Portal O Debate
Grupo WhatsApp

O preconceito contra mulheres no trânsito

O preconceito contra mulheres no trânsito

19/03/2018 Divulgação

As mulheres dirigem desde 1989 e até hoje sofrem preconceito. Mas isso não precisa ser assim.

O preconceito contra mulheres no trânsito

Motoristas do sexo feminino sofrem muito preconceito porque existe o mito de que mulher não sabe dirigir.

Porém, as mulheres sempre demonstram que isso não passa de uma ideia errada. A primeira a conseguir uma carteira de habilitação foi a Duquesa d’Uzérs, em 1898, na França.

Apesar do grande feito, ela também foi a primeira mulher a ser multada por excesso de velocidade, quando andava a 15 km/h em uma via que só permitia 12 km/h.

No Brasil, as primeiras habilitações de carro para mulheres foram emitidas em 1932, para Rosa Helena Schorling e Maria José Pereira Barbosa Lima. A primeira delas também tirou a sua habilitação de moto em 1933.

No mundo do automobilismo, as mulheres também estão buscando o seu espaço. A brasileira Ana Beatriz Figueiredo foi a primeira mulher na Fórmula Indy a ganhar a Firestone Indy Lights.

Isso só prova que as mulheres podem dirigir não apenas nas ruas, mas também participar de competições que envolvem carros.

O preconceito contra as mulheres no trânsito

A frase “vai pilotar fogão” é uma das mais ouvidas pelas mulheres no trânsito, porém, isso não passa de machismo.

Principalmente as que trabalham ao volante dizem enfrentar preconceitos quase que diariamente, mas nem por isso abandonam as suas profissões.

Porém, esse estereótipo é combatido mostrando a capacidade que possuem ao volante.

A verdade é que, às vezes, até as mulheres se espantam ao verem outras trabalhando dirigindo. É o que acontece com as que optam por dirigir para aplicativos. Só que nesse caso a surpresa costuma ser positiva e incentivada.

O que dizem os números sobre as mulheres ao volante

Mesmo após muitos anos as mulheres terem começado a dirigir, ainda se pensa que elas dirigem mal.

Algumas realmente possuem insegurança no trânsito, mas são elas as que mais buscam ajuda para superar esse medo.

Ao contrário do que se pensa, elas não se envolvem tanto em acidentes e apresentam menos riscos ao volante. Uma prova disso é que o seguro de carros para mulher é mais barato.

Os números do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) em 2014 indicam que as mulheres representam cerca de 30% dos motoristas.

Apesar desse baixo índice, cerca de 70% das multas são aplicadas em homens e 71% dos acidentes são causados por eles.

Esses são apenas alguns dos números que provam que as mulheres no trânsito não representam o perigo que se prega.

Os direitos das mulheres

Agora você já sabe que as mulheres podem dirigir e que isso não vai colocar ninguém em risco, pois elas são boas motoristas.

Mas, mesmo assim, sempre existe alguém que insiste em discordar e ofender as mulheres que estão ao volante.

O que eles não sabem é que, nesse caso, a legislação está a favor delas. Se alguma se sentir assediada ou ofendida por algum comentário preconceituoso pode recorrer judicialmente por danos morais.

Lógico, não queremos que chegue a esse ponto. As mulheres no trânsito só precisam mostrar que sabem dirigir e não se deixarem abalar por comentários maldosos.

Afinal, lugar de mulher pode ser dirigindo ou em qualquer lugar que ela quiser.

Por Jeniffer Elaina, da Smartia Seguro Auto



Amar a si mesmo como próximo

No documentário “Heal” (em Português, “Cura”), disponível no Amazon Prime, há um depoimento lancinante de Anita Moorjani, que, em Fevereiro de 2006 chegou ao final de uma luta de quatro anos contra o câncer.


O peso da improbidade no destino das pessoas

O homem já em tempos pré-históricos se reunia em volta das fogueiras onde foi aperfeiçoada a linguagem humana.


Terapia de estimulação cerebral profunda pode reduzir até 80% dos tremores causados pelo Parkinson

A cirurgia é um recurso muito importante e deve ser considerada para alguns pacientes.

Terapia de estimulação cerebral profunda pode reduzir até 80% dos tremores causados pelo Parkinson

A educação é o caminho da liberdade

O atendimento socioeducativo ao adolescente em conflito com a lei é um desafio e necessita de um olhar resiliente e reflexivo, visto que é considerado um momento oportuno de mudanças.


O Influenza também está no nosso foco

Falar em vacinação nos dias de hoje nos tende a remeter quase que exclusivamente ao combate à Covid-19.

O Influenza também está no nosso foco

A nova era da Telemedicina no Brasil

Alguns números atestam que as consultas virtuais estão sendo utilizadas cada vez mais no país.

A nova era da Telemedicina no Brasil

Para onde foram os nutrientes que estavam aqui?

A maioria das culturas vegetais são produzidas com a ajuda de solos fertilizados. O alto uso de fertilizantes nitrogenados tende a reduzir o teor de vitamina C em muitas frutas e hortaliças.


Transtornos psiquiátricos catalisados pelo luto de vítimas de COVID-19

Médico psiquiatra comenta a situação exclusiva de pessoas que perderam parentes queridos durante a pandemia. A ansiedade e o transtorno de humor são os mais prevalentes nesses casos.

Transtornos psiquiátricos catalisados pelo luto de vítimas de COVID-19

Pesadelo na hora do sono: apneia atinge 70 milhões de brasileiros

Por muito tempo o hábito de roncar tem sido visto como motivo de chacota ou algo corriqueiro.

Pesadelo na hora do sono: apneia atinge 70 milhões de brasileiros

Qual é o melhor presente do dia das mães?

O mês de maio é reconhecido como o mês das mães em vários lugares do mundo.

Qual é o melhor presente do dia das mães?

A felicidade faz parte do trabalho

“Trabalhe com o que ama e não precisará trabalhar um único dia em sua vida.”

A felicidade faz parte do trabalho

Cinco hábitos que prejudicam as mãos e como mudá-los

O WhatsAppinite, por exemplo é uma tendinite causada pelo uso excessivo do celular.

Cinco hábitos que prejudicam as mãos e como mudá-los