Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Investimentos: é preciso ter muito dinheiro?

Investimentos: é preciso ter muito dinheiro?

02/05/2019 Eduardo Nobre

Ao longo dos anos, a ideia de que o mercado financeiro era restrito a pessoas de alta renda foi ganhando força no Brasil.

Isso vinha acontecendo muito em função da ação dos bancos, que restringiam os melhores produtos financeiros a determinados perfis, inviabilizando o acesso ao grande público.

Entretanto, com o processo de desbancarização, surgiram instituições alternativas, que têm apresentado soluções diversificadas para públicos diferentes.

É nessa lógica que o mercado passou a se abrir, inclusive para quem não possui grande poder aquisitivo.

Estratégia e aportes baixos

O fato é que não é preciso ter muito dinheiro para investir, pois boas soluções financeiras permitem que o investidor acumule renda ao longo dos anos mesmo começando com aportes baixos. Isso acontece por conta do efeito dos juros compostos, que fazem o dinheiro render mais com o passar do tempo em comparação com os juros simples.

Os juros compostos são aqueles que aparecem no cheque especial, incidindo no primeiro dia sobre o valor inicial, no segundo, sobre o juro do primeiro dia e assim por diante até que a quantidade devida se torne significativa.

Um exemplo de como esse cálculo pode ser usado a favor do investidor é o Tesouro Direto. Na modalidade prefixada, é possível investir a partir de 30 Reais em títulos que levam anos para vencer. Consequentemente, com uma boa estratégia, o investidor pode fazer aportes mensais e acumular um volume considerável em longo prazo, recebendo com juros compostos o valor emprestado ao governo.

Como investir sem ter muito dinheiro

É preciso que se esteja atento a algumas ações que costumam gerar melhores resultados. A primeira recomendação é fazer uma análise detalhada do próprio perfil de investidor. Esse serviço costuma ser oferecido gratuitamente por corretoras de valores e ajuda o cliente a saber quais são as opções mais interessantes para suas características pessoais.

Além disso, é necessário considerar três elementos fundamentais no mercado financeiro: rentabilidade, liquidez e segurança. Esses conceitos são tão importantes que são conhecidos como tripé de investimentos. Não é possível encontrá-los em um mesmo ativo. Assim, é preciso priorizar um ou dois desses elementos ou então montar uma carteira diversificada de investimentos para que os três apareçam no conjunto de aplicações.

Identificando o seu perfil, o investidor pode recorrer a investimentos compatíveis com ele. No caso de quem conta com pouco dinheiro, a tendência é que busque maior segurança e liquidez para proteger seu patrimônio, ainda que isso esteja associado a investimentos com uma rentabilidade menor quando comparados a outras opções.

Investimentos para quem não tem muito dinheiro

O Tesouro Selic é um investimento no governo brasileiro. Ele funciona como um empréstimo ao Tesouro Nacional que segue a taxa básica de juros, a taxa Selic. Na prática, o investidor adquire os papéis e na data acordada recebe seu dinheiro de volta acrescido de juros. A rentabilidade acompanha a variação da taxa Selic, por isso, tende a ser consideravelmente superior à da Poupança.

Já os Fundos DI seguem a variação da taxa de juros conhecida como DI, que é comumente usada como parâmetro para fundos de renda fixa. Os Fundos DI são administrados por gestores, o que garante que mesmo pessoas sem experiência tenham acesso a soluções interessantes.

Existe também o Certificado de Depósito Bancário, conhecido como CDB, investimento no qual os empréstimos são realizados a instituições financeiras. Assim como acontece com o Tesouro Selic, no CDB os prazos são definidos previamente para que o dinheiro emprestado seja devolvido com juros, que podem variar de acordo com cada oferta.



Alta carga tributária não garante retorno de serviços à sociedade

Com carga tributária de 34%, Brasil é o último entre 30 países em retorno de serviços à população

Alta carga tributária não garante retorno de serviços à sociedade

BNDES disponibiliza R$ 23 bilhões para Plano Safra 2019/2020

Todas as principais linhas de fomento à agropecuária empresarial tiveram o orçamento ampliado

BNDES disponibiliza R$ 23 bilhões para Plano Safra 2019/2020

Pequenos negócios poderão retornar ao Simples Nacional

Pequenos negócios excluídos do Simples Nacional poderão solicitar o reenquadramento até o dia 15

Pequenos negócios poderão retornar ao Simples Nacional

Paraty e Ilha Grande (RJ) recebem título de Patrimônio Mundial da Unesco

Local é o primeiro sítio misto do Brasil, reconhecido por cultura e natureza

Paraty e Ilha Grande (RJ) recebem título de Patrimônio Mundial da Unesco

Novo projeto de lei quer obrigar advogados a provar origem lícita dos honorários

Apresentado pela deputada federal Bia Kicis, texto é criticado como trava no exercício da profissão.


Receita abre consulta a segundo lote de restituição do IR

O crédito bancário será feito em 15 de julho

Receita abre consulta a segundo lote de restituição do IR

Manifestações – A Voz e a força do Povo

As manifestações populares são legítimas, republicanas, sejam elas a favor ou contra o governo.

Manifestações – A Voz e a força do Povo

IMA vai fiscalizar cerca de 800 propriedades produtoras de soja

Durante o vazio sanitário, fica proibido o cultivo da planta em todo o território mineiro

IMA vai fiscalizar cerca de 800 propriedades produtoras de soja

Partido propõe fim da aposentadoria para políticos corruptos

Podemos quer fim do benefício para políticos condenados por corrupção

Partido propõe fim da aposentadoria para políticos corruptos

Medo do desemprego aumenta e satisfação com a vida diminui

Pesquisa CNI indica frustração maior dos brasileiros nestes primeiros meses de 2019

Medo do desemprego aumenta e satisfação com a vida diminui

Canonização de Irmã Dulce será em 13 de outubro

Além de Irmã Dulce, serão canonizados quatro beatos

Canonização de Irmã Dulce será em 13 de outubro

Montevidéu é a cidade mais cara da América Latina para se viver

Pesquisa avaliou cerca de 500 cidades em mais de 200 países

Montevidéu é a cidade mais cara da América Latina para se viver