Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Professor diz que Google perdeu imagem positiva e gera medo

Professor diz que Google perdeu imagem positiva e gera medo

12/07/2007 Da Redação

Domínio de mercado cria temores entre usuários e afeta a imagem da empresa americana, avalia especialista em mídia da Universidade de Leipzig. Liderança é ameaçada pela Microsoft e pelo Yahoo.

O Google perdeu sua imagem de máquina de buscas simpática e transparente e se tornou o novo "polvo" da internet principalmente devido à sua política de aquisição de concorrentes menores, avaliou o professor de jornalismo Marcel Machill, especialista em sistemas internacionais de mídia da Universidade de Leipzig, em entrevista à DW-WORLD.

"Muitas pessoas têm medo do Google, desse domínio de mercado", disse o especialista, para quem o destaque dado à empresa de buscas têm colocado em segundo plano as discussões sobre monopólio que acompanham a Microsoft.

Machill afirmou ainda que o domínio do mercado de software e internet será garantido pela empresa que detiver a melhor tecnologia de buscas na rede mundial de computadores. Para ele, a liderança do Google na área de máquinas de busca não está assegurada e pode ser ameaçada por Microsoft e Yahoo.

DW-WORLD: Durante muitos anos, a Microsoft dominou sozinha o mundo dos computadores e da internet com sistemas operacionais e softwares para escritórios. O Google chegou nesse mercado e o que se vê agora é uma luta de gigantes. Quem sairá vencedor?

Marcel Machill: Quem tiver, a longo prazo, a melhor tecnologia de buscas. A Microsoft dormiu no ponto no mercado de máquinas de busca e o Google, com uma tecnologia excepcional, conquistou esse mercado. Ao mesmo tempo, é interessante observar a velocidade com que a imagem do Google mudou de uma máquina de buscas simpática e transparente para o novo "polvo" da internet, que compra todos os setores possíveis e além disso ainda domina um mercado importante como o de buscas. É impressionante como isso mudou. Muitas pessoas têm medo do Google, desse domínio de mercado. E ninguém mais fala sobre a posição de monopólio da Microsoft, que continua existindo na área de sistemas operacionais.

Tim O'Reilly declarou ao Frankfurter Allgemeine Zeitung que a Idade da Microsoft passou e que vivemos agora na Idade do Google. Ele tem razão?

No momento, é assim que as coisas se apresentam. Mas poderíamos dizer, de uma maneira algo leviana, que nem todos os dias é noite. Vimos como o Google conquistou o primeiro lugar no mercado de máquinas de busca com uma nova tecnologia, que classifica os resultados. Mas agora os concorrentes acordaram. O primeiro foi o Yahoo. Até 2003, o Yahoo mantinha uma estreita colaboração com o Google. Mas essa parceria foi rompida e desde então a empresa investe maciçamente em tecnologias próprias de busca. Também a Microsoft investiu muito em tecnologias de busca. E esses são, hoje, os dois principais concorrentes.

Como continuará essa história?

O sucesso prematuro do Google pode acabar se tornando fatal para a empresa. Pois como o Google é o incontestável número um das máquinas de busca, é também a primeira vítima de manipulações nessa área. As máquinas de busca não são sempre assim tão neutras ou apresentam sempre o que é mais relevante, como gostaríamos. Como o Google é muito forte e usado por todos, as assim chamadas Search Engine Optimizer (SEO) gostam de manipular os seus rankings. Ou seja, o Google é a primeira vítima por ser muito importante, e com isso as suas listas ficam piores. Na comparação com o Yahoo ou com a Microsoft, pode acontecer de os resultados do vice-líder ou do terceiro colocado serem melhores, ou seja, menos manipulados e menos influenciados por spams do que os do Google. Por isso, ainda não é possível prever como isso evoluirá nos próximos dois ou três anos.

O Google oferece cada vez mais softwares que podem ser usados de qualquer lugar, ou seja, que não precisam estar instalados no computador, como o G-Mail, os Apps e o Google Gears. Estaremos nos despedindo do Microsoft Office em alguns anos?

Nessa área, a Microsoft detém uma posição de mercado muito forte. Vai demorar muito para que algo mude. E a Microsoft não está dormindo. A empresa possui um enorme capital de investimento e investe também em tecnologias de busca. Eu não concordo com afirmações de que o Google tenha, em todos os setores, ganhado terreno em relação à Microsoft.

A Microsoft foi considerada até aqui como uma fabricante de software. Já o Google, como uma empresa de internet e de busca. Essas fronteiras ainda existem?

