Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Melhores bairros de São Paulo para idosos

Melhores bairros de São Paulo para idosos

18/04/2020 Divulgação

São Paulo tem mais de um milhão e setecentas mil pessoas com idade superior a 60 anos, totalizando aproximadamente 12% de sua população.

Melhores bairros de São Paulo para idosos

A terceira idade, também chamada de melhor idade, precisa de cuidados especiais na hora de escolher um local para comprar um apartamento em São Paulo. Calçadas com buracos, falta de opções de lazer, barulho e outros pontos podem gerar não só desconfortos, mas atrapalhar a qualidade de vida desse grupo. No entanto, alguns bairros possuem lá as suas vantagens e são considerados os mais adequados para quem busca comprar apartamento para idosos.

São Paulo tem mais de um milhão e setecentas mil pessoas com idade superior a 60 anos, totalizando aproximadamente 12% de sua população. Segundo projeções da Fundação Seade (Sistema Estadual de Análise de Dados), a proporção de idosos na capital paulista saltará para 20% até 2030.

O envelhecimento e a urbanização são tendências mundiais. Para ocorrer um processo de envelhecimento ativo, é necessário assegurar a autonomia e a independência dos idosos, de acordo com a gerontóloga Gabrielli Lunardelli, graduada pela Universidade de São Paulo. “Os bairros precisam ser amigáveis, ou seja, não se resumir apenas a aspectos relacionados à mobilidade. Devem estar adaptados: sem obstáculos, transporte público de qualidade, segurança, serviços de saúde eficientes”.

Alto de Pinheiros, Jardim Paulista e Lapa são os bairros na capital paulista com o maior número de idosos. Todos eles possuem o Índice de Desenvolvimento Humano alto. O IDH mede o grau de desenvolvimento em um local, considerando a educação, renda e saúde. O índice varia de 0 a 1, quanto mais próximo de 1, melhores são as condições. No bairro Jardim Paulista, o índice de IDH é de 0,957, seguido pelo bairro Alto de Pinheiros onde o índice é de 0,955 e o bairro da Lapa com 0,941 de IDH. Dessa forma, essas três localidades são consideradas excelentes para que os idosos pesquisem por apartamentos em São Paulo.

Alto de Pinheiros

Idosos ou pessoas que estão pensando no futuro podem começar sua procura por apartamentos à venda no Alto de Pinheiros. Neste bairro, 36% dos responsáveis pelas residências são pessoas com mais de 60 anos.

O Parque Villa-Lobos é um atrativo, além das ruas arborizadas e mais calmas, também possui diversas opções de lazer para que a população  de todas as idades possa  ter um refúgio próximo do seu apartamento em SP.

Jardim Paulista

Ter hospitais, farmácias e clínicas perto da residência é um fator a favor para os idosos, sobretudo para aqueles que precisam de algum tratamento constante. Morar em apartamento Studio no Jardim Paulista proporciona ter fácil acesso a vários desses locais, contribuindo para a saúde das pessoas.

Não faltam opções de lazer. O bairro é próximo do Parque Ibirapuera e dá fácil acesso aos restaurantes, cinemas e outros estabelecimentos que estão espalhados pelo Jardim Paulista. Cerca de 32% dos responsáveis pelos domicílios no bairro são da melhor idade.

Lapa

Pessoas que estão pensando no futuro podem adquirir apartamentos na Zona Oeste, especificamente na Lapa. 48% das residências com apenas um morador, nesta localidade, são ocupadas por um idoso. Além disso, 33% dos responsáveis pelas casas na região pertencerem a esse grupo.

A região possui muitos lugares para lazer e cultura, como a praça Mirante da Lapa e a União Fraterna, localizados perto de apartamentos à venda em SP.

A localização está diretamente relacionada à qualidade de vida. A gerontóloga diz que os problemas urbanos enfrentados pela maioria das cidades impactam negativamente na vida da população, principalmente para os idosos. “Muitas vezes, esse grupo apresenta capacidade funcional reduzida e menor oportunidade de participação e interação com o meio urbano”. Para ela, é importante que os bairros proporcionem o bem-estar de toda a população.



Brasil é a sociedade mais ansiosa do mundo

Estudo do Dr Fabiano de Abreu, feito na Logos University International, publicado pelo Brazilian Journal of Development, busca explicar e solucionar o problema.

Brasil é a sociedade mais ansiosa do mundo

Cuide do seu bebê: mantenha a saúde bucal em dia

Manter a escovação em dia e usar o fio dental são procedimentos essenciais.

Cuide do seu bebê: mantenha a saúde bucal em dia

Encurtamento muscular: o lado ruim do home office

Dores e redução da amplitude de movimento são os principais sinais de que seus músculos estão encurtados.

Encurtamento muscular: o lado ruim do home office

Brincar é coisa séria!

Falar sobre a importância do brincar no Dia das Crianças pode parecer algo comum, mas é um assunto de grande relevância na vida dos pequenos e de seus familiares.

Brincar é coisa séria!

Diversidade cerebral da criança: dificuldades de aprendizagem

Uma coisa é certa: não há dois cérebros iguais no mundo.

Diversidade cerebral da criança: dificuldades de aprendizagem

O sorriso envelhece, mas pode ser mais tarde

A gengiva pode sofrer recessão, que é a exposição da raiz, ou inflamações decorrentes de doenças periodontais.

O sorriso envelhece, mas pode ser mais tarde

Após quase morrer de câncer, a solidariedade

Em março de 2016, quando estava com 35 anos, descobri o câncer de mama.

Após quase morrer de câncer, a solidariedade

Temos uma Mãe!

Assim como o mês de maio, outubro também é um mês dedicado a Maria.

Temos uma Mãe!

Sorriso nos olhos é cartão de visita no retorno presencial ao trabalho

Quem não gosta de ser recebido em um ambiente profissional com um sorriso largo dos colegas?

Sorriso nos olhos é cartão de visita no retorno presencial ao trabalho

Brincar é coisa séria!

A brincadeira é fundamental para o desenvolvimento emocional, cognitivo e social da criança.

Brincar é coisa séria!

Açúcar: O grande vilão da boca das crianças

O consumo excessivo de açúcar e a má escovação podem levar ao aparecimento de cáries.

Açúcar: O grande vilão da boca das crianças

Estudo mostra que longevidade está ligada à prática de exercícios

Pessoas obesas e sedentárias que começam a se exercitar podem diminuir o risco de morte prematura em 30% ou mais.

Estudo mostra que longevidade está ligada à prática de exercícios