Portal O Debate
Grupo WhatsApp

O que são mesmo as cidades inteligentes? A Mantiqueira ensina

O que são mesmo as cidades inteligentes? A Mantiqueira ensina

24/09/2021 José Roberto Manna, Viviane Mansi

Vivemos um momento histórico de perplexidade e ruptura com os nossos padrões.

O que são mesmo as cidades inteligentes? A Mantiqueira ensina

Temos consciência de que algo deve mudar e se somar ao que costumamos dar o nome de progresso. A milenar cultura oriental nos ensina, todavia, que a crise é também a porta de entrada para novas oportunidades. A tecnologia seria, então, a resposta? Ela nos conduzirá efetivamente ao que começamos a chamar de inteligente? Ao refletir sobre esse conceito – o que é de fato ser inteligente? – vamos buscar inspiração e aprendizado na natureza, onde tudo está interligado, garantindo a vida e a perpetuidade. De repente, a “porta” de que estamos falando não nos leva apenas a um caminho inspirador, mas um caminho de respostas, ou melhor, em Soluções Baseadas na Natureza.

As áreas naturais remanescentes, compostas por milhões de espécies de microrganismos, plantas e animais, ecossistemas e toda sua variabilidade genética nos ensina, de fato, que a resposta está mais perto de nós do que imaginávamos. De acordo com um artigo da revista Science, as áreas protegidas – que representam mais da metade do território global, se somarmos os 15% de área protegida na forma de parques e reservas governamentais aos 36% de áreas privadas bem conservadas – são a base para a restauração ecológica que auxilia na viabilidade da manutenção de toda a biodiversidade.

Mas por onde começar? Felizmente já temos alguns bons modelos em operação e um deles acontece na Mantiqueira, uma das 100 áreas do planeta que oferecem o habitat a todos os vertebrados - mamíferos, aves, anfíbios e peixes. Trata-se de uma cordilheira localizada no Sudeste do Brasil com 500 quilômetros de extensão, atingindo quase três mil metros de altitude entre os estados de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro, e identificada em seu conjunto como a oitava área mais rica em diversidade biológica do mundo.

Nesta região especial, o projeto Águas da Mantiqueira, financiado por duas fundações desde 2017, é um trabalho de pesquisa de longa duração, centrado em estudos de todos os habitantes de seus municípios - pessoas, plantas e animais domesticados e silvestres. Trinta pesquisadores buscam respostas a perguntas complexas e desafiadoras para a ciência e a política: quanto de água um rio necessita? Como garantir alimento, segurança e território aos seres humanos, plantas e animais?

Como resultado, Santo Antônio do Pinhal e Sapucaí-Mirim possuem hoje um amplo diagnóstico de biodiversidade, relevo, águas e formas de uso da terra que permitem ao poder público e à comunidade conhecer essas necessidades e implementar diretrizes de convívio entre a cidade, os espaços rurais e as áreas silvestres. Foram realizadas avaliações da quantidade e qualidade da água e da vida ao longo 2.300 km de córregos e rios, 90 bacias hidrográficas por meio de 15 linhas de pesquisa estão sendo desenvolvidas. Poucos são os municípios brasileiros que possuem tal profundidade de conhecimento e são capazes de organizar seus planos diretores considerando todo o território e reorientar políticas públicas na direção da efetiva sustentabilidade.

Isso mostra que a pesquisa e o conhecimento científico estão a favor do desenvolvimento sustentável e precisam de multiplicadores para atingir a efetividade. Em quatro anos, foram realizadas 12 oficinas pelo Águas da Mantiqueira, que tiveram a participação de mais de 670 pessoas. Foram organizadas 17 parcerias e aconteceram mais de 84 reuniões entre a equipe do projeto com os governos locais – uma articulação importante que resultou em ações práticas.

O Projeto Águas da Mantiqueira estabeleceu um novo caminho para recuperação de áreas degradadas por meio da iniciativa Restauração Ecológica e Biocultural nas Bacias Hidrográficas em Santo Antônio do Pinhal, com o apoio da Fundação Toyota do Brasil e da Fundepag. Como resultado direto, houve aumento na diversidade de espécies nativas “plantadas” pelos jardineiros da floresta, como aves e mamíferos dispersores de sementes. Até 2022, boa parte do território de floresta convertida em áreas de espécies exóticas voltará a ser ocupado por grande diversidade de espécies nativas.

