Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Exposição apresenta elementos da pré-história no DF e em Santa Catarina

Exposição apresenta elementos da pré-história no DF e em Santa Catarina

18/06/2019 Divulgação

A exposição Arqueologia e Habitantes da Pré-História pode ser vista no Museu de Geociências da Universidade de Brasília (UnB)

Exposição apresenta elementos da pré-história no DF e em Santa Catarina

Com 61 sítios arqueológicos já identificados, o Distrito Federal (DF) tem ainda muito a aprender com a própria história e, em especial, com sua pré-história. Com esse espírito, foi inaugurada nesta segunda-feira (17/06) a exposição Arqueologia e Habitantes da Pré-História, no Museu de Geociências da Universidade de Brasília (UnB).

Organizada em parceria com o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), a exposição tem dois módulos temáticos. O primeiro, com elementos do patrimônio arqueológico do Distrito Federal, mostra que a região é ocupada há milênios. Entre os itens expostos há artefatos e instrumentos de pedra fabricados há mais de 8,4 mil anos, como machados, picaretas, raspadores, facas, serrotes, amoladores, pesos de rede e pontas de flechas.

“É a primeira vez que estão sendo expostos fragmentos de cerâmicas de vasilhames encontrados no DF, que teve tanto grupos de caçadores-coletores, há cerca de 11 mil anos, como agricultores ceramistas, há cerca de 2 mil anos”, disse a arqueóloga do Iphan-DF Margareth Souza.

Segundo Margareth, a exposição marca a passagem da salvaguarda do acervo para o Museu de Geociências da UnB. O acervo servirá também para pesquisas acadêmicas. “A partir do estudo dessas peças, é possível obter informações sobre o processo de povoamento, as rotas de migração, adaptação, tecnologias utilizadas, alimentação, domesticação de plantas para agricultura e plantações”, explicou a arqueóloga.

O segundo módulo temático da exposição apresenta 173 peças arqueológicas coletadas em Santa Catarina pelo padre e arqueólogo João Alfredo Rohr em sítios localizado nos municípios de Florianópolis, Balneário de Camboriú, Jaguaruna, Laguna, Itapiranga e Urubici. Entre as peças há artefatos que eram usados há cerca de 12 mil anos por grupos de caçadores-coletores e de agricultores vinculados a etnias Tupi-Guarani e Itararé-Taquara e do povo Jê (Xokleng e Kaiangang).

No início dos anos 80, o padre doou o material que havia coletado para o Museu da Academia Nacional da Polícia Federal, em Brasília, com o objetivo de ajudar policiais a reconhecerem peças desse tipo, caso sejam obtidas em meio a operações policiais. Desde 2016, as peças faziam parte da Reserva Técnica do Museu da Academia Nacional da Polícia Federal.

No acervo cedido pelo padre, há o crânio de um indivíduo de mandíbula robusta que, pelas características dentárias tinha uma dieta alimentar com atrito. A partir da reconstrução facial feita no crânio foi possível concluir que o indivíduo tinha ascendência asiática.

A exposição no Museu de Geociências da UnB apresenta também o meteorito de Sanclerlândia, um dos maiores já encontrados no Brasil, com 279 quilogramas – recolhido em 1971 no estado de Goiás.

Foto: José Cruz/Agência Brasil
Fonte: Agência Brasil



Rio das Velhas registra melhora na qualidade da água

A volta da pesca no Rio das Velhas: em meio à pandemia, condições da água estão melhores em Sete Lagoas e região.

Rio das Velhas registra melhora na qualidade da água

Degradação ambiental e pandemias

À medida em que o crescimento econômico e populacional avança para áreas ainda preservadas, a aproximação com espécies animais que carregam patógenos coloca em risco a saúde das pessoas.

Degradação ambiental e pandemias

Funed tem projetos aprovados para diagnóstico e tratamento da covid-19

Iniciativas buscam respostas rápidas e eficazes para a doença durante a pandemia.

Funed tem projetos aprovados para diagnóstico e tratamento da covid-19

Abril registra recorde de desmatamento na Amazônia nos últimos dez anos

A área desflorestada é aproximadamente do tamanho da cidade de Porto Alegre, mostra sistema de monitoramento do Imazon.

Abril registra recorde de desmatamento na Amazônia nos últimos dez anos

A caixa de Pandora do aquecimento global: novos vírus e novas doenças estão por vir?

Mais uma vez, este tipo de pesquisa alerta para um tema largamente debatido na comunidade científica.

A caixa de Pandora do aquecimento global: novos vírus e novas doenças estão por vir?

COVID-19, SARS, H1N1 – o que estas doenças têm a nos dizer sobre os problemas ambientais?

Organização pressiona G20 pelo fim do comércio de animais silvestres

 Proteção Animal Mundial afirma que o banimento pode evitar futuras pandemias.

Organização pressiona G20 pelo fim do comércio de animais silvestres

Eficiência hídrica no agronegócio

Como a inovação e a tecnologia podem diminuir o consumo de água na agricultura e aumentar a produtividade do plantio.

Eficiência hídrica no agronegócio

Universidades federais conduzem mais de 800 pesquisas sobre covid-19

Instituições também produzem materiais para combate ao vírus.

Universidades federais conduzem mais de 800 pesquisas sobre covid-19

Plástico descartável: proibir para mudar

Algumas pessoas possuem a falsa impressão de que todos os resíduos plásticos são recicláveis.

Plástico descartável: proibir para mudar

Homem é condenado por dano à Mata Atlântica

Ele incendiou área e cortou árvores da Fazenda Tanque, na zona rural de Guaraciaba

Homem é condenado por dano à Mata Atlântica

Estudo mostra que gasto com água vem caindo na economia brasileira

IBGE e Agência Nacional de Águas traçam o perfil de consumo hídrico.

Estudo mostra que gasto com água vem caindo na economia brasileira