Portal O Debate
Grupo WhatsApp

3 erros que os pais cometem ao se referir aos filhos

3 erros que os pais cometem ao se referir aos filhos

01/07/2019 Da Redação

É importante os pais aprimorarem a consciência do discurso usado com os filhos.

3 erros que os pais cometem ao se referir aos filhos

A terapeuta de Transformação Rápida Adriana Lage lista três dos principais erros que pais e familiares cometem ao se referirem aos filhos e como isso interfere na vida futura deles.

De acordo com o Dr. Shad Helmstetter, phd e pesquisador pioneiro em neuroplasticidade na área de auto-fala (self talk), os seres humanos se tornam aquilo que estão programados a acreditar e seus pensamentos os levam ao caminho de uma vida bem-sucedida ou não.  Resultados de estudos e pesquisas no campo da neurociência e da neuroplasticidade têm revolucionado o conceito de como o cérebro humano funciona, impulsionando um novo olhar sobre desenvolvimento pessoal. Uma das pioneiras em pesquisas com crianças, a professora americana Marva Collins, dedicou-se a fazer crianças desprivilegiadas a acreditarem em si mesmas e alcançarem resultados acima da média. Sua história é contada no filme A História de Marva Collins (1981).

Pesquisas como esta mostram que o cérebro muda de acordo com as palavras que as pessoas falam e imagens que criam em suas mentes, formando um mapa mental do que será sua realidade. Ao escolher melhor as palavras e pensamentos, elas transformam essa realidade, ou seja, o que o indivíduo pensa hoje é o retrato do que será amanhã.

Por isso, é importante os pais aprimorarem a consciência do discurso usado com os filhos, que vão formando a definição de si próprios e do mundo uma vez que absorvem o que ouvem dos adultos, repetidamente, ao longo de toda a infância.

 

1. Dar apelidos pejorativos, diminutivos ou rotuladores

“Apelidos imprimem uma imagem real na mente das crianças. Meu piolho, João grandão, “zoiudo” são apenas o início de uma lista interminável de nomes aparentemente carinhosos que pais, avós, padrinhos e tios adotam em algum momento no convívio com os pequenos. Por mais bem-intencionado que o adulto pareça, ele está enviando à mente da criança mensagens inconscientes que remetem a características físicas ou emocionais e que fortemente influenciarão seu comportamento e a sua vida adulta.

Ao tratá-la pelo apelido, ela entende que isso a define. Ao chamá-la de “pingo, caco, ratinho, piolho”, ela cresce acreditando que é “pequena” e não é incomum encontrar adultos fisicamente mignon porque tinham apelidos que aludiam ao tamanho. Na prática de consultório, por exemplo, encontramos mulheres que não conseguem engravidar ou sofrem abortos porque o inconsciente acredita que seu corpo é frágil e não suporta carregar um bebê. Quando elas descobrem essa crença limitante gravada na infância, mudamos sua interpretação emocional e não surpreende meses depois recebermos a notícia do nascimento de seu primeiro filho.

Como melhorar isso: Use diminutivos ou encurtamento do nome, (Rô, de Rodrigo; Quel, de Raquel) e oriente familiares a pararem de usar tais termos”.

 

2. Rotular as crianças mesmo que de brincadeira

“Quantas vezes você visita uma família e o pai ou a mãe diz na frente dos filhos em tom de brincadeira: “esta é o furacão da casa”, “este vai dar trabalho”. Ou então orgulhosamente vangloria “essa aí é o gênio da casa”. No primeiro caso você está instaurando nela a crença de que ela não pode ser controlada e que dará trabalho quando crescer. A mente não sabe diferenciar a verdade e a mentira, o sério e a brincadeira, para ela tudo é presente e real.

No segundo caso, ao apontar um dos filhos como gênio e não se referir aos outros da mesma maneira, estes subentendem que não são inteligentes. E quando essa informação é repetida anos a fio, essas crenças são gravadas no subconsciente, moldando a personalidade do indivíduo. A repetição é uma das técnicas de aprendizado e se você usa as palavras erradas, você cria a realidade errada.

Como melhorar isso: Preste atenção no seu discurso. Use apenas frases motivadoras, elogios e reforços positivos diversificados para todas as crianças da casa (meus filhos são todos inteligentes e alegres, eu tenho orgulho de todos eles) e oriente familiares e amigos sobre este comportamento. Assim, você também ajuda outros adultos a criarem consciência do impacto das frases que usam”.