Assim, as cidades aprendem na prática que formas de convivência são perfeitamente possíveis e necessárias para resguardar e proteger bens naturais que são urgentes para todos, como a água. Como parte das atividades de gestão sustentável dos municípios novas áreas serão restauradas, incluindo os espaços ao redor de nascentes aumentando o volume e a qualidade deste elemento essencial à vida. As áreas naturais são a mais perfeita embalagem da água, movimentam a economia, garantem a saúde, a recreação para o turismo, o bem-estar social e pavimentam inovações em políticas públicas ancoradas na biodiversidade.

Trata-se do sistema com o melhor custo-benefício e eficiência a produzir cidades verdadeiramente inteligentes, onde governo e comunidade encontram as soluções de gestão baseadas na natureza, como a restauração ecológica e biocultural. Além do mais, vale dizer que é significativamente mais barato do que métodos mais tradicionais de plantios de mudas nativas, por exemplo. Inteligência, portanto, está no “como” e não apenas no “o que”.

* José Roberto Manna, Fundepag - Projeto Águas da Mantiqueira.

* Viviane Mansi, Fundação Toyota do Brasil - Projeto Águas da Mantiqueira.

Para mais informações sobre Cidades Inteligentes clique aqui...

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Fonte: Fundação Toyota



Net Zero: como aplicar estratégias de redução de carbono para a sua empresa?

Entre as possibilidades de compensação estão o investimento em restauração e plantio de florestas, projetos de geração de energia renovável, entre outras.

Net Zero: como aplicar estratégias de redução de carbono para a sua empresa?

Semana Lixo Zero quer incentivar práticas sustentáveis no país

Brasileiros descartam 79 milhões de toneladas de lixo sólido por ano.

Semana Lixo Zero quer incentivar práticas sustentáveis no país

Novo marco e as inovações no saneamento

Podemos esperar muito mais nos próximos anos.

Novo marco e as inovações no saneamento

Caixa ajudará a plantar 600 mil árvores em Minas Gerais e Tocantins

O Caixa Florestas prevê o plantio de 10 milhões de árvores nos próximos cinco anos.

Caixa ajudará a plantar 600 mil árvores em Minas Gerais e Tocantins

Manutenção hidráulica ajuda diminuir em até 30% o consumo de água

“Consumidor pode reduzir o desperdício de água”, orienta o presidente da Apecs.

Manutenção hidráulica ajuda diminuir em até 30% o consumo de água

Cidade do Rio de Janeiro passa a contar com sistema de coleta de lixo eletrônico

Capital fluminense é a 7ª cidade do país a ofertar serviço para a população.

Cidade do Rio de Janeiro passa a contar com sistema de coleta de lixo eletrônico

Florestas plantadas no Brasil somam 9,3 milhões de hectares em 2020

Áreas com cobertura de eucalipto representam 80,2% das florestas.

Florestas plantadas no Brasil somam 9,3 milhões de hectares em 2020

Programa Resgate+ terá ações de atendimento e assistência a animais silvestres

Iniciativa dará destinação adequada aos animais atendidos em operações de resgate e assistência.

Programa Resgate+ terá ações de atendimento e assistência a animais silvestres

Cinco fatos sobre radiação solar que você talvez não saiba

A radiação solar inclui radiação infravermelha e ultravioleta.

Cinco fatos sobre radiação solar que você talvez não saiba

Mercado de gestão de créditos de carbono é a aposta da Ecofix

Agronegócio passa a contar com um novo sistema de gestão de commodities ambientais que comercializa e monitora créditos por Pagamentos de Serviços Ambientais.

Mercado de gestão de créditos de carbono é a aposta da Ecofix

O Brasil no coração da conservação mundial da natureza

O Congresso trouxe esperança para todos que estão comprometidos com a conservação da natureza em nosso país.

O Brasil no coração da conservação mundial da natureza

Brasil pode gerar até US$100bi em receitas de créditos de carbono até 2030

Projeção feita pela WayCarbon em estudo encomendado pela ICC Brasil aponta oportunidades para os trades de agro, florestas e energia até 2030, com recomendações ao governo brasileiro e ao setor privado.

Brasil pode gerar até US$100bi em receitas de créditos de carbono até 2030