Portal O Debate
Grupo WhatsApp

A hora é agora

A hora é agora

24/05/2017 Leide Lessa

É importante aceitar mentalmente que agora é a “hora das mulheres”.

A hora é agora

Eu estava almoçando no belo jardim de um restaurante, quando uma senhora perguntou se poderia sentar-se à minha mesa. Disse que sim e continuei trabalhando e almoçando. Mas senti que tínhamos de conversar, mesmo sem saber como ela reagiria. Era a primeira vez que falaria com uma pessoa estranha na cidade suíça de Biel. Para minha surpresa, conversamos por mais de uma hora! Trocamos muitas idéias políticas, mas principalmente espirituais.

Nossa conversa me fez lembrar do que aconteceu com Nabila Rifo, de Coyhauque, Chile, vítima de tentativa de femicídio, lesões e estupro violento. O que aconteceu com Nabila tocou os corações de muitos e “chocou o país”, pela ação tão brutal de seu parceiro, devido ao uso de álcool.

Infelizmente, muitos não sabem que casos como esse ocorrem em vários lugares, e mulheres e crianças sofrem em silêncio, talvez pelo sentimento inconcebível de que talvez mereçam tal castigo, ou porque amem o violador, ou por medo, ou por vergonha de denunciar o agressor e serem expostas ao público.

Tais casos são esquecidos em um mundo desconhecido e disfarçado pelas aparências. Mas, mesmo quando não há justiça humana, ou seja, a punição necessária para o agressor, as vítimas podem encontrar uma solução: a cura mental e emocional para seguir adiante. Isso foi exatamente o que aconteceu com a senhora que conheci em Biel.

Ao trocar idéias sobre a espiritualidade e sua importância para encontrar equilíbrio e paz interior, aquela senhora me contou que era cristã, acreditava em Deus e em algumas partes da Bíblia. O pai, sob a influência de álcool, maltratava muito a ela e a seus irmãos quando pequenos. A mãe não os defendia. Pelo contrário, como o marido a agredia, ela também batia nos filhos.

“Como posso pensar de honrar pais como esses? Não é impossível?” Ela se referia ao Quinto Mandamento bíblico. Expliquei-lhe que a Ciência Cristã ensina que Deus é nosso Pai-Mãe, por isso, pensamos em honrar a Deus. Ela sorriu e disse: “Ah, com isso eu concordo e posso fazê-lo.”

Continuou contando-me a sua história. Quando se tornou maior de idade, saiu de casa, mas o pesadelo da vida com os pais continuava com ela. Até que um dia, talvez por ler algo ou por uma simples mensagem de Deus, veio-lhe o pensamento: “Enquanto você continuar revivendo o passado, estará presa a seus pais. Viva o agora e liberte-se do passado!”

Assim, conseguiu sentir-se livre, e desde essa época, vive o agora; não o passado; não o futuro. Ela teve uma vida normal, com filhos que cresceram saudáveis e estão bem. Seus irmãos também tiveram uma vida bem sucedida, sem dramas.

Ela vive com gratidão e alegria, sentindo que nada pode impedir o seu desenvolvimento.

Todos podemos ter essa atitude em relação à vida.

“Chegou a hora da mulher, com toda a sua doçura e suavidade, bem como com reformas morais e religiosas.” (Não e Sim, p.45:19).

É importante aceitar mentalmente que agora é a “hora das mulheres”. Assim, colaboramos para que mulheres e crianças não sofram como Nabila ou como a senhora que conheci. Elas podem superar as cicatrizes do passado e o sofrimento proveniente do abuso; podem seguir em frente e ajudar a formar um mundo mais justo, igualitário e não-violento.

Deus é o verdadeiro Pai e Mãe de todos nós, homens, mulheres, jovens e crianças; todos criados com a capacidade de viver em harmonia e de controlar impulsos; de expressar sabedoria, respeito e igualdade em tudo o que fazemos.

* Leide Lessa é conferencista e professora de Ciência Cristã. Escreve reflexões sobre a espiritualidade e a vida. E-Mail: [email protected] Twitter: @LeideLessa



Ajuda psicológica traz confiança e aceitação para quem vive com HIV

Pessoas que vivem com o vírus podem apresentar as mesmas angústias e receios.

Ajuda psicológica traz confiança e aceitação para quem vive com HIV

Sempre é tempo para começar a pedalar

Segundo psicóloga, o sistema cognitivo de aprendizado dos adultos é diferente de quando criança, mas é possível desenvolver novas habilidades.

Sempre é tempo para começar a pedalar

O fetiche do cinema e o autismo

O autismo infantil é um assunto que tem dominado a agenda dessa semana.

O fetiche do cinema e o autismo

Por que usar muito a cabeça não é pensar com inteligência ?

O cérebro humano é um órgão incrível, mas, assim como a própria natureza humana ele também é limitado.

Por que usar muito a cabeça não é pensar com inteligência ?

Boca seca é alerta: descubra as causas e saiba como prevenir

Conheça as verdadeiras causas da boca seca.

Boca seca é alerta: descubra as causas e saiba como prevenir

Conheça as verdadeiras causas da boca seca

A xerostomia ou boca seca é mais comum entre os mais idosos.

Conheça as verdadeiras causas da boca seca

O condomínio é responsável por danos aos veículos nas garagens?

O condomínio não tem personalidade jurídica.

O condomínio é responsável por danos aos veículos nas garagens?

Mulheres de 50 anos, o tempo de ser feliz é agora!

Se alguém ainda acredita que uma mulher de 50 anos ou mais está no declínio da sua vida anda meio desinformado.

Mulheres de 50 anos, o tempo de ser feliz é agora!

O futuro é digital e é idoso

O que aprendi com minha mãe de 83 anos durante a pandemia.

O futuro é digital e é idoso

Crianças homenageiam heróis no combate ao Covid-19

Estudantes irão entregar uma faixa aos profissionais de saúde do Hospital Universitário da UEL, em Londrina (PR).

Crianças homenageiam heróis no combate ao Covid-19

Sorrir melhora a autoestima e o humor, promovendo conexão pessoal e bem-estar

Ter autoconfiança na hora de sorrir aumenta a autoestima, gera conexão com outras pessoas, melhora o humor, libera hormônios de bem-estar e pode até promover o rejuvenescimento.

Sorrir melhora a autoestima e o humor, promovendo conexão pessoal e bem-estar

Experiência de vida muda comunicação entre cães e humanos, diz estudo

Animais domésticos têm troca de olhares mais intensa com os donos.

Experiência de vida muda comunicação entre cães e humanos, diz estudo