Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Brincar na natureza é essencial para o desenvolvimento das crianças

Brincar na natureza é essencial para o desenvolvimento das crianças

13/10/2020 Divulgação

Pesquisas mostram que a falta de contato com ambientes naturais pode levar a problemas de saúde e aprendizado na infância e adolescência.

Brincar na natureza é essencial para o desenvolvimento das crianças

Incentivar o contato com a natureza desde cedo é essencial para o melhor desenvolvimento das crianças. Pesquisas mostram que a falta de oportunidades de brincar e aprender junto aos ambientes naturais está relacionada a problemas como obesidade, baixo rendimento escolar, miopia, baixa autoestima e falta de equilíbrio e habilidade física. De acordo com um estudo da University College London, com alunos da rede primária, 79% das crianças que participaram de experimento ao ar livre relataram sentirem-se mais confiantes nelas mesmas. Além disso, cerca de 80% concordaram que o contato com a natureza os ajudava a ter uma relação melhor com professores e colegas.

“A pandemia do coronavírus impôs um nível de isolamento social nunca antes visto, afastando as pessoas da natureza. É essencial que essa conexão seja retomada, fortalecida e, no caso das crianças, estimulada desde cedo, por meio de atividades e brincadeiras”, explica a coordenadora de Comunicação e Engajamento da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza, Melissa Barbosa, reforçando a importância dessa conexão para que meninos e meninas também valorizem a natureza e compreendam a importância de protegê-la.

Em 2019, o Instituto Alana e a Sociedade Brasileira de Pediatria lançaram um manual com dicas de atividades para crianças, adolescentes, famílias, educadores e pediatras. “Apesar de o bom senso e a experiência na clínica pediátrica reconhecerem os benefícios que a criança e o adolescente obtêm através do brincar e das atividades de lazer e aprendizado ao ar livre, em contato com a natureza, o fato é que em contextos urbanos eles têm cada dia menos oportunidades de usufruir desse direito universal”, alerta a publicação, coordenada pela membro da Rede de Especialistas em Conservação da Natureza (RECN) e coordenadora do programa Criança e Natureza do Instituto Alana, Laís Fleury.

Entre as ações recomendadas pelo manual estão: estimular as crianças a explorar e conhecer seus bairros, fazer fora de casa as atividades que se costuma fazer dentro, organizar encontros e festas ao ar livre, cultivar plantas e hortas, dar preferências a destinos naturais durante as férias escolares e oferecer livros e revistas sobre natureza às crianças e adolescentes. “Os livros podem inspirar o amor e a curiosidade pela vida lá fora, ao ar livre. Exemplo: guias de campo sobre as aves e plantas, livros sobre aventuras na natureza e sobre sua beleza inspiradora”, diz a publicação.

“A literatura e demais manifestações artísticas também fazem parte do processo de construção de uma cultura voltada para o cuidado com a natureza e a biodiversidade”, diz Melissa. Ela destaca como exemplo a coleção “Meu Ambiente”, lançada digitalmente neste ano pela Fundação Grupo Boticário. Contendo nove livros paradidáticos – do primeiro ao último ano do ensino fundamental – e com referencial teórico, a coleção ajuda professores e alunos a trabalharem assuntos de maneira transversal com outras disciplinas.

Fonte: Fundação Grupo Boticário e Tamer Comunicação



Mãe: Florescer é não se esquecer de viver!

Tenho experimentado que o “traço de mãe”, plantado por Deus no coração de cada mulher que Ele criou, vai além da capacidade de gerar filhos, biologicamente.

Mãe: Florescer é não se esquecer de viver!

Bullying: da vítima ao espectador

O bullying é um tipo particular de violência, caracterizado por agressões sistemáticas, repetitivas e intencionais, contra um ou mais indivíduos que se encontram em desigualdade de poder, gerando sofrimento para as vítimas, agressores e comunidade.


Minas mobiliza população para receber proteção contra sarampo e gripe

Ações para estimular a vacinação ocorrem em todo o estado, pois coberturas contra o sarampo e a gripe continuam baixas.

Minas mobiliza população para receber proteção contra sarampo e gripe

A esperança é o combustível da vida

A esperança corresponde à aspiração de felicidade existente no coração de cada pessoa.

A esperança é o combustível da vida

Amar a si mesmo como próximo

No documentário “Heal” (em Português, “Cura”), disponível no Amazon Prime, há um depoimento lancinante de Anita Moorjani, que, em Fevereiro de 2006 chegou ao final de uma luta de quatro anos contra o câncer.


O peso da improbidade no destino das pessoas

O homem já em tempos pré-históricos se reunia em volta das fogueiras onde foi aperfeiçoada a linguagem humana.


Terapia de estimulação cerebral profunda pode reduzir até 80% dos tremores causados pelo Parkinson

A cirurgia é um recurso muito importante e deve ser considerada para alguns pacientes.

Terapia de estimulação cerebral profunda pode reduzir até 80% dos tremores causados pelo Parkinson

A educação é o caminho da liberdade

O atendimento socioeducativo ao adolescente em conflito com a lei é um desafio e necessita de um olhar resiliente e reflexivo, visto que é considerado um momento oportuno de mudanças.


O Influenza também está no nosso foco

Falar em vacinação nos dias de hoje nos tende a remeter quase que exclusivamente ao combate à Covid-19.

O Influenza também está no nosso foco

A nova era da Telemedicina no Brasil

Alguns números atestam que as consultas virtuais estão sendo utilizadas cada vez mais no país.

A nova era da Telemedicina no Brasil

Para onde foram os nutrientes que estavam aqui?

A maioria das culturas vegetais são produzidas com a ajuda de solos fertilizados. O alto uso de fertilizantes nitrogenados tende a reduzir o teor de vitamina C em muitas frutas e hortaliças.


Transtornos psiquiátricos catalisados pelo luto de vítimas de COVID-19

Médico psiquiatra comenta a situação exclusiva de pessoas que perderam parentes queridos durante a pandemia. A ansiedade e o transtorno de humor são os mais prevalentes nesses casos.

Transtornos psiquiátricos catalisados pelo luto de vítimas de COVID-19