Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Armazenamento ou backup em nuvem: qual a melhor opção para sua empresa?

Armazenamento ou backup em nuvem: qual a melhor opção para sua empresa?

22/10/2019 Da Redação

Compare as opções e escolha a ideal para suas necessidades.

Armazenamento ou backup em nuvem: qual a melhor opção para sua empresa?

A cada dia que passa, os dados adquirem mais valor. Prova disso são as notícias que imediatamente surgem quando uma empresa sofre interceptações e ataques de hackers, o que pode prejudicar sua imagem e até mesmo afetar seu valor de mercado.

Para evitar que isso aconteça, companhias de todos os portes e segmentos podem optar pela nuvem, mas há dois diferentes serviços oferecidos, os quais também variam em relação às características e especificidades: armazenamento e backup.

Vamos entender melhor a importância de manter os dados seguros e de tê-los em uma fonte externa e, então, conhecer as variações entre as alternativas, de modo que sua empresa possa escolher a ideal.

É realmente importante manter os dados seguros?

Sim. Afinal de contas, nunca se sabe quando eles podem ser interceptados, o que é passível de acontecer mesmo mediante a aplicação de técnicas avançadas de segurança.

As seguintes estatísticas são algumas das que corroboram para a importância dos backups, as quais estão acompanhadas de suas respectivas fontes:

- 21% dos arquivos de empresas não estão protegidos por nenhum tipo de proteção. Além disso, 88% das companhias com mais de 1 milhão de pastas possuem 100.000 pastas que podem ser acessadas por todos os colaboradores (2018 Global Data Risk Report, da Varonis).

- 46% das empresas de pequeno e médio porte no Reino Unido não possuem um plano de backup e recuperação de desastres (Riverbank IT Management).

- 23% das empresas nunca testam seu plano de recuperação de desastres, o que é essencial para se assegurar de seu funcionamento (Spiceworks).

- Quase 15 bilhões de registros de dados foram perdidos ou roubados desde o ano de 2013, o que corresponde a mais de 7 milhões de registros perdidos por dia. Além disso, apenas 4% foram consideradas “brechas seguras”, em que os dados roubados eram criptografados e, portanto, se tornaram inúteis para quem os interceptou (Breach Level Index).

Logo, fica comprovado que os dados precisam ficar inteiramente seguros. Caso contrário, os prejuízos podem ser muito difíceis de serem corrigidos, podendo até mesmo colocar a empresa em uma situação irreparável.

Por que optar pela nuvem?

Pelo fato de que os dispositivos físicos, que foram (e ainda são) muito utilizados no passado, também possuem suas limitações, o que pode colocar tudo a perder.

De acordo com o Google Labs, 140 mil discos rígidos, os famosos HDs de computadores, notebooks e afins, param de funcionar, considerando apenas os Estados Unidos. São quase 14 dispositivos que deixam de funcionar por minuto para os norte-americanos.

Além da interrupção de seu funcionamento, que pode ser resultante de causas naturais, impactos, derramamento de líquidos, oxidação ou outras situações, os discos rígidos podem ser perdidos ou roubados, junto com todos os dados que ali estavam.

Também é importante ressaltar que os dados e arquivos salvos em dispositivos físicos, onde também se enquadram os pen drives, HDs externos e afins, só podem ser acessados quando em posse deles. Se uma empresa só tiver backups físicos guardados na casa do diretor, por exemplo, qualquer problema provavelmente só poderá ser resolvido quando o diretor em questão estiver em posse deles.

É aí que entra a nuvem, com toda a praticidade e segurança que já faz parte de nosso cotidiano, a qual também pode (e merece) ser escolhida para tal finalidade.

Uma estatística divulgada pela Cybersecurity Insiders, em seu “Cloud Security Report 2018” mostrou que 49% das empresas pretendiam aumentar o investimento em segurança na nuvem nos próximos 12 meses do relatório, o que representa uma alta de, em média, de 28%.

Um ponto que pode suscitar dúvidas em quem não conhece tanto sobre o sistema diz respeito aos enormes Data Centers, locais que abrigam os imensos discos rígidos dos serviços na nuvem, mas estes são dotados de medidas de proteção e segurança que vão muito além das usadas pelos consumidores finais.

Algumas das medidas adotadas em tais espaços são as seguintes:

- Zero Trust Architecture: o termo, com tradução livre “arquitetura de confiança zero”, trata todas as transações, movimentos ou interações com dados como suspeitos, o que ajuda a identificar interceptações antes que elas aconteçam.

- Localização: não é à toa que os Data Centers não são instalados em qualquer local, já que é preciso se assegurar da atividade geológica, presença de indústrias de alto risco, rota de aviões, enchentes ou quaisquer outros riscos geológicos no local.

- Construção e estrutura: os servidores possuem acesso autorizado apenas a algumas pessoas. Além disso, os prédios possuem mais de uma fonte de energia e serviços de telecom, bem como sistemas de segurança reforçados.

Portanto, optar pela nuvem não é apenas possível como também altamente recomendável.

Armazenamento ou backup?

Pois bem, depois de tantos esclarecimentos, chegou o momento de entender qual é a melhor solução para sua companhia. Vamos às definições:

- Armazenamento em nuvem: atua como um HD virtual, onde é possível armazenar seus arquivos e acessá-los remotamente de onde estiver, como Google Drive, Dropbox, OneDrive e outros. É preciso que o usuário faça o upload dos arquivos desejados.

- Backup na nuvem: diferente do que acontece com o armazenamento, aqui os arquivos são copiados na nuvem, ou seja, ficam disponíveis também em seu local original. Pode-se definir uma frequência diária, mensal, semanal ou em outros períodos de tempo, de acordo com as necessidades e preferências da empresa.

Embora ambos serviços se beneficiem da computação em nuvem, a finalidade é diferente. O armazenamento é uma ferramenta manual, em que é preciso carregar os arquivos desejados, ao passo que o backup cria uma cópia e mantém o original.

O armazenamento permite que os arquivos sejam compartilhados com outras pessoas, como planilhas, apresentações e documentos de texto, de modo que a colaboração ocorra de maneira mais simples e prática.

O backup, por sua vez, atua como uma camada de segurança adicional para caso a fonte original dos dados e arquivos seja interceptada, roubada ou sofra qualquer tipo de problema, o que possibilita uma recuperação simples, rápida e eficiente.

Os backups se posicionam como alternativas de proteção, mas nada impede que a empresa conte também com o armazenamento em nuvem. Afinal de contas, é muito mais fácil e prático fazer o upload de um arquivo do que ter que salvar uma cópia em um HD externo, além do fato de que seu acesso pode ser compartilhado.

Em relação à segurança, é fundamental escolher uma empresa especializada, experiente e capacitada, seja para o armazenamento ou o backup. Assim, o cliente terá certeza de que seus dados e arquivos estão devidamente seguros.

De grandes players do mercado de tecnologia a serviços de inteligência cibernética e usuários finais, a adoção da computação em nuvem cresce a cada dia que passa e sua empresa só tem a ganhar com essa decisão.

Fonte: Seo Marketing



Impactos do 5G na cibersegurança

Mais velocidade e maior capacidade para transferência de dados certamente levarão ao aumento no número de dispositivos conectados.

Impactos do 5G na cibersegurança

Startup de impacto social é reconhecida por mudar a forma de fazer doações no Brasil

Ao abordar doações não mais como um privilégio mas sim como um mercado acessível de