Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Incêndios e queimadas se alastram por todo o país

Incêndios e queimadas se alastram por todo o país

17/10/2014 Da Redação

Incêndios no país em outubro dobram em relação ao mesmo mês de 2013.

O número de focos de incêndio registrados em todo o país durante os primeiros 15 dias de outubro mais que dobrou em comparação ao mesmo período do ano passado.

Dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), disponíveis no Portal do Monitoramento de Queimadas e Incêndios, apontam que, entre 1º e 15 de outubro deste ano, o total de focos chegou a 24.237, resultado 113% maior que os 11.375 casos verificados no mesmo período de 2013.

Se o ritmo atual se mantiver pelas próximas duas semanas, o total de focos de incêndio ativos também será maior que os de agosto e setembro últimos. Ao longo de todo o mês passado, foram registrados 43.174 casos. Historicamente, setembro é o mês que concentra o maior número de ocorrências de todo o ano.

Mais de 1.630 brigadistas do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) combatem o fogo em áreas críticas, unidades de conservação e terras indígenas espalhadas por todo o país.

Focos de incêndio já atingiram o Parque Nacional do Araguaia (TO), o Parque Nacional da Serra dos Órgãos (RJ; o Parque Nacional da Serra do Cipó (MG) e a Serra da Cantareira (SP), entre outras localidades, como a Região Metropolitana de Belo Horizonte. Só no estado de São Paulo, segundo o Corpo de Bombeiros, a cada 8,5 minutos é registrado o início de um incêndio em área de mata.

De acordo com o coordenador do Centro Nacional de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais (Prevfogo), Rodrigo Falleiro, o resultado de todo este ano já era esperado. “Como choveu muito, 2013 foi um dos anos em que tivemos menos focos de incêndio na história. Neste ano, foi bem mais seco. Por isso, já esperávamos o aumento do número de focos em comparação ao ano passado”, disse Falleiro, comparando os dados anuais consolidados.

Ao longo dos últimos 15 dias, os estados que registraram o maior número de focos foram Mato Grosso (3.801), o Maranhão (3.578), Minas Gerais (3.408), o Pará (2.938), Tocantins (2.802) e a Bahia (1.594). Só as cidades de Cocalinho (MT) e de Paranã (TO), juntas, totalizam 177 focos de incêndio, Quando analisadas as últimas 48 horas, Minas Gerais e o Tocantins lideram a lista das unidades da Federação com mais queimadas, com, respectivamente, 864 e 526 casos.

O bioma mais afetado nos últimos dois dias foi o Cerrado. No segundo maior ecossistema brasileiro - que se estende por oito estados (Minas Gerais, Goiás, Tocantins, Bahia, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Piauí e Distrito Federal) – foram registradas 2.126 ocorrências, o que equivale a 59% dos incêndios dos dois últimos dias. A Amazônia teve 661 focos (18,5%), a Mata Atlântica. 642 (18%) e a Caatinga, 142 (4%).

Fonte: Agência Brasil



A dessalinização como um seguro saúde para redução da vulnerabilidade hídrica no Brasil

A dessalinização é o processo de remoção de sais da água do mar - para que ela possa ser utilizada para fins potáveis ou industriais.

A dessalinização como um seguro saúde para redução da vulnerabilidade hídrica no Brasil

Mudanças climáticas forçam 20 milhões por ano a deixarem suas casas

Conferência da ONU COP25, em Madri, debate emergências climáticas no mundo.

Mudanças climáticas forçam 20 milhões por ano a deixarem suas casas

Bolsa Reciclagem beneficia 1,4 mil famílias de catadores em Minas

Governo retoma repasses do programa que estavam interrompidos desde 2017.

Bolsa Reciclagem beneficia 1,4 mil famílias de catadores em Minas

Para evitar catástrofe climática, emissões de CO2 precisam cair 7,6% ao ano

Dados do Pnuma mostram que em 2018, o total de emissões de CO2 atingiu níveis recordes e, na última década, as emissões aumentaram 1,5% por ano.

Para evitar catástrofe climática, emissões de CO2 precisam cair 7,6% ao ano

Óleo que atingiu Rio de Janeiro é compatível com o do Nordeste

Ao todo, 772 localidades de 124 municípios em 11 estados foram atingidos pelo óleo, diz Ibama.


Expedição avalia poluição do Rio São Francisco

Serão realizadas análises física, química e orgânica das águas do rio.

Expedição avalia poluição do Rio São Francisco

Pós-graduação em Conservação da Fauna da UFSCar oferta mestrado profissional

Inscrições podem ser feitas até o dia 25 de novembro pelo site do Programa.

Pós-graduação em Conservação da Fauna da UFSCar oferta mestrado profissional

Brasil gera 79 milhões de toneladas de resíduos sólidos por ano

Brasil é o campeão de geração de lixo na América Latina.

Brasil gera 79 milhões de toneladas de resíduos sólidos por ano

Projeto no Cerrado recupera área de 110 mil campos de futebol

Ação ensinou 7,8 mil produtores rurais a usar práticas sustentáveis.

Projeto no Cerrado recupera área de 110 mil campos de futebol

A necessária educação ambiental à sociedade civil

A obrigação de conservação da natureza é de todos nós.


IBGE lança mapa com biomas brasileiros

O bioma da Amazônia ocupa 49,5% do território. Em segundo maior bioma é o Cerrado (23,3%),

IBGE lança mapa com biomas brasileiros

UFSCar e Cefet-MG produzem canudos biodegradáveis a base de amido da mandioca

Trabalho conjunto acontece no âmbito do Instituto Midas de Tecnologias Ambientais e aliou experiência na área de Química à Engenharia de Materiais.

UFSCar e Cefet-MG produzem canudos biodegradáveis a base de amido da mandioca