Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Fenômenos distantes podem afetar incêndios no Brasil

Fenômenos distantes podem afetar incêndios no Brasil

19/11/2020 Divulgação

Pesquisador aborda onda de incêndios na Amazônia e Pantanal e seus motivadores em diferentes escalas.

Fenômenos distantes podem afetar incêndios no Brasil

Você sabe o que é teleacomplamento e como isso pode ajudar a explicar a relação de eventos em locais e épocas diferentes com os incêndios no Brasil? O termo designa repercussões ambientais e socioeconômicas que ocorrem em consequência de sistemas naturais ou influenciados pelo homem que estão operando em locais distantes entre si.

"É uma junção teórica que empresta ideias de globalização da economia e de processos físicos naturais, como o clima em escala global", detalha o biólogo Alexander Vicente Christianini, professor do Departamento de Ciências Ambientais (DCA-So) do Campus Sorocaba da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar).

A partir do conceito de teleacomplamento, o pesquisador explica, por exemplo, como o comércio entre Brasil e China pode estar relacionado a incêndios em áreas naturais. "Uma demanda aumentada de carne e grãos por parte da China, por exemplo, favorece a conversão de áreas utilizadas originalmente para outros cultivos ou até mesmo a conversão de áreas de floresta para pastagens na Amazônia e a intensificação da pecuária no Pantanal. Parte dessas motivações está por trás da grande onda de incêndios que temos presenciado este ano nestas duas regiões do Brasil", alerta o docente da UFSCar.

Mas, os incêndios que transformam áreas naturais em pastagens podem prejudicar a agropecuária. Segundo o professor, há sinais de que a perda de floresta na Amazônia pode comprometer a chuva no Centro-Sul do Brasil, que responde por boa parte do agronegócio de exportação e da economia do País. "Todas essas mudanças geram ao mesmo tempo pressões conflitantes na sociedade, seja pela intensificação da exploração agropecuária de áreas naturais, seja pela conservação ou exploração mais racional dessas áreas", diz ele.

O assunto foi tema do texto "Arde el Brasil de Bolsonaro: contexto global de un desastre ecológico", escrito em parceria com o professor Daniel García, da Universidad de Oviedo, na Espanha, e publicado no Jornal TheConversation (de livre acesso), que pode ser acessado na íntegra em https://bit.ly/2IQYaSr. A publicação faz parte das atividades de Christianini em discutir conflitos entre conservação e desenvolvimento econômico, e conta com colaborações de estudiosos que pesquisam o impacto do fogo na vegetação e fauna do Cerrado. O docente também participa de um grupo de trabalho em políticas públicas da Associação Brasileira de Ciência Ecológica e Conservação (Abeco).

Fonte: UFSCar




Por que o plástico não precisa ser o vilão do meio ambiente?

O plástico tem sido tema central de amplos debates públicos, especialmente em relação a seus riscos ambientais.

Por que o plástico não precisa ser o vilão do meio ambiente?

Massa dos objetos construídos pelo homem supera a dos seres vivos na Terra

Estudo publicado na Revista Nature aponta que a cada 20 anos, a massa antropogênica – produzida pelo ser humano – dobra.

Massa dos objetos construídos pelo homem supera a dos seres vivos na Terra

O poder de transformação do saneamento

Tudo indica que entramos na era do acerto de contas com a nossa dívida histórica com o saneamento.

O poder de transformação do saneamento

ONG planta 265 milhões de árvores no Brasil

Foram recuperadas áreas na Amazônia, Cerrado e Mata Atlântica, por meio da campanha Restaura Brasil.

ONG planta 265 milhões de árvores no Brasil

Os perigos da mineração ilegal

72% de todo garimpo realizado na Amazônia entre janeiro e abril de 2020 ocorreu dentro de unidades de conservação e terras indígenas.

Os perigos da mineração ilegal

Área do Parque Estadual Serra do Papagaio, no Sul de Minas, é ampliada

Parque abrange os municípios de Alagoa, Aiuruoca, Baependi, Itamonte e Pouso Alto.

Área do Parque Estadual Serra do Papagaio, no Sul de Minas, é ampliada

O destino do lixo e o futuro do meio ambiente

Marco Legal do Saneamento Básico viabiliza a construção de 500 aterros sanitários regionais em todo o País, com investimento estimado em R$ 2,6 bilhões.

O destino do lixo e o futuro do meio ambiente

Portal facilita acesso ao monitoramento da água na bacia do Rio Doce

A bacia do Rio Doce tem 92 pontos de monitoramento e 22 estações automáticas instaladas em mais de 650 quilômetros de rios.

Portal facilita acesso ao monitoramento da água na bacia do Rio Doce

Expedição científica descobre quatro novas espécies de peixe em Noronha

Pesquisadores exploraram o arquipélago mais famoso do Brasil por 17 dias, utilizando drones submarinos e equipamentos de mergulho de última geração para fazer os registros.

Expedição científica descobre quatro novas espécies de peixe em Noronha

Solução para crises hídricas está na natureza

O Paraná vive a seca mais severa dos últimos anos, submetido, desde maio, à condição de emergência hídrica. Outras regiões brasileiras estão passando por problemas semelhantes. 

Solução para crises hídricas está na natureza

Onçafari registra mais de mil animais em câmeras de monitoramento no Legado das Águas

BNDES e governo do Rio lançam edital para concessão de saneamento do estado

Projeto prevê universalizar fornecimento de água e esgoto a 12,8 milhões de pessoas.

BNDES e governo do Rio lançam edital para concessão de saneamento do estado