa!

Receitas com mangas. Mas você sabe escolher estas frutas?

O consumo da manga pode ser in natura ou render sobremesas, geleias, pratos salgados e sucos.

Receitas com mangas. Mas você sabe escolher estas frutas?

Quem resiste ao Caldo Verde?

Nada como um caldo quentinho para aquecer o inverno que fez questão de dar as caras nos últimos dias.

Quem resiste ao Caldo Verde?

Feijão ao forno com tomates-cereja é dica de receita para almoço ou jantar

De fácil preparo, o prato fica pronto em até 50 minutos e rende oito porções.

Feijão ao forno com tomates-cereja é dica de receita para almoço ou jantar