Portal O Debate
Grupo WhatsApp

5G e Espionagem: Estados Unidos X China

5G e Espionagem: Estados Unidos X China

18/11/2020 Igor Macedo de Lucena

O sistema Five-Eyes é o maior sistema de espionagem global do planeta.

5G e Espionagem: Estados Unidos X China

Um dos principais embates entre os Estados Unidos e a China, além do ponto de vista do comércio internacional, é relativo à instalação da tecnologia 5G nas nações. A principal empresa que possui e oferece essa tecnologia a um preço competitivo e de ponta é a chinesa Huawei, que, tal como qualquer empresa chinesa, no final das contas deve obediência ao partido comunista e ao governo de Pequim, apesar de toda a política comercial que ela faz, sendo ela uma empresa da economia de mercado e que opera em vários países do mundo.

Suas principais concorrentes não são americanas, mas sim europeias: a Ericsson e a Nokia, que também têm uma capacidade considerável para a implantação das redes de comunicação 5G, porém com custos maiores. Por outro lado, pela importância que a rede 5G terá na “internet das coisas – IoT” e nos sistemas de comunicação e interconectividade entre casas, automóveis, tablets e diversos equipamentos neste século, torna-se evidente que a dominância de uma nação (ou uma empresa) sobre as redes 5G do planeta atribuem àquela nação (neste caso a China) um poder geopolítico e geoeconômico muito forte, sendo capaz de alterar a correlação de forças entre as principais potências econômicas e militares do planeta. 

Esse plano, nitidamente demonstrado pela ofensiva econômica e comercial da Huawei na última década, aparentemente não será concretizado por um conjunto de interesses e eventualidades do destino. O primeiro entrave à estratégia chinesa se deu pela guerra comercial com os Estados Unidos, que colocou a Huawei na mira do presidente Donald Trump e passou a pressionar várias nações a não admitir a tecnologia chinesa pela falta de transparência e pelo risco a segurança nacional devido à possibilidade de espionagem e vazamento de dados da nova rede para o governo de Pequim. O segundo entrave se deu pela estratégia de várias nações europeias de verem suas empresas, que são fortes competidoras da Huawei, aproveitar a pressão americana e expandir suas operações para outras nações. Em último lugar, a crise da Covid-19 e a demora das autoridades chinesas em admitirem a gravidade do caso trouxeram à tona uma crise na relação sobre as informações divulgadas por Pequim, o que aumentou a desconfiança sobre a privacidade e a segurança da Huawei.      

Outro importante fator limitador do poder de Pequim é a aliança de cooperação entre os sistemas de inteligência das 5 (cinco) principais nações anglofônicas, o chamado Five-Eyes, que reúne os Estados Unidos, o Reino Unido, o Canadá, a Austrália e a Nova Zelândia. Com exceção do Canadá, que ainda está em análise, todas as outras nações já bloquearam a participação da Huawei nas suas redes 5G, o que efetivamente impede grande parte do poder de expansão chinesa neste setor. É importante ressaltar que o sistema Five-Eyes é o maior sistema de espionagem global do planeta, capaz de interceptar sinais de transmissão como telefones, rádios, internet e computadores, além da decodificação e da interceptação de dados militares e civis em todo o planeta.

Por outro lado, a China já possui um robusto sistema de espionagem de sinais, civis e militares, há anos, e não seria exclusivamente por conta do 5G que o governo de Pequim seria capaz de capturar dados e informações sensíveis sobre o Brasil ou outras nações. Isso já ocorre efetivamente, em especial por meio de mais de 10 agências que operam inteligência e espionagem em nome do governo de Pequim. 

Obviamente que neste mundo cada vez mais complexo e interconectado, informação é poder e dinheiro. Não há elementos que possam desassociar a espionagem da expansão do poder dos Estados, principalmente pela disputa hegemônica que hoje encontramos em três polos, os Estados Unidos, a China e a União Europeia, que cada vez mais se apresentam como rivais e buscam ampliar suas zonas de interesse e influência ao redor do planeta. 

