Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Ansiedade induzida por manchetes? Não se desespere!

Ansiedade induzida por manchetes? Não se desespere!

06/10/2016 Deborah Sherwood

Se acreditarmos em tudo que está nos noticiários, a impressão é de que o mundo está desmoronando.

Ansiedade induzida por manchetes? Não se desespere!

 Poucos são aqueles que são imunes à “ansiedade induzida por manchetes”. Pesquisas e estatísticas mostram que apesar de o mundo estar se transformando há algumas décadas em um lugar mais seguro, saudável e humano, a sociedade percebe o oposto.

Como consultora de relações públicas há um bom tempo, eu precisava consumir notícias e trabalhar junto à mídia. Apesar de ter tido o privilégio de representar clientes íntegros com boas histórias para contar, as notícias negativas que me cercavam acabavam, por diversas vezes, obrigando-me a fazer uma escolha: permitir que essas notícias preocupantes me deixassem angustiada ou encontrar um modo mais saudável e construtivo de processá-las.

Alguns jornalistas publicaram matérias que aumentam a conscientização e dão dicas para ajudar as pessoas a minimizarem o surgimento da ansiedade induzida por manchetes: compreender que a mídia dá destaque aos extremos; evitar notícias que tratam de questões sensíveis para você; encontrar fontes de notícias positivas; selecionar as notícias.

Apesar de tudo isso ser conhecimento prático, a magnitude do que vemos e ouvimos sobre o mundo clama por medidas mais duradouras e reforçadas.

Os efeitos potencialmente prejudiciais de notícias sensacionalistas foram identificados no começo dos anos 1900 pela pensadora religiosa e visionária Mary Baker Eddy. Ela escreveu que ao folhearmos os jornais, podemos ter a impressão de que é perigoso viver, porque parece que até o ar está carregado de doenças. Sua resposta para isso foi fundar um jornal para ter um impacto de cura no mundo e deu início ao The Christian Science Monitor, uma publicação internacional não religiosa, cujo objetivo é “não prejudicar ninguém, mas abençoar toda a humanidade.”

Eddy discordou do pressuposto que rege as notícias sensacionalistas – de que o mal está superando o bem no mundo. Com base em sua vasta pesquisa da Bíblia e da sua prática bem-sucedida da cura espiritual, ela estava convencida de que o bem divino é supremo e de que através da oração podemos ver e vivenciar o estado divino das coisas aqui e agora.

Concordo com Eddy, e luto contra a ansiedade e o desespero, mantendo-me em harmonia com todo o bem em volta de mim, que representa uma imagem mais equilibrada do mundo. A partir desse estado mental, sinto-me me em uma posição sólida para oferecer uma visão mais esperançosa e encorajadora aos outros.

Do mesmo modo que “a maré alta levanta todos os barcos”, um estado mental coletivo que rejeita o pessimismo, desespero e fatalismo, substituindo-os pela confiança de que o poder de Deus prevalece, possui o poder de cultivar e estimular ainda mais a paz, a irmandade e a felicidade.

* Deborah Sherwood escreve artigos sobre saúde como Comitê de Publicação da Ciência Cristã para o estado do Missouri, USA. Contato no Brasil: brasil@csompub.org.



Resiliência humana: saiba como desenvolver

Resiliência humana é uma habilidade que permite responder, de forma intuitiva, à extrema adversidade ou estresse agudo observado ao longo da vida.


Prática de exercícios físicos exige cuidados no verão

Veja algumas dicas para aproveitar sem sofrer prejuízos com o calor.

Prática de exercícios físicos exige cuidados no verão

Campanha da GOL e Faber Castell incentiva a doação de materiais escolares nas aeronaves

A campanha é uma iniciativa do Instituto GOL, núcleo de responsabilidade social da empresa.

Campanha da GOL e Faber Castell incentiva a doação de materiais escolares nas aeronaves

Imagens de sofrimento deixam de ser foco em campanhas de doação no Brasil

Estratégias como a do aplicativo Ribon baniram qualquer foto de dor e miséria e passaram a ganhar cada vez mais adeptos

Imagens de sofrimento deixam de ser foco em campanhas de doação no Brasil

Como nasceu a Cesta de Natal

Com a proximidade do final do ano as empresas e as famílias começam a se preparar para as festas e comemorações do Natal e Réveillon.

Como nasceu a Cesta de Natal

O que é permitido nas festas de fim de ano em condomínios?

A vida em condomínio exige regras de convivência que valem para pessoas com hábitos diferentes, por dividirem o mesmo espaço comum.

O que é permitido nas festas de fim de ano em condomínios?

Expectativa de vida aumenta mais de três meses e chega a 76,3 anos

Dados são da Tábua Completa de Mortalidade para o Brasil do IBGE.

Expectativa de vida aumenta mais de três meses e chega a 76,3 anos

Impactos dos exercícios físicos durante e depois da gravidez

Treinos devem ser liberados pelo médico e acompanhados por um profissional de Educação Física

Impactos dos exercícios físicos durante e depois da gravidez

Não emagreça para o verão!

Confira dicas para manter o shape em forma o ano todo.

Não emagreça para o verão!

Como estimular as crianças à uma boa alimentação

Situações simples do dia a dia podem ser aproveitadas para a educação alimentar.

Como estimular as crianças à uma boa alimentação

Dormir mais no final de semana recupera as noites perdidas?

Mudar hábitos é mais eficaz do que ficar mais tempo na cama no sábado e domingo.

Dormir mais no final de semana recupera as noites perdidas?

O que as três cidades mais inteligentes do País têm em comum?

Entenda porque Campinas, São Paulo e Curitiba merecem esse título.

O que as três cidades mais inteligentes do País têm em comum?