Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Ansiedade induzida por manchetes? Não se desespere!

Ansiedade induzida por manchetes? Não se desespere!

06/10/2016 Deborah Sherwood

Se acreditarmos em tudo que está nos noticiários, a impressão é de que o mundo está desmoronando.

Ansiedade induzida por manchetes? Não se desespere!

 Poucos são aqueles que são imunes à “ansiedade induzida por manchetes”. Pesquisas e estatísticas mostram que apesar de o mundo estar se transformando há algumas décadas em um lugar mais seguro, saudável e humano, a sociedade percebe o oposto.

Como consultora de relações públicas há um bom tempo, eu precisava consumir notícias e trabalhar junto à mídia. Apesar de ter tido o privilégio de representar clientes íntegros com boas histórias para contar, as notícias negativas que me cercavam acabavam, por diversas vezes, obrigando-me a fazer uma escolha: permitir que essas notícias preocupantes me deixassem angustiada ou encontrar um modo mais saudável e construtivo de processá-las.

Alguns jornalistas publicaram matérias que aumentam a conscientização e dão dicas para ajudar as pessoas a minimizarem o surgimento da ansiedade induzida por manchetes: compreender que a mídia dá destaque aos extremos; evitar notícias que tratam de questões sensíveis para você; encontrar fontes de notícias positivas; selecionar as notícias.

Apesar de tudo isso ser conhecimento prático, a magnitude do que vemos e ouvimos sobre o mundo clama por medidas mais duradouras e reforçadas.

Os efeitos potencialmente prejudiciais de notícias sensacionalistas foram identificados no começo dos anos 1900 pela pensadora religiosa e visionária Mary Baker Eddy. Ela escreveu que ao folhearmos os jornais, podemos ter a impressão de que é perigoso viver, porque parece que até o ar está carregado de doenças. Sua resposta para isso foi fundar um jornal para ter um impacto de cura no mundo e deu início ao The Christian Science Monitor, uma publicação internacional não religiosa, cujo objetivo é “não prejudicar ninguém, mas abençoar toda a humanidade.”

Eddy discordou do pressuposto que rege as notícias sensacionalistas – de que o mal está superando o bem no mundo. Com base em sua vasta pesquisa da Bíblia e da sua prática bem-sucedida da cura espiritual, ela estava convencida de que o bem divino é supremo e de que através da oração podemos ver e vivenciar o estado divino das coisas aqui e agora.

Concordo com Eddy, e luto contra a ansiedade e o desespero, mantendo-me em harmonia com todo o bem em volta de mim, que representa uma imagem mais equilibrada do mundo. A partir desse estado mental, sinto-me me em uma posição sólida para oferecer uma visão mais esperançosa e encorajadora aos outros.

Do mesmo modo que “a maré alta levanta todos os barcos”, um estado mental coletivo que rejeita o pessimismo, desespero e fatalismo, substituindo-os pela confiança de que o poder de Deus prevalece, possui o poder de cultivar e estimular ainda mais a paz, a irmandade e a felicidade.

* Deborah Sherwood escreve artigos sobre saúde como Comitê de Publicação da Ciência Cristã para o estado do Missouri, USA. Contato no Brasil: brasil@csompub.org.



Somos protagonistas da nossa realidade

Uma vida bem-sucedida envolve você estar feliz e em paz em todas as áreas: saúde, relacionamentos, profissão.


Violência contra mulher cresce no período de quarentena

Consequências deste cenário podem levar ao feminicídio, doenças associadas à infecção pelo HIV e suicídio.

Violência contra mulher cresce no período de quarentena

Os desafios das gestantes na pandemia

Estamos vivenciando algo inédito para a geração atual, mas não tão estranho para quem viveu outras doenças com poucos recursos.

Os desafios das gestantes na pandemia

O poder que você tem

Realizar os seus objetivos não é tão difícil assim.

O poder que você tem

As regras para a retomada dos condomínios comerciais

Neste momento de relaxamento da quarentena, cada condomínio tem autonomia para criar suas próprias regras de flexibilização da quarentena.


As máscaras ajudam ou atrapalham na hora do exercício físico?

A adoção do distanciamento social/físico a prática de atividade física foi reduzida.

As máscaras ajudam ou atrapalham na hora do exercício físico?

Respire, pense e alivie o estresse

Medo, ansiedade, raiva, estresse, preocupação, incertezas, angústia, tristeza, insegurança, perda de liberdade.


A atividade física na terceira idade

O esporte na terceira idade traz inúmeros benefícios.

A atividade física na terceira idade

Reiki pode auxiliar nos sentimentos de medo e ansiedade

O Reiki é uma das 29 práticas reconhecidas pelo Sistema Único de Saúde.

Reiki pode auxiliar nos sentimentos de medo e ansiedade

Bebida alcoólica engorda? Como o álcool interfere na rotina de quem quer emagrecer

Médico explica o porquê de as bebidas alcoólicas atrapalharem no processo de perda de peso e desaceleração do metabolismo.

Bebida alcoólica engorda? Como o álcool interfere na rotina de quem quer emagrecer

Festas juninas: tradição interrompida e novas ideias para não passar em branco

7 Dicas para economizar em casa e ainda ganhar uma graninha extra

Para evitar o atropelo nas contas e se organizar melhor com as finanças, especialistas indicam algumas ações que podem ser adotadas no nosso dia a dia.

7 Dicas para economizar em casa e ainda ganhar uma graninha extra