Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Como se preparar bem para o Natal em tempo de pandemia?

Como se preparar bem para o Natal em tempo de pandemia?

05/12/2020 Padre Anderson Marçal Moreira

E como viver este mistério, que nos prepara para o Natal, em tempo de pandemia?

Como se preparar bem para o Natal em tempo de pandemia?

O Advento tem seu próprio e rico conteúdo teológico; considera, de fato, todo o mistério da vinda do Senhor na história até sua conclusão. Os diferentes aspectos do mistério se lembram e se fundem em uma unidade admirável. O advento recorda, em primeiro lugar, a dimensão sacramental histórica da salvação. O Deus do Advento é o Deus da história, o Deus que veio plenamente para a salvação do homem em Jesus de Nazaré, em quem se revela o rosto do Pai (Jo 14,9).

A dimensão histórica da revelação recorda a concretude da salvação plena do homem, do homem todo, de todos os homens, portanto o vínculo intrínseco entre evangelização e promoção humana. O Advento é o tempo litúrgico em que a dimensão escatológica do mistério cristão é fortemente realçada. Deus nos reservou para a salvação (1Ts 5,9), mas é uma herança que só se revelará no fim dos tempos (1 Pd 1,5).

A história é o lugar do cumprimento das promessas de Deus e está orientada para o dia do Senhor (1 Cor 1,8; 5,5). Cristo veio em nossa carne e, após a morte, se manifestou e se revelou aos apóstolos e às testemunhas eleitas por Deus ressuscitadas (Atos 10,40 42), e aparecerá glorioso no fim dos tempos (Atos 1, 11). A igreja, em sua peregrinação terrena, vive continuamente a “tensão” da salvação já realizada em Cristo, de sua não realização ainda em nós e a sua plena manifestação no retorno glorioso do Senhor juiz e salvador.

Sobre a espiritualidade deste tempo litúrgico, podemos dizer: A comunidade cristã, com a liturgia do Advento, é chamada a viver algumas atitudes essenciais à expressão evangélica da vida: expectativa vigilante e alegre, esperança, conversão. A atitude de espera caracteriza a Igreja e o cristão, porque o Deus da revelação é o Deus da promessa que em Cristo manifestou ao homem toda a sua fidelidade (2 Cor 1, 20). Durante o Advento, a Igreja não faz o papel dos judeus que esperavam o Messias prometido, mas vive a expectativa de Israel em níveis de realidade, e de manifestação definitiva dessa realidade, que é Cristo. Agora vemos “como num espelho”, mas chegará o dia em que nos veremos face a face (1 Cor 13,12). A igreja vive essa expectativa com vigilância e alegria. Por isso reza: “Maranatha: Vem, Senhor Jesus” (Ap 22,17.20).

E como viver este mistério, que nos prepara para o Natal, em tempo de pandemia? Primeiramente, precisamos sempre recordar que o festejado no Natal, o Menino Deus, é quem nos une no amor, e não apenas na proximidade física, pois podemos estar próximos fisicamente, mas  longe no coração. E com isso, neste ano, temos a oportunidade de viver um Advento e um Natal diferentes de todos os outros que já passamos.

Perguntemos ao nosso coração, se ele foi um presépio para aqueles que sofreram suas perdas durante este ano; se ele foi um presépio para nossos familiares e amigos; se ele foi um presépio para aqueles que encontramos pelas ruas sem um teto para morar; se ele foi abrigo para quem precisou.

Se a resposta for “sim”, então podemos dizer que vivemos o Natal durante todo este ano. Se a resposta for não, ainda não sabemos o que é o Natal e, por isso, só estamos preocupados com a festa e a ceia natalina. Natal é hoje, pois quando permitimos que Jesus nasça em nosso coração, acontece o milagre do Natal!

* Padre Anderson Marçal Moreira é membro da Comunidade Canção Nova, doutor em Teologia Pastoral Bíblica e Litúrgica. Atualmente está à frente da Paróquia Santa Cândida, em São Paulo (SP).

Fonte: Fundação João Paulo II / Canção Nova



Minas mobiliza população para receber proteção contra sarampo e gripe

Ações para estimular a vacinação ocorrem em todo o estado, pois coberturas contra o sarampo e a gripe continuam baixas.

Minas mobiliza população para receber proteção contra sarampo e gripe

A esperança é o combustível da vida

A esperança corresponde à aspiração de felicidade existente no coração de cada pessoa.

A esperança é o combustível da vida

Amar a si mesmo como próximo

No documentário “Heal” (em Português, “Cura”), disponível no Amazon Prime, há um depoimento lancinante de Anita Moorjani, que, em Fevereiro de 2006 chegou ao final de uma luta de quatro anos contra o câncer.


O peso da improbidade no destino das pessoas

O homem já em tempos pré-históricos se reunia em volta das fogueiras onde foi aperfeiçoada a linguagem humana.


Terapia de estimulação cerebral profunda pode reduzir até 80% dos tremores causados pelo Parkinson

A cirurgia é um recurso muito importante e deve ser considerada para alguns pacientes.

Terapia de estimulação cerebral profunda pode reduzir até 80% dos tremores causados pelo Parkinson

A educação é o caminho da liberdade

O atendimento socioeducativo ao adolescente em conflito com a lei é um desafio e necessita de um olhar resiliente e reflexivo, visto que é considerado um momento oportuno de mudanças.


O Influenza também está no nosso foco

Falar em vacinação nos dias de hoje nos tende a remeter quase que exclusivamente ao combate à Covid-19.

O Influenza também está no nosso foco

A nova era da Telemedicina no Brasil

Alguns números atestam que as consultas virtuais estão sendo utilizadas cada vez mais no país.

A nova era da Telemedicina no Brasil

Para onde foram os nutrientes que estavam aqui?

A maioria das culturas vegetais são produzidas com a ajuda de solos fertilizados. O alto uso de fertilizantes nitrogenados tende a reduzir o teor de vitamina C em muitas frutas e hortaliças.


Transtornos psiquiátricos catalisados pelo luto de vítimas de COVID-19

Médico psiquiatra comenta a situação exclusiva de pessoas que perderam parentes queridos durante a pandemia. A ansiedade e o transtorno de humor são os mais prevalentes nesses casos.

Transtornos psiquiátricos catalisados pelo luto de vítimas de COVID-19

Pesadelo na hora do sono: apneia atinge 70 milhões de brasileiros

Por muito tempo o hábito de roncar tem sido visto como motivo de chacota ou algo corriqueiro.

Pesadelo na hora do sono: apneia atinge 70 milhões de brasileiros

Qual é o melhor presente do dia das mães?

O mês de maio é reconhecido como o mês das mães em vários lugares do mundo.

Qual é o melhor presente do dia das mães?