 

3. Dizer que fulano é igual à mãe/ao pai

“O erro mais comum e o mais limitador de todos, porque ao comparar a criança com um progenitor os pais não dão chances de eles desenvolverem sua personalidade e seu caminho próprios, mesmo se a comparação mencionar uma característica positiva. A mente é literal e leva os filhos a se enxergarem como espelhos dos pais em todos os outros aspectos, negativos também.

Em um momento, a mãe compara a filha ao pai referindo-se ao fato dela ser caseira como o pai, reforçando a crença de que ela é introvertida, tímida e não gosta de socializar. Em outra ocasião, a mãe reclama de algum comportamento do pai ou ele conta alguma dificuldade que está enfrentando na frente da menina e sua mente identifica este traço como sendo seu também, já que automaticamente estabelece a conexão neural com a informação “eu sou igual ao meu pai e eu serei assim quando crescer”.

Ao atingir a fase adulta após passar pela desconstrução da imagem dos pais heróis, a pessoa acaba levando uma vida semelhante a do progenitor, tanto nas conquistas como nas dificuldades e frustrações.

Como melhorar isso: Elimine qualquer tipo de comparação de seu filho com outra pessoa, familiar ou não. Cada ser humano é único, inteiro e perfeito do jeito que é. Construa sua autoestima e autoconfiança todas as manhãs com elogios e frases positivas e peça para ele repetir ludicamente, para ele crescer um adulto programado para o sucesso em todas as searas da vida”.

Fonte: Comuniquese



Brasil ganha solução de transporte para pessoas com deficiência

Com a facilidade dos aplicativos, empresa de serviços e tecnologia lança solução para passageiros com mobilidade reduzida. Iniciativa.

Brasil ganha solução de transporte para pessoas com deficiência

Luta funcional pode queimar até 800 calorias por hora

A atividade física auxilia na coordenação motora, resistência e agilidade. Mistura golpes de Muay Thai, Boxe e Kickboxing com treinamento funcional.

Luta funcional pode queimar até 800 calorias por hora

Hábitos simples podem ser determinantes para uma boa saúde

Especialista dá dicas de como pequenas mudanças de hábitos podem beneficiar a sua saúde.

Hábitos simples podem ser determinantes para uma boa saúde

Mães em jornada dupla: Como ser pai e mãe ao mesmo tempo?

Os dias começam com uma longa lista de afazeres. Acordar antes de todos em casa, preparar o café da manhã, acordar os filhos e prepará-los para a escola, garantir que tudo esteja em seu devido lugar, e só assim, sair para trabalhar e enfrentar o mundo.

Mães em jornada dupla: Como ser pai e mãe ao mesmo tempo?

Como me tornar mais criativo?

Diversos estudos na neurociência já comprovaram que é possível se tornar mais criativo ou inteligente. Tudo depende do quanto nós nos desafiamos.

Como me tornar mais criativo?

Vinho tinto tem substância que ajuda a reduzir estresse, diz estudo

Pesquisadores da Universidade de Buffalo, nos Estados Unidos, afirmam que o composto resveratrol, presente na uva, tem efeito relaxante.

Vinho tinto tem substância que ajuda a reduzir estresse, diz estudo

Caminhos para o sucesso e felicidade

“A felicidade não depende do que você tem ou quem você é. Só depende do que você pensa”.


Os 7 alimentos que ajudam na digestão

Saiba por que alguns alimentos são benéficos para o sistema digestivo e quais devem ser evitados.

Os 7 alimentos que ajudam na digestão

Meu filho não sai do celular, o que fazer?

Brincar na rua, pular corda, soltar pião, jogar bolinha de gude, andar de carrinho de rolimã, soltar pipa.... Ah, as brincadeiras da infância! Que tempo bom!

Meu filho não sai do celular, o que fazer?

Carreira de sucesso e boa qualidade de vida

4 dicas para conciliar carreira de sucesso e boa qualidade de vida.


Produtos naturais impulsiona mercado de cuidados com pele e cabelo

A preocupação com pele e cabelo representa grande parte das compra no mercado de beleza no Brasil.

Produtos naturais impulsiona mercado de cuidados com pele e cabelo

Gosto musical depende da estrutura do cérebro

Pesquisa científica mostra que a emoção causada por diferentes estilos musicais varia de acordo com a composição cerebral

Gosto musical depende da estrutura do cérebro