Elas estão se diluindo. Eu também não as apresentaria de uma maneira tão clara. A Microsoft desenvolveu, com seu próprio browser e a integração do Netscape, o principal software para navegação na internet e tem, com o Hotmail, um dos líderes no serviço de e-mail. Não acredito que essa separação continue fazendo sentido.

A Microsoft nunca se destacou por detectar tendências ou por seu pioneirismo. Mas sempre conseguiu incorporar ou copiar os pioneiros e expulsá-los do mercado. Com o Google, pela primeira vez isso parece não ter funcionado. Na sua opinião, a Microsoft conseguirá tirar o Google do mercado?

Não acredito. Além disso, o Google não é o simpático criador de tendências da Califórnia, que cria e desenvolve tudo sozinho. Também o Google, com os seus bilhões de dólares, segue a política de incorporar outros que tenham desenvolvido algo novo. Esses dois gigantes não se diferenciam mais nesse aspecto. Mas eu não acredito que um posso engolir o outro.

A Microsoft supera o Google como empresa. O faturamento é quatro vezes maior e o valor das ações, duas vezes e meia maior. O Google pode superar a Microsoft nesse aspecto?

O Google tem mais dificuldades do que a Microsoft nesse aspecto. Exatamente porque a Microsoft, graças às suas parcerias com fabricantes de computadores e ao seu sistema operacional, que podemos encontrar em quase todos os computadores do mundo, simplesmente tem uma base sólida. No caso do Google, essa base é frágil e não tão estável, e isso porque o primeiro lugar na tecnologia de buscas não é tão certo que permita um relaxamento.

Se o senhor recebesse 10 mil dólares para investir em ações, quais compraria: do Google ou da Microsoft?

Como alguém que não gosta de jogar dinheiro para o alto, eu dividiria entre os dois.

Mais informações sobre a Alemanha e a Europa no site www.DW-WORLD.DE/brasil



Exposição apresenta elementos da pré-história no DF e em Santa Catarina

A exposição Arqueologia e Habitantes da Pré-História pode ser vista no Museu de Geociências da Universidade de Brasília (UnB)

Exposição apresenta elementos da pré-história no DF e em Santa Catarina

Insetos como alternativa para ração animal

A mais moderna fazenda de insetos da Europa acaba de ser inaugurada na Holanda. Empresa aposta na produção em grande escala para alimentar animais. Quais são as vantagens desta fonte de proteína?

Insetos como alternativa para ração animal

Ameaças à fauna marinha estão aumentando, diz SeaWorld

Metade dos peixes-bois resgatados na costa da Flórida desde 2015 estavam em perigo

Ameaças à fauna marinha estão aumentando, diz SeaWorld

Plataforma facilita doação de matéria-prima e reaproveitamento de resíduos sólidos

No site é possível anunciar diversos tipos de materiais como alumínio, metal e madeira

Plataforma facilita doação de matéria-prima e reaproveitamento de resíduos sólidos

Cuidar do ar importa

No ano de 1972 na Suécia, a sociedade dava um grande passo em relação as questões ambientais, através da Conferência de Estocolmo.

Cuidar do ar importa

Brasil e Alemanha assinam acordo para repatriar ararinhas-azuis

Projeto inédito vai levar de volta ao país 50 aves que vivem num criadouro alemão. Apenas 163 ararinhas-azuis existem no mundo.

Brasil e Alemanha assinam acordo para repatriar ararinhas-azuis

Desmatamento é principal preocupação do brasileiro, revela pesquisa

Em seguida aparecem a poluição da água e como lidar com os resíduos produzidos

Desmatamento é principal preocupação do brasileiro, revela pesquisa

Saneamento precisa de um rumo

O governo federal precisa dar um norte para o saneamento brasileiro para atender às antigas demandas da população por melhor qualidade de vida.


Inscrições abertas para o Prêmio Hugo Werneck de Sustentabilidade

O prêmio é uma realização da Revista Ecológico em parceria com a Fiemg


O papel dos jovens frente a escalada da destruição da natureza

Estimular os jovens ao exercício da cidadania não teria momento mais oportuno do que o atual.


Clima gera prejuízo de US$ 1 trilhão a grandes empresas

Relatório mostra como grandes corporações como Nestlé, Unilever, Apple e Microsoft podem perder com as mudanças climáticas e deveriam fazer mais para reduzir emissões de CO2.

Clima gera prejuízo de US$ 1 trilhão a grandes empresas

Como está o ar que respiramos?

A poluição do ar reflete também na poluição do solo por meio da emissão do gás ozônio.

Como está o ar que respiramos?