Portal O Debate
Grupo WhatsApp

O normal da maternidade

O normal da maternidade

28/11/2020 Fernanda Letícia de Souza

A menina é criada dentro de um universo que a prepara desde muito cedo para aceitar e desejar a maternidade.

O normal da maternidade

As brincadeiras com loucinhas e bonecas despertam o instinto do cuidar. Todos acham “normal e fofo” quando a menina coloca uma almofada por baixo da camiseta, fingindo uma gestação.

E em meio a este normal, a menina se torna mulher. Inicia um relacionamento e logo faz planos de casar-se e, é claro, ter filhos. Afinal, nada mais confortável do que viver dentro do padrão em uma sociedade guiada por modelos ideais.

As tentativas para engravidar começam, mas a gravidez não chega. A ansiedade aumenta e a pressão se torna quase insuportável. A cada visita da sogra, a cada roda de conversa com amigos, a fatídica pergunta aparece: quando chega o bebezinho?

Entre calendários de fertilidade e testes negativos, vem a notícia bombástica da incapacidade de gerar um bebê. A realidade dura bate na porta e lhe diz que não é normal. Afinal, o ciclo da vida não consiste em crescer, casar e gerar filhos para dar continuidade à sua linhagem?

Uma luz parece surgir no fim do túnel. Caros processos de fertilização in vitro e inseminação artificial. Clínicas luxuosas prometendo o tão sonhado bebê a preços exorbitantes. Ela se questiona. Por que está sendo punida deste jeito? Por que não é merecedora da maternidade?

E então o mundo da adoção surge em sua vida. Ela começa a fazer cursos, conhece pessoas fantásticas que a ensinam a cada dia a força do amor. Ela entende que ser mãe não é sinônimo de gerar. E que, nem sempre, quem gera se torna mãe.

A sensação de anormalidade ainda lhe acompanha por algum tempo. Muitos preconceitos precisam ser quebrados e muitos tabus precisam ser derrubados. Muitas pessoas não estão preparadas para entender que o amor é construído no dia a dia, e não basta uma barriga para que o vínculo aconteça.

A gestação na adoção tem suas particularidades. Não há enjoos, e sim papéis e atestados a serem entregues na vara da infância. Não há livros dizendo que seu bebê está do tamanho de uma ervilha, mas há cursos e leituras que ensinam a enfrentar os desafios e a lidar com as dificuldades que podem surgir. A espera, na maioria das vezes, dura muito mais que 9 meses e é dura e angustiante. Em vez de uma barriga crescendo, você tem um coração se tornando gigante.

O telefone toca! É a sua “bolsa estourando”. Do outro lado da linha, uma assistente social lhe diz que seu filho chegou! E deste dia em diante, ao ver o sorriso tímido e o corpinho curvado de medo e expectativa, ela vive todos os dias a certeza de que em momento algum foi punida com a infertilidade.

Esta mulher foi escolhida para viver a experiência mais incrível que a vida poderia lhe proporcionar.

É quando se entende que não há normal ou anormal no ato de maternar. Que uma criança somente se torna seu filho quando você a adota com todo o seu coração, independentemente de ela ter vindo de sua barriga ou de outra. E que é o amor que transforma simples estranhos em uma família de verdade.

* Fernanda Letícia de Souza é especialista em Fisiologia do Exercício e Prescrição do Exercício Físico, professora dos cursos de bacharelado e licenciatura em Educação Física do Centro Internacional Uninter e mãe por adoção da Isabela e do Eduardo.

Fonte: Pg1 Comunicação



O valor de um abraço

Livro de poesias nasce em homenagem aos milhões de abraços perdidos durante a pandemia de Covid-19.


4 situações para usar a imaginação como ferramenta de transformação

O cérebro não reconhece a diferença entre o pensamento e a realidade.

4 situações para usar a imaginação como ferramenta de transformação

Epidemia do coronavírus acelera epidemia de obesidade infantojuvenil

O ganho de peso entre crianças e adolescentes dá sinais de alerta global há algumas décadas.

Epidemia do coronavírus acelera epidemia de obesidade infantojuvenil

Troco Solidário Havan beneficia mais de 140 instituições

Somente no primeiro semestre de 2022, foram arrecadados mais de R$ 6 milhões nas lojas da rede.


O ego e outras drogas

Acho muito pouco elegante usar a si mesmo como referência ou um autor citar uma frase de sua própria autoria para exemplificar algo.

O ego e outras drogas

Pé chato em crianças a partir dos 7 anos deve ser avaliado por especialistas

Cerca de 4% das crianças não desenvolvem o arco plantar e podem ter problemas nos membros inferiores na vida adulta.

Pé chato em crianças a partir dos 7 anos deve ser avaliado por especialistas

O perigo de quedas e a prevenção de acidentes domésticos com idosos

O aumento da expectativa de vida nos últimos anos aumentou, e como consequência, tivemos um crescimento significativo de idosos.

O perigo de quedas e a prevenção de acidentes domésticos com idosos

Havan contempla mais 16 projetos sociais e culturais por meio de leis de incentivos

No segundo trimestre de 2022, varejista destinou mais de R$ 1,6 milhão aos projetos de lei federal.

Havan contempla mais 16 projetos sociais e culturais por meio de leis de incentivos

Atividades para acalmar crianças autistas

Lidar com as emoções nem sempre é fácil.

Atividades para acalmar crianças autistas

Por que se desconectar da internet?

É comum querermos proteger e privar crianças e adolescentes do uso constante do celular.

Por que se desconectar da internet?

Dia mundial dos avós

Neste domingo, 24 de julho de 2022, comemoramos o II Dia Mundial dos Avós.

Dia mundial dos avós

Joanete pode afetar até 30% das mulheres na fase adulta da vida

O hálux valgo, mais conhecido como “joanete” é uma das deformidades mais comuns dos pés.

Joanete pode afetar até 30% das mulheres na fase adulta da vida