Recentemente os Estados Unidos passaram a abordar o Brasil com mais do que puramente ideologia e fizeram ofertas em conjunto ao Export-Import Bank para financiar a compra de redes 5G que não sejam chinesas, o que se mostrou o mais forte golpe contra Pequim e a Huawei em território brasileiro. Sob o ponto de vista do nosso interesse nacional, não existem ideologias que possam sobrepujar o nosso bem-estar, e por isso a decisão sobre o 5G brasileiro ainda não está definida. Se analisarmos puramente sob o ponto de vista de segurança e espionagem, já somos alvos tanto dos chineses quanto dos americanos e europeus e não será a Huawei que vai efetivamente abrir nossas informações sigilosas, isso já é um fato consumado hoje. Como nação, possuímos interesses comerciais e estratégicos tanto com a China quanto com a Europa e os Estados Unidos, de modo que a escalada dessa disputa em nosso território não deve ser de alinhamento automático a um ou a outro lado. Essa decisão de adotar a tecnologia chinesa, europeia e americana deve se basear única e exclusivamente nos interesses do Brasil, tanto sob o ponto de vista de segurança estratégica, quanto militar e econômica.   

* Igor Macedo de Lucena é economista e empresário, Doutorando em Relações Internacionais na Universidade de Lisboa, membro da Chatham House – The Royal Institute of International Affairs e da Associação Portuguesa de Ciência Política

Fonte: Comunica PR



Como proteger o infoproduto e o conteúdo digital e ficar seguro na Internet

A opção clássica é fazer o registro na Biblioteca Nacional garantindo uma proteção mais efetiva.

Como proteger o infoproduto e o conteúdo digital e ficar seguro na Internet

Plataformas digitais faturam equivalente a 48,8% do PIB brasileiro

FENAJ apresenta proposta de taxar parte para financiar jornalismo.

Plataformas digitais faturam equivalente a 48,8% do PIB brasileiro

WhatsApp testa no Brasil funcionalidade de indicação de negócios

Recurso é, por enquanto, exclusivo para usuários de São Paulo.

WhatsApp testa no Brasil funcionalidade de indicação de negócios

Brasília e Uberlândia são as ganhadoras do Prêmio Cidades Amigas da Internet

Divulgado no Painel Telebrasil 2021, prêmio reconhece as ações dos municípios para incentivar a implantação de infraestrutura de telecomunicações e a expansão da conectividade.

Brasília e Uberlândia são as ganhadoras do Prêmio Cidades Amigas da Internet

WhatsApp vai parar de funcionar em mais de 40 modelos de smartphones. Veja a lista

Se o seu celular estiver na lista, a solução é utilizar outro serviço para mensagens ou trocar de aparelho.

WhatsApp vai parar de funcionar em mais de 40 modelos de smartphones. Veja a lista

Conheça algumas fraudes que utilizam o PIX e como prevenir

Após mais de seis meses de início do uso do PIX, já surgiram diversas estratégias de golpes registradas utilizando essa ferramenta.

Conheça algumas fraudes que utilizam o PIX e como prevenir

Qual será o futuro do mobile marketing?

O celular se tornou uma extensão dos nossos corpos. No Brasil, o número de pessoas que usam tal aparelho principalmente para acessar a internet, vem crescendo cada vez mais – tendo chegado a 99% em 2019, segundo dados do TIC Domicílios.

Qual será o futuro do mobile marketing?

SMS pirata: como essa prática pode prejudicar o seu negócio?

O SMS é um canal de comunicação muito versátil, sendo altamente eficaz no envio de mensagens rápidas, curtas e de forma praticamente instantânea.

SMS pirata: como essa prática pode prejudicar o seu negócio?

Nova certificação digital gera economia de 73% a Minas Gerais

Assinatura on-line de documentos contribui para eficiência na prestação de serviços e facilita acesso pelo cidadão.

Nova certificação digital gera economia de 73% a Minas Gerais

Os novos golpes virtuais: saiba como se prevenir

Boletos bancários, venda de veículos, atualização de dados, vacinas e outras iscas utilizadas pelos bandidos.

Os novos golpes virtuais: saiba como se prevenir

Brasileiro gastou mais na internet no primeiro semestre de 2021

Com a necessidade de isolamento social, as pessoas passaram a comprar mais pela internet.

Brasileiro gastou mais na internet no primeiro semestre de 2021

Anúncios no YouTube: cinco segundos que tem tirado muita gente do sério

Numa sociedade ansiosa a nível de desequilíbrio, os anúncios no YouTube tornam-se um tormento e os anunciantes perdem ao invés de ganharem, revela neurocientista.

Anúncios no YouTube: cinco segundos que tem tirado muita gente do sério