Portal O Debate
Grupo WhatsApp


No agronegócio, transformação deve ser rotina

No agronegócio, transformação deve ser rotina

22/06/2020 Robinson Cannaval Junior

Do ponto de vista de negócios, transformação é a rotina.

No agronegócio, transformação deve ser rotina

O contexto que estamos passando é diferente para todos. Independente da área de atuação, tamanho do negócio, tempo de mercado, todas as empresas sofreram algum impacto com a pandemia. 

Em um momento como o atual, o dilema enfrentado por empresários é: devo focar em sobreviver no presente (execução) ou em planejar o futuro (estratégia)? Afinal, uma certeza é que o tempo é um recurso limitado e cada escolha, representa uma renúncia.

Contudo, gostaria de trazer uma visão diferente sobre o momento atual para a gestão de negócios. Estamos, sim, vivendo grandes transformações e uma situação difícil para diversas pessoas. A pandemia possui um grande impacto social e deve ser levado à sério por todas as consequências que já ocorreram e que ainda virão. Do ponto de vista de negócios, porém, transformação é a rotina. 

Quando os consumidores não estão alterando hábitos de compra porque estão passando mais tempo em casa, um concorrente está lançando um novo produto que ameaça seu principal mercado. Ou, um colaborador essencial para um processo pede demissão. Ou, a equipe está desmotivada. Enfim, na rotina de gerenciamento de um negócio, sempre teremos uma razão válida para criar um dilema: devo focar em sobreviver no presente ou em planejar o futuro?

O lado difícil da resposta a esta pergunta é que, para um negócio de sucesso, não há espaço para encarar o presente e o futuro como coisas separadas. As ações tomadas agora moldam o futuro da organização. E, certamente, a visão de futuro construída para a empresa determina as ações que devem ser tomadas no presente. Não há, portanto, uma distinção clara entre execução e estratégia. São conceitos que, apesar de tentarmos separar em disciplinas, são altamente interdependentes entre si. O desafio é conseguir estar preparado para as adaptações necessárias.

Para ilustrar, vamos considerar o setor de ovos de galinha. Este setor apresentou, novamente, crescimento na produção no primeiro trimestre. Comparado ao primeiro trimestre de 2019, a produção trimestral cresceu 3,4% em 2020, com 961 milhões de dúzias. Entre 2019 e 2018, também foi observado aumento, de 7,9%.

Para o segundo trimestre de 2020, recentes conversas com produtores de ovos de galinha apontam para crescimento da produção pelo aumento da demanda no mercado interno.  

Dois anos consecutivos de crescimento de mercado geram oportunidades para as empresas. É um ambiente para consolidação de clientes atuais, ganhar novos clientes, reduzir custos com escala, decidir sobre projetos de expansão. Empresas com execução mais eficientes largam na frente. O crescimento de produção e da força de venda é menos turbulento, com processos, indicadores e metas bem definidos. 

A questão que fica, porém, é quais oportunidades devo investir? Novamente, execução e estratégia se misturam. Quais os processos críticos para o meu negócio? Melhor crescer vendas em clientes atuais ou explorar novos mercados? Qual o posicionamento a ser adotado nos novos mercados? Não possuir as repostas de perguntas estratégicas, então, se torna um gargalo para as decisões do presente e o elo entre execução e estratégia fica mais evidente e essencial.

Ter uma visão abrangente do setor de atuação, entender as mudanças do ambiente de negócios, definir os investimentos com maior retorno, monitorar a operação, lidar com clientes e realizar tarefas diárias essenciais para o gerenciamento do negócio ocupam mais tempo que o disponível. Uma alternativa para auxiliar na visão do elo entre execução e estratégia é a contratação de consultoria de planejamento.

Estamos em um momento agudo do momento atual e grande incerteza sobre sua evolução. Porém, quando tudo isso passar, será possível identificar as empresas mais resilientes e preparadas para mudanças. Essas empresas terão conciliado execução e estratégia com disciplina.

Podemos não conhecer as respostas com relação ao futuro, contudo é fundamental compreender agora as perguntas a serem feitas.

Não há como fazer omelete sem quebrar ovos.

* Robinson Cannaval é diretor e sócio-fundador da Innovatech Consultoria. 

Fonte: FONTE Comunicação



Desemprego chega a 13,3% no segundo trimestre

População ocupada tem menor nível da série iniciada em 2012.

Desemprego chega a 13,3% no segundo trimestre

Getty Images premia 8 projetos fotográficos sobre a pandemia

Getty Images premia com US$ 40,000 fotojornalistas que documentam o impacto da pandemia em suas comunidades.

Getty Images premia 8 projetos fotográficos sobre a pandemia

Endividamento dos brasileiros já indicava alta antes mesmo da pandemia

Estudo especial da CNC mostra que condições de crédito mais favoráveis a partir de 2019 impulsionaram a contração de dívidas pelas famílias.

Endividamento dos brasileiros já indicava alta antes mesmo da pandemia

Correios lançam selos comemorativos inspirados em doodles

Edição comemora Dia Nacional do Selo.

Correios lançam selos comemorativos inspirados em doodles

O mito das redes sociais nas Eleições 2020

Nas últimas duas eleições, em 2016 e 2018, a presença das redes sociais deu uma nova cor à corrida eleitoral.

O mito das redes sociais nas Eleições 2020

Caixa pagou R$ 140,3 bilhões em benefícios este ano

Valor corresponde à Bolsa Família e ao auxílio emergencial

Caixa pagou R$ 140,3 bilhões em benefícios este ano

Banco Central anuncia lançamento da nota de R$ 200

Nova cédula terá como personagem o lobo-guará.

Banco Central anuncia lançamento da nota de R$ 200

País registra perda de 10,9 mil vagas de empregos formais em junho

No acumulado do ano, saldo de admissões e demissões ficou negativo.

País registra perda de 10,9 mil vagas de empregos formais em junho

Bilionários ficam imunes à crise econômica na pandemia, mostra estudo

No Brasil, 42 bilionários aumentaram suas fortunas em US$ 34 bilhões.

Bilionários ficam imunes à crise econômica na pandemia, mostra estudo

Qual tipo de investidor você é?

Conservador, moderado ou agressivo: entenda quais podem ser as melhores segmentações de carteiras para seu perfil.

Qual tipo de investidor você é?

O futuro dos shopping centers: uma visão otimista

O primeiro Shopping Center no Brasil, o Iguatemi*, foi inaugurado na cidade de São Paulo, em 1967.

O futuro dos shopping centers: uma visão otimista

Auxílio emergencial chega a 29,4 milhões de domicílios, diz IBGE

Na comparação com maio, foram mais 3,1 milhões de lares beneficiados

Auxílio emergencial chega a 29,4 milhões de domicílios, diz IBGE