Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Seis dicas para levar filhos ao mercado sem estresse

Seis dicas para levar filhos ao mercado sem estresse

11/06/2019 Divulgação

Especialista explica como fazer compras pode se tornar uma atividade tranquila e cheia de aprendizados para a família

Seis dicas para levar filhos ao mercado sem estresse

Fazer as compras do mês no mercado ou apenas reabastecer a despensa da casa pode ser uma tarefa desafiadora para quem tem filhos, mas com organização e diálogo é possível transformar essa atividade rotineira em algo tranquilo para pais e filhos e também em uma oportunidade de aprendizado e até economia.

Na opinião da especialista em Metodologia de Ensino e coordenadora do Ensino Fundamental do Colégio Marista Maringá (PR), Cláudia Hara Hashimoto, é importante incorporar as crianças em atividades comuns como ir ao mercado, mas esta recomenda ‘fazer combinados’.

“As crianças sempre querem ajudar e fazer atividades úteis. Por isso, é importante dar a elas autonomia e deixar que participem do dia a dia da casa. Ir ao mercado, por exemplo, pode trazer lições de educação financeira, consumo consciente, nutrição, organização e aprendizado em família”, explica.

Confira algumas dicas de Cláudia para que as compras se transformem em momentos agradáveis para toda a família:

- Faça a lista de compras junto às crianças. Organize com antecedência o que vai ser comprado e com que finalidade. Isto pode facilitar muito a vida dos pais na hora de passar pelos corredores do mercado, pois, quando os pequenos participam da decisão, sentem-se mais responsáveis e parte do processo.

- Falar sobre dinheiro é importante. Foi-se o tempo em que finanças era algo só para adultos. Quanto antes as crianças souberem lidar e entender a relação com o dinheiro, mais responsáveis e conscientes serão no futuro. Então, na hora de escolher itens necessários e supérfluos, é essencial explicar se eles cabem ou não na compra da família e o porquê.

- Consumo consciente desde cedo. Uma boa tática para evitar vontades de última hora é voltar ao ‘combinado’ da lista de compras. Estabeleça com a criança, em casa ou no trajeto, o que pode e o que não pode comprar e explique a ela a razão disso. Dar o exemplo também será importante, pois se o pai ou a mãe desviarem-se da lista, os filhos vão questioná-los.

- Atribua tarefas. Os mais pequenos, que ainda não sabem ler, podem ficar responsáveis por organizar as compras no carrinho, por exemplo. Segurar a cesta de compras com itens que não pesem muito também é algo que as crianças têm a possibilidade de fazer para participar da atividade. Os mais velhos podem avaliar os rótulos, data de validade e até a relação de custo-benefício dos produtos.

- O mercado pode abrir o apetite. Ensinar a escolher frutas e legumes (sentir a textura, o cheiro e a firmeza) pode ser uma boa tática para despertar o apetite em casa. Experimentar durante as refeições o que a criança foi responsável por comprar é uma forma de estimular o interesse por alimentos que ela ainda não conhece.

-Guardar as compras também faz parte do processo. Ao chegar em casa, as crianças podem contribuir, ajudando a arrumar os produtos nos locais adequados. Vale também ouvir as sugestões dos pequenos sobre onde as mercadorias ficariam melhor armazenadas. Dessa forma, além de auxiliar com a arrumação do ambiente, as crianças aprendem a classificar produtos de acordo com a sua utilidade e modo de conservação. São pequenos conceitos que favorecem o desenvolvimento da atenção e da observação no dia a dia, além de demonstrar a importância da organização no seu cotidiano.

Fonte: Colégio Marista Maringá (PR)



Consumo das famílias tem a queda mais intensa desde 2001

O motivo da queda, segundo o IBGE, foi a pandemia do novo coronavírus.

Consumo das famílias tem a queda mais intensa desde 2001

Por que plano de saúde está tão caro?

Não é de hoje que os planos de saúde estão ficando cada vez mais caros.

Por que plano de saúde está tão caro?

Brasil perde mais de 860 mil empregos formais em abril

De janeiro a abril foram 4.999.981 admissões e 5.763.213 demissões.

Brasil perde mais de 860 mil empregos formais em abril

Correios serão opção para fazer cadastro para auxílio emergencial

Banco é condenado por falha ao compensar cheque

Cliente vai receber R$ 15 mil por danos morais.

Banco é condenado por falha ao compensar cheque

Dólar nas alturas: será que só existe desvantagem?

Do momento em que os casos de covid-19 começaram a aparecer fora da China, a moeda norte-americana acelerou o movimento de alta dos preços.

Dólar nas alturas: será que só existe desvantagem?

Fake news: da mídia à justiça (e vice-versa)

As fake news estão ultrapassando os prejuízos financeiros e de credibilidade nas empresas e invadindo o judiciário com dezenas de processos.

Fake news: da mídia à justiça (e vice-versa)

Por que emitir moeda em tempos de pandemia?

Somente o BC pode emitir moeda e somente o TN pode emitir títulos e pagar as despesas do Governo Federal.

Por que emitir moeda em tempos de pandemia?

Cartórios do interior já podem realizar casamentos virtuais

O projeto-piloto que autoriza a realização de casamentos civis por videoconferência e escritura pública digital foi ampliado.

Cartórios do interior já podem realizar casamentos virtuais

O que está acontecendo com o dólar com a saída do Moro?

A crise causada pelo Coronavírus já vinha elevando o preço do dólar que, nos últimos tempos, estava apresentando patamares históricos.

O que está acontecendo com o dólar com a saída do Moro?

Dólar alto será positivo para a economia em período de pandemia

“Não é ruim no momento, mas quando a economia retomar, o 1º fator que vamos ver é a inflação”

Dólar alto será positivo para a economia em período de pandemia

Ministério lança canal para registro de denúncias trabalhistas

Nova ferramenta registrará denúncias trabalhistas no portal Gov.br.

Ministério lança canal para registro de denúncias trabalhistas