Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Hábitos e atitudes que ajudam a combater o aquecimento global

Hábitos e atitudes que ajudam a combater o aquecimento global

25/01/2019 Da Redação

É cada vez mais nítida a influência dos níveis de poluição da atmosfera da terra no aumento da temperatura do planeta nas últimas décadas.

Hábitos e atitudes que ajudam a combater o aquecimento global

Existem muitas empresas que já estão se movimentando para tentar minimizar os impactos de seus negócios no meio ambiente, da mesma forma que em muitas cidades existem projetos, como as iniciativas de Campina Grande na Paraíba, que buscam conscientizar a população sobre os riscos que o aquecimento global traz para as próximas gerações.

Veja como você também pode contribuir para minimizar esses problemas num futuro próximo.

1 – Apagar as luzes quando sair dos ambientes

Num primeiro momento você pode achar que como a energia elétrica é gerada com o uso de água ela não tem nenhuma relação com o aquecimento do planeta.

O problema é que em determinados meses do ano, como no inverno, os níveis dos reservatórios das usinas hidrelétricas ficam com seus níveis muito baixos.

Com isso, para que não ocorram os famosos apagões as usinas termoelétricas são acionadas para absorver a demanda.

Ao apagar as luzes quando sair dos ambientes você ajuda a reduzir o consumo de energia que pode ter de ser gerada pelas termoelétricas, que acabam lançando grandes quantidades de poluentes na atmosfera.

E a sua conta também vai ficar mais barata.

2 – Diminuir sua produção de lixo

As cidades produzem cada vez mais lixo doméstico, que acaba tendo como destino os aterros sanitários já superlotados e a beira de um colapso.

Mesmo que você faça a separação correta do lixo na sua casa, separando o orgânico do reciclável, os dois tipos terão de ser transportados, seja para os centros de reciclagem ou para os aterros, com o uso de caminhões que lançam seus gases poluentes na atmosfera.

Por isso apenas separar corretamente seus resíduos não é o suficiente para contribuir com a redução na emissão de gases poluentes.

3 – Reduzir o consumo de carne

O desmatamento causado pela indústria de carne, principalmente bovina, é algo gigantesco.

Quanto mais as empresas desse mercado crescem e precisam aumentar sua produção maior é o espaço necessário para que o gado possa pastar e se desenvolver até o momento do abate.

Estima-se que mais de 60% de toda a produção de gases de efeito estufa produzido pelo Brasil tenha sua origem na agropecuária.

Por isso pode ser uma boa ideia reavaliar a sua alimentação.

Existem muitos estudos que mostram que a carne vermelha pode trazer sérios problemas de saúde no longo prazo.

Ao substituir a carne vermelha de suas refeições por outras fontes de proteínas você ajuda a melhorar a saúde do mundo, e a sua própria.

4 – Utilizar menos o carro

Enquanto os carros elétricos não dominam o mercado é altamente inteligente deixar o carro na garagem o maior número possível de dias.

Tanto o processo de produção dos automóveis de todos os tipos quanto o processo de combustão que eles utilizam são responsáveis para o aumento gigantesco nos níveis de poluição na atmosfera nas últimas décadas.

Utilizar o transporte público pode ser uma saída, mas ônibus e vans também emitem os mesmos poluentes.

O ideal é fazer percursos menores a pé, ou de bicicleta.

5 – Evitar o uso de materiais descartáveis

Materiais descartáveis, como copos e canudos, são péssimos para o meio ambiente.

Esse tipo de produto é usado por poucos minutos apenas, mas o seu processo de produção emite quantidades consideráveis de poluentes na atmosfera que contribuem muito para o surgimento de problemas relacionados ao aquecimento de todo o planeta.

Além disso, uma quantidade enorme desses produtos é descartada sem qualquer critério em ruas, e na própria natureza, levando muito tempo para que consigam se decompor.

Conclusão

Empresas e países são responsáveis diretos por grande parte do problema do aquecimento global, mas as pessoas comuns também podem fazer a sua parte.

Com essas pequenas atitudes é possível contribuir para deixar um mundo menos poluído e habitável para as próximas gerações.



O Brasil e a agropecuária sustentável

A pecuária brasileira tem se pautado ao longo dos anos pela sustentabilidade em toda cadeia produtiva e pela qualidade e segurança dos alimentos.


Como transformar a nossa relação com a natureza?

Falar em meio ambiente não é algo abstrato.

Como transformar a nossa relação com a natureza?

Cerrado tem 5% da biodiversidade do mundo

O Cerrado é o segundo maior domínio brasileiro com um território de 1,5 milhão de km².

Cerrado tem 5% da biodiversidade do mundo

Alertas de desmatamento crescem 223% na Amazônia, segundo Inpe

Área desflorestada da Amazônia, em 2019, cresceu 92% ao registrado no mesmo período do ano passado.

Alertas de desmatamento crescem 223% na Amazônia, segundo Inpe

Oceanos são o verdadeiro pulmão do mundo, diz pesquisador

Em evento realizado no Rio de Janeiro, cientistas, atletas, jornalistas, influenciadores e artistas discutiram a importância dos ecossistemas marinhos para a sobrevivência na Terra.

Oceanos são o verdadeiro pulmão do mundo, diz pesquisador

Ambev seleciona startups com soluções socioambientais

As inscrições estão abertas para a 2ª edição do programa; o melhor projeto será premiado com R$ 100 mil.

Ambev seleciona startups com soluções socioambientais

A propósito das sacolas de plástico

O plástico é mais solução do que problema se for bem manejado e processado.

A propósito das sacolas de plástico

A água que você não vê

Feche a torneira ao escovar os dentes! Banho de 5 minutos! Lave o carro e o quintal com balde e não com mangueira!


Focos de queimadas batem recorde no Brasil

Queimadas no país já ultrapassam 70 mil pontos em 2019.

Focos de queimadas batem recorde no Brasil

Como a comunicação pode engajar a sociedade na preservação dos oceanos

Conexão Oceano abordará a relação do oceano com o nosso dia a dia e o papel da comunicação para a sensibilização da comunidade.

Como a comunicação pode engajar a sociedade na preservação dos oceanos

Julho de 2019 foi o mês mais quente da história mundial

2019 foi o ano com maiores temperaturas até o momento em partes da América do Sul e do Norte, Ásia, Austrália e Nova Zelândia.

Julho de 2019 foi o mês mais quente da história mundial

População de animais em florestas cai pela metade desde 1970

WWF aponta que a situação é particularmente crítica na Amazônia e em outras florestas tropicais.

População de animais em florestas cai pela metade desde 1970