Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Como os alemães lidam com o lixo no dia a dia

Como os alemães lidam com o lixo no dia a dia

07/05/2017 Karina Gomes (DW)

Para jogar o lixo fora no país que mais recicla no mundo é preciso seguir uma série de regras.

Como os alemães lidam com o lixo no dia a dia

Jogar tudo num saco de plástico preto – restos de comida junto com papel, plástico e vidro quebrado – é ilegal na Alemanha. A separação do lixo – "Mülltrennung" – é tão meticulosa que saber onde descartar uma garrafa de vidro de cor azul, uma caixinha de leite ou o saquinho de chá poderá se tornar um dilema.

Reciclar o lixo na Alemanha é lei. O descarte de resíduos foi regulamentado em todo país em 1972, mas as primeiras leis surgiram já no século 19. A lei da reciclagem, hoje em vigor, prevê multas para quem não faz a separação de forma correta.

Lidar com o lixo é um exercício diário. Em casa, é preciso ter espaço para separar plástico e metais leves, que vão para o tonel amarelo; papel, para o tonel azul; lixo orgânico, que vai para o verde ou marrom e o que não pode ser aproveitado, que acaba no latão cinza. Os cestos para cada tipo de lixo ficam na frente das casas e dos prédios.

Jogar papelão no contêiner alheio, por exemplo, e ainda no tonel errado pode gerar multa. Não duvide que um vizinho ou um fiscal da prefeitura poderá encontrar seu endereço na caixa de papelão e enviar uma advertência por correio.

Em alguns prédios ou cidades, as regras são mais flexíveis, e os moradores acabam separando apenas o papel. Mas como a separação incorreta pode resultar em multas coletivas, os vizinhos ficam atentos caso alguém desrespeite as regras.

Há regras como não jogar lixo orgânico dentro de sacolas plásticas. No contêiner verde, é preciso jogar os restos de comida, frutas e legumes sem nenhuma proteção. Ou desmontar a caixa da televisão nova antes de jogá-la no contêiner azul, para que não ocupe muito espaço. É provável que um vizinho ou o administrador do condomínio deixe um bilhetinho no corredor do prédio ou na sua porta para reclamar da "infração".}

Em 2013, a Alemanha foi o país que mais reciclou lixo no mundo – 65% dos resíduos foram reaproveitados, segundo a Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE).

As garrafas de vidro são descartadas em contêineres espalhados pelas ruas. Geralmente, haverá três: um para cada cor – garrafas brancas, verdes e marrons. Aos domingos e feriados, é proibido jogar as garrafas de vidro fora para que o barulho não incomode os moradores das redondezas. Ao lado, é comum ver tonéis da prefeitura ou de instituições de caridade para doação de roupas.

Alguns pontos específicos de coleta recebem rolhas, alumínio e baterias. Algumas vezes por ano, a prefeitura recolhe móveis e outros itens domésticos descartados pelos moradores no dia do "Sperrmüll", quando pequenos "lixões" se formam em frente às casas.

A Alemanha também adota um sistema de retorno de garrafas de plástico e vidro recicláveis, conhecido como "Pfand". O valor dos recipientes inclui um preço extra, entre 8 e 25 centavos de euro, que é resgatado pelo consumidor quando devolve a garrafa no supermercado.

É claro que para cumprir a tarefa de separar o lixo corretamente quem vive na Alemanha precisa de planejamento. Na internet, é possível consultar o "calendário anual do lixo" no seu bairro ou rua. Há dias específicos para descartar os diferentes tipos de resíduos. A vinda do caminhão de coleta tem data marcada.

* Karina Gomes escreve crônicas sobre os hábitos alemães, com os quais ainda tenta se acostumar. A repórter da DW Brasil e DW África tem prêmios jornalísticos em direitos humanos e sustentabilidade e vive há três anos na Alemanha.



Petrobras recolhe 200 toneladas de resíduos de óleo nas praias do Nordeste

Cerca de 1700 agentes ambientais contratados pela companhia atuaram na limpeza das áreas impactadas.

Petrobras recolhe 200 toneladas de resíduos de óleo nas praias do Nordeste

Minas consolida planos diretores em 90% das bacias hidrográficas

Até 2020, todas as 36 bacias presentes no estado serão contempladas.

Minas consolida planos diretores em 90% das bacias hidrográficas

A Gestão da Educação Ambiental

A gestão pública por meio da Educação Ambiental necessita difundir o conceito de futuras gerações.

A Gestão da Educação Ambiental

Processos de outorga de uso da água passa a ser 100% digital em Minas

Portaria do Igam também consolida normas em um só instrumento e padroniza prazo para apresentação de informações complementares.

Processos de outorga de uso da água passa a ser 100% digital em Minas

Projeto coleta mais de oito toneladas de vidro em bares do Rio

Parceria da cervejaria Kona com a startup Green Mining realiza programa de logística reversa inteligente no bairro da Lapa.

Projeto coleta mais de oito toneladas de vidro em bares do Rio

1 em cada 5 brasileiros é consumidor de produtos orgânicos

Os números apurados estão longe do maior mercado mundial dos orgânicos.

1 em cada 5 brasileiros é consumidor de produtos orgânicos

Valores dos ingressos nos parques nacionais terão reajustes

O acréscimo nas entradas dos parques, a partir de novembro, varia em média de R$ 1 a R$ 2.

Valores dos ingressos nos parques nacionais terão reajustes

Consumo consciente deve ser incentivado desde a infância

Especialistas indicam que família e escola trabalhem o tema com as crianças.

Consumo consciente deve ser incentivado desde a infância

Redução do IPTU como incentivo para a coleta seletiva

A sociedade tem aceitando, cada vez mais, medidas ambientalmente adequadas para a preservação do meio ambiente.

Redução do IPTU como incentivo para a coleta seletiva

Rock in Rio terá reciclagem de 2,5 milhões de copos plásticos

A iniciativa transformará os copos plásticos de Heineken descartados durante os sete dias do maior festival de música do mundo em embalagens de Natura Humor.

Rock in Rio terá reciclagem de 2,5 milhões de copos plásticos

32 anos do Protocolo de Montreal, avanços e desafios

A diminuição da camada de ozônio é um dos impactos antrópicos mais significativos da história da humanidade.


Temperatura média do planeta pode subir 3,4°C até 2100

Combustíveis fósseis como o carvão e o petróleo são as principais fontes de energia da humanidade.

Temperatura média do planeta pode subir 3,4°C até 2100