Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Neuromarketing ajuda a entender o consumidor?

Neuromarketing ajuda a entender o consumidor?

22/12/2008 Divulgação

Tradicionalmente, o Natal é a "festa dos presentes", que faz a alegria do comércio varejista. Como se comportam os clientes numa compra? Em Bonn, pesquisadores de neuromarketing tentam responder tal pergunta.

Quanto deve custar um jeans? Um vestido? Um par de sapatos? Enquanto não se iniciam as liquidações, cada consumidor tem um limite de gasto. Mas quando começam os descontos, este limite desaparece. O que acontece na cabeça dos consumidores? Por que tomam essas decisões? O sonho de todo publicitário é olhar dentro dos cérebros dos consumidores.

Através do neuromarketing, em breve isto poderá se tornar possível. Neste campo de pesquisa interdisciplinar, percepções psicológicas e neuropsicológicas são interpretadas de olho no marketing. Em Bonn, os colaboradores do departamento de pesquisa Neurocognição e Imagem Mental da empresa de biomedicina Life & Brain (Vida & Cérebro), que nasceu de uma fusão da universidade e do hospital universitário locais, ocupam-se de tal pesquisa.

Assim nasceu o neuromarketing
Bernd Weber, diretor do departamento, explicou que o "neuromarketing tenta compreender melhor o porquê das decisões dos consumidores". Por que as pessoas respondem a alguns instrumentos de marketing, como descontos? Por que reagem ao design de certos anúncios publicitários e não a outros? "Fornecendo o porquê, pode-se compreender melhor o equilíbrio em nosso cérebro: o fato de que existe ao mesmo tempo um desejo e, por outro lado, uma perda, já que se precisa de dinheiro para a compra", afirmou Weber.

Os precursores no campo de neuromarketing foram os norte-americanos. Há cinco anos, o neurologista Read Montague realizou um experimento para saber por que os americanos preferem Coca-cola a Pepsi. Em um teste cego, as pessoas afirmaram gostar mais de Pepsi do que de Coca-cola. Assim que souberam de que não se tratava de Coca-cola, mas de Pepsi, mudaram de idéia. E também se registrou que, no cérebro, regiões que estão relacionadas a sensações positivas foram mais fortemente ativadas através do conhecimento do nome da marca. Assim nasceu o neuromarketing, afirmou o pesquisador de Bonn.

Decisões de compra nem sempre são racionais
Life & Brain existe desde 2004, sendo uma das poucas empresas do ramo na Alemanha. Para os experimentos, os pesquisadores utilizam um tomógrafo de ressonância magnética, que pode medir mudanças na circulação sangüínea do cérebro. As pessoas testadas, na maioria estudantes da Universidade de Bonn, recebem óculos de vídeo com imagens de diferentes produtos e preços. Mais da metade das cobaias humanas reagiram positivamente a abatimentos, explicou Weber.

O resultado inequívoco dos estudos sobre neuromarketing dos pesquisadores de Bonn foi que decisões de compra nem sempre são racionais. Este também foi o resultado de um experimento com meias, que Weber e seus colegas realizaram numa via de pedestres. Eles instalaram dois estandes de meias. No primeiro, três pares de meias foram oferecidos em liquidação pelo preço de 15 euros. No segundo, podia-se comprar um único par por 3 euros, ou seja, três pares por 9 euros. A maioria dos transeuntes optou pela oferta mais cara.

Nova área de pesquisa tem vários críticos
Bernd Weber salientou que um importante ponto das pesquisas é que "todos os resultados são tornados públicos". Não se tratam de pesquisas misteriosas com o intuito de manipular alguém. Pelo contrário, explicou o pesquisador. Os consumidores só têm a ganhar, porque podem compreender melhor seu comportamento. Por outro lado, também deverá servir para alcançar certo tipo de clientela, acresceu. O neuromarketing é freqüentemente celebrado como uma nova era na mercadologia. No entanto, a nova área de pesquisa também tem vários críticos.

Um deles é o especialista suíço em marketing Werner Fuchs, que há anos se ocupa do tema Propaganda e Pesquisas Cerebrais. Em sua opinião, os resultados do neuromarketing só confirmam o que já se sabia. Fuchs considera exageradas as afirmações do neuromarketing de que com o scanner cerebral se poderiam tirar conclusões precisas e encontrar o famoso "botão de fechar compra". Com certeza, ele não vai ser encontrado desta forma, afirmou. Para o especialista suíço, há muita especulação nas análises feitas através do neuromarketing, pois quanto mais se chega ao detalhe, o trabalho de interpretação torna-se relativamente difícil. E se baseia quase sempre em suposições.

Mais informações sobre a Alemanha e a Europa no site www.DW-WORLD.DE/brasil .



O novo mundo das mídias offline

Seria possível a mídia tradicional produzir analytics, assim como já acontece na mídia online?


Campanha Abrace Brumadinho busca recuperar turismo na região

Ação nacional pretende engajar a sociedade para que volte a frequentar um dos destinos turísticos mais reconhecidos do Brasil e do mundo

Campanha Abrace Brumadinho busca recuperar turismo na região

Para envelhecer bem: durma bem, mas nunca na direção

ABN lança campanha que visa reduzir acidentes com motoristas da terceira idade


Como encarar a transformação digital no marketing

Ao longo das últimas duas décadas, a tecnologia fez com que o comportamento do comprador mudasse sensivelmente.

Como encarar a transformação digital no marketing

5 novidades do marketing digital que você deve conhecer

Se você trabalha com marketing digital, é fundamental que você esteja sempre atualizado e ligado no que existe de mais novo no mercado.


Burst: Quais as vantagens para você que é empresário?

Aqui você encontra as melhores imagens, já otimizadas, para os mais diversos usos.

Burst: Quais as vantagens para você que é empresário?

Marketing de referência – Tudo o que você necessita saber

No mundo dos negócios é bastante comum que se ouça a expressão “marketing de referência”.

Marketing de referência – Tudo o que você necessita saber

O jornal alemão que sobrevive sem anunciantes

Atualmente 17,8 mil pessoas financiam desta maneira a publicação, que também é mantida graças a assinaturas.

O jornal alemão que sobrevive sem anunciantes

Campanha brasileira é selecionada para Mostra na Europa

O festival de criatividade Cannes Lions reúne as melhores campanhas publicitárias ao redor do mundo.

Campanha brasileira é selecionada para Mostra na Europa

Proteste lança campanha contra aumentos nos planos de saúde

Contrato de saúde suplementar pode se tornar um vilão para o consumidor.


ESPM abre curso para quem quer se candidatar para eleição

Aulas a distância ensinam técnicas e conceitos para futuros políticos.

ESPM abre curso para quem quer se candidatar para eleição

Cores são o principal fator de escolha de produtos

Mais de 80% dos consumidores consideram a cor como elemento de decisão na compra.

Cores são o principal fator de escolha de produtos