Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Covid-19 pode desenvolver perda de cabelo?

Covid-19 pode desenvolver perda de cabelo?

12/04/2021 Divulgação

Queixa é comum de pacientes após infecção. Fátima Tubini, especialista em dermatologia, explica possíveis relações.

Covid-19 pode desenvolver perda de cabelo?

É comum dúvidas sobre os cuidados que devem ter com os cabelos, se devem cortar ou deixá-los presos, em razão da pandemia. Para a população em geral, ainda não existem estudos que comprovem efeitos diretos do Coronavírus sobre os cabelos.

Diversas pessoas relatam a perda de cabelo após terem sido infectadas pelo Covid-19, mas o que muitos querem saber é se a doença desenvolve ou não a queda. Porém, até o momento, não existem estudos concluídos para responder à pergunta ou esclarecer os motivos desse fato.

Com a pandemia mais acelerada, a dermatologista Fátima notou um aumento de pacientes pós-covid na busca por tratamentos capilares. “Existia um número recorrente de pacientes que já tratavam perda capilar, tanto homens quanto mulheres, predominando as mulheres. Mas hoje, o número de pacientes que procuram tratamento por causa dessa perda com relação à doença causada pelo coronavírus, aumentou e vem se tornando frequente”, revela.

Devido a fata de resultados científicos, a perda de cabelo que acontece pós-covid ainda é um mistério. Estudos preliminares feitos por pesquisadores dos Estados Unidos, México e Suécia estima-se que essa condição aparece em 25% dos pacientes com covid longa.

Com à falta de informação, a dermatologista ressalta que diversas hipóteses também são motivo da queda de cabelo. Mas muitas dessas perdas correspondem com doenças que já são conhecidas, como:

- Alopecia que abrange a repentina perda de cabelo do couro cabeludo e que pode ocorrer em homens e mulheres de todas as idades. “A doença faz com que o cabelo caia em grandes quantidades e em determinadas áreas, deixando visível o couro cabeludo. Inúmeros fatores estão envolvidos com o desenvolvimento dessa doença, como fatores emocionais, traumas físicos e quadros infecciosos que também podem desencadear ou agravar o quadro”, ressalta a especialista.

- Eflúvio telógeno: Uma condição que está associada a eventos que podem acontecer a três meses antes da queda, esse é o tempo para a doença se “preparar” e começar a desenvolver a queda. “Os eventos mais associados à queda são: pós-parto, febre, infecção aguda, sinusite, pneumonia, gripe, entre outros”, revela Tubini.

“Nestes dois casos temos situações que podem remeter a pandemia e a própria infecção do Covid-19, que, atualmente estão sendo os casos que mais aparecem em meu com consultório”, explica a especialista.

Para mais informações sobre cabelo clique aqui.

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Fonte: A Fonte Comunica



Brasil é a sociedade mais ansiosa do mundo

Estudo do Dr Fabiano de Abreu, feito na Logos University International, publicado pelo Brazilian Journal of Development, busca explicar e solucionar o problema.

Brasil é a sociedade mais ansiosa do mundo

Cuide do seu bebê: mantenha a saúde bucal em dia

Manter a escovação em dia e usar o fio dental são procedimentos essenciais.

Cuide do seu bebê: mantenha a saúde bucal em dia

Encurtamento muscular: o lado ruim do home office

Dores e redução da amplitude de movimento são os principais sinais de que seus músculos estão encurtados.

Encurtamento muscular: o lado ruim do home office

Brincar é coisa séria!

Falar sobre a importância do brincar no Dia das Crianças pode parecer algo comum, mas é um assunto de grande relevância na vida dos pequenos e de seus familiares.

Brincar é coisa séria!

Diversidade cerebral da criança: dificuldades de aprendizagem

Uma coisa é certa: não há dois cérebros iguais no mundo.

Diversidade cerebral da criança: dificuldades de aprendizagem

O sorriso envelhece, mas pode ser mais tarde

A gengiva pode sofrer recessão, que é a exposição da raiz, ou inflamações decorrentes de doenças periodontais.

O sorriso envelhece, mas pode ser mais tarde

Após quase morrer de câncer, a solidariedade

Em março de 2016, quando estava com 35 anos, descobri o câncer de mama.

Após quase morrer de câncer, a solidariedade

Temos uma Mãe!

Assim como o mês de maio, outubro também é um mês dedicado a Maria.

Temos uma Mãe!

Sorriso nos olhos é cartão de visita no retorno presencial ao trabalho

Quem não gosta de ser recebido em um ambiente profissional com um sorriso largo dos colegas?

Sorriso nos olhos é cartão de visita no retorno presencial ao trabalho

Brincar é coisa séria!

A brincadeira é fundamental para o desenvolvimento emocional, cognitivo e social da criança.

Brincar é coisa séria!

Açúcar: O grande vilão da boca das crianças

O consumo excessivo de açúcar e a má escovação podem levar ao aparecimento de cáries.

Açúcar: O grande vilão da boca das crianças

Estudo mostra que longevidade está ligada à prática de exercícios

Pessoas obesas e sedentárias que começam a se exercitar podem diminuir o risco de morte prematura em 30% ou mais.

Estudo mostra que longevidade está ligada à prática de exercícios