Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Gilmar Mendes e as “monstruosidades” de Mato Grosso

O belo e pujante Estado de Mato Grosso, evidentemente, não é uma “monstruosidade”.


Como derrubar (ou enquadrar) o poder que nos governa?

Nada mais confortável (para os covardes ou oportunistas) que terceiros tomarem conta do país...


Petrobras: os primeiros políticos implicados seriam…

01. NUNCA ANTES NESTE PAÍS tantos políticos foram implicados num único escândalo: Humberto Costa (senador, PT-PE: teria recebido R$ 1 milhão), Sérgio Guerra (senador, PSDB-PE: R$ 10 milhões), José Jatene (deputado, PP-PR: de 1% a 3% dos contratos superfaturados), Renan Calheiros (senador, PMDB-AL: R$ 400 mil), Gleisi Hoffmann (senadora, PT-PR: R$ 1 milhão) e Eduardo Campos (ex-governador, PSB-PE: R$ 20 milhões).



5 polêmicas sobre a prisão de Richthofen e Abdelmassih

1ª) Suzane pediu para ficar no regime fechado.


Plenário do STF vai julgar subtração de um par de chinelos

A subtração de um par de chinelos (de R$ 16 reais) vai monopolizar, em breve, a atenção dos onze ministros do STF, que têm milhares de questões de constitucionalidade pendentes.


Propina sobe para 8% no Ministério dos Transportes

Meus amigos: diariamente noticia-se o envolvimento de um político ou de um partido com a corrupção (promovida, sobretudo, por construtoras e bancos, que financiam as campanhas eleitorais por meio de "doações" que, na verdade, são "investimentos").



Onde o povo brasileiro prefere colocar a bunda?

José Roberto Torero, no dia 22/10/11, publicou na Folha de S. Paulo a carta de despedida que o Imperador Vespasiano deixou para seu filho Tito (que o sucedeu no trono).


A prosperidade econômica é uma festa, mas nós…

Depois de um período de bom crescimento econômico começamos a nos imaginar membros do clube da prosperidade mundial emergente.


Do “rolezinho” ao desmoronamento do país

O que parecia uma simples brincadeira de jovens marginalizados da periferia (uma simples farra para “catar umas minas” e encontrar uns “parças” - parceiros) já está se convertendo numa grande manifestação nacional.



Mensalão: parlamentar condenado perde o mandato?

A polêmica da perda do mandado se instaurou, sobretudo na mídia, não por falta de regras, sim, por excesso delas. Mas se trata apenas de um conflito aparente de normas, solucionável pelo critério hermenêutico da regra-exceção. Já veremos.


Prisão imediata de réus do mensalão: loucura jurídica

O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, pelo que noticiam (O Globo de 03.12.12., p. 7), deverá pedir ao STF a prisão imediata dos réus condenados no mensalão.


Quem combate lambaris não pega tubarão

O governo do Estado de São Paulo fez uma aposta: enfrentar o crime organizado por meio do combate violento conduzido pela Rota.