Portal O Debate
Grupo WhatsApp


4 coisas que seu filho nunca deve fazer na internet e como protegê-lo

4 coisas que seu filho nunca deve fazer na internet e como protegê-lo

18/09/2019 Da Redação

As crianças e adolescentes passam muito tempo na internet, mas a navegação pode ser segura e útil.

4 coisas que seu filho nunca deve fazer na internet e como protegê-lo

Veja aqui 4 coisas que seu filho nunca deve fazer na internet e saiba como protegê-lo!

Além de curtir, crianças e adolescentes postam conteúdos, sendo que a maior parte possui conta pessoal nas redes sociais. De acordo com dados coletados pelo Unicef, cerca de um terço dos usuários da web é formado por crianças. Além disso, os jovens são os que possuem maior presença online.

Os riscos que circulam esse público são grandes, mas se tornam ainda maior pelo fato de que alguns pais desconhecem as novas tecnologias. Por essa geração ser formada por crianças e adolescentes mais curiosos, desde muito cedo já utilizando diferentes aplicativos.

Como forma de proteger os filhos da exposição à internet, os pais precisam se atentar a alguns pontos. Veja aqui o que seu filho nunca deve fazer na internet e monitore-o, a fim de protegê-lo!

Coisas que as crianças não devem fazer online

Embora muitos aplicativos possuem restrições de idade, ainda assim é possível ver contas de menores de 12 anos. Isso ocorre muito nas redes sociais, especialmente, porém, em plataformas de jogos online também.

Mas como se pode perceber, as classificações etárias existem, porém, é dever dos responsáveis supervisionar as atividades online das crianças e adolescentes. E para monitorar celular dos filhos, os pais podem contar com apps de controle parental.

Além disso, é importante orientá-los sobre os perigos de navegar em redes sociais e utilizar outros apps. Confira a seguir, uma lista de coisas que seu filho nunca deve fazer na internet!

1. Participar de desafios online

Os desafios online vão muito além da “Baleia Azul”. Somente o YouTube disponibiliza muitos conteúdos voltados a desafios virtuais. Ou seja, vídeos que oferecem atividades e jogos para serem reproduzidos. E para conseguir popularidade, muitas crianças e adolescentes acabam por se envolver. Porém, a maioria das brincadeiras não são saudáveis, tampouco seguras.

2. Divulgar informações pessoais

A internet oferece muitos riscos às crianças e adolescentes e, por meio da divulgação de dados pessoais, elas ficam ainda mais vulneráveis. Publicar o endereço, nome da escola, número de telefone e outros, é uma exposição perigosa. Assim como o seu filho criou uma conta com data de nascimento falsa, muitas pessoas mal-intencionadas também possuem perfil falso. Ou seja, não dá para saber quem realmente está do outro lado da tela. 

3. Acessar plataformas não recomendadas

É bastante comum ver o perfil de crianças nas redes sociais e para conseguir entrar, elas o ano de nascimento. Facebook, WhatsApp e o YouTube são as que lideram esse tipo de usuários. Porém, a idade legal para acessar essas e outras redes sociais é, em sua maioria, a partir dos 13 anos. Além das redes sociais, muitos outros apps também solicitam a idade antes do primeiro acesso. Essa proibição se dá por conta de proteger as crianças e adolescentes de alguns riscos online.

4. Exceder o limite de tempo de navegação

Criança precisa brincar e se socializar, no mundo real. Passar horas conectadas à internet resulta em impactos negativos na vida dos pequenos. Além de comprometer o sono, também prejudica a alimentação e interação social. De acordo com um estudo levantado pela Academia Americana de Pediatria, crianças de 8 a 12 passam uma média de 32h semanais conectadas à internet. Esse estudo ainda apontou que a maioria delas não tem acompanhamento de um adulto.

Como proteger os filhos na internet

Existem muitas formas de permitir que o seu filho navegue na internet, sem expô-los. Veja algumas!

• Para se proteger de pedófilos e outras pessoas mal-intencionadas, alerte sobre o perigo de fazer amizades online com desconhecidos.

• Aconselhe-o sobre não postar informações pessoais.

• Alerte-o sobre o perigo de combinar se encontrar com alguém que só conhece virtualmente.

• Além de conversar e impor regras, os pais podem contar com aplicativos diversos, como o Find My Kids que definem o tempo online.

• Fique sempre atento ao histórico de navegação e tenha a senha das redes sociais dos seus filhos.

Saiba mais!

O aplicativo de monitoramento parental Find My Kids, por exemplo, além de contribuir com esse controle, ainda permite aos pais, saber a localização exata dos filhos. Ou seja, você instala no celular ou relógio inteligente do seu filho e fica tranquilo. Além disso, conta com vários outros recursos, como histórico de navegação e botão de emergência, caso ele esteja em perigo, aciona o botão para alertar os pais.

Vale a pena investir nessas dicas e se atentar a todas essas 4 coisas que seu filho nunca deve fazer na internet.

Fonte: https://www.terra.com.br/noticias/brasil/quem-defende-os-direitos-das-criancas-na-era-digital,385536f4ca40f8d22e5bb3a231220be7i1fxis1n.html



Está na hora de trocar a transformação digital por inovação contínua

As organizações estão em uma esteira de inovação contínua.


RH Digital

Como a tecnologia pode revolucionar a área de recursos humanos?


Apenas 20% dos pequenos negócios com acesso à internet fazem vendas online

Feira do Empreendedor terá palestras gratuitas, com transmissões ao vivo, sobre marketing digital e estratégias para aumentar as vendas pela internet.

Apenas 20% dos pequenos negócios com acesso à internet fazem vendas online

Serviços bancários por celular são acessados por 65% dos brasileiros

Mais da metade dos consumidores usa smartphones para abrir contas bancárias ou adquirir produtos ou serviços financeiros.

Serviços bancários por celular são acessados por 65% dos brasileiros

Enfrentando a tempestade digital

Os líderes empresariais assumem seus postos depois de muito empenho.


Tentativa de espionagem cresce 228% no Brasil

Estatísticas são parte do relatório ‘A situação do stalkerware em 2019’, desenvolvido pela Kaspersky para apoiar o combate à espionagem.

Tentativa de espionagem cresce 228% no Brasil

WhatsApp é a maior ferramenta de comunicação da classe C

Estudo inédito traz dados sobre consumo de mídia e indica que uso de celular já está consolidado entre o segmento.

WhatsApp é a maior ferramenta de comunicação da classe C

As distâncias diminuíram

O PayPal é a primeira estrangeira com licença de pagamento na China.


Brasil já tem mais de 145 milhões de celulares 4G

Desde o início do ano, 160 municípios já receberam as redes de 4G.

Brasil já tem mais de 145 milhões de celulares 4G

A inteligência voltada para a transformação digital

Quem trabalha com tecnologia certamente já teve a impressão de que as coisas estão mudando cada vez mais rapidamente.


Ferramenta de cálculos previdenciários registra mais de 12 mil “downloads” por mês

Previdenciarista conta com mais de 9 mil advogados de todo Brasil como clientes e otimiza tempo de trabalho de profissionais do setor.


Amo Beagá é o novo APP de benefícios exclusivos da cidade

Startup mineira movimenta mercado premium em Belo Horizonte.

Amo Beagá é o novo APP de benefícios exclusivos da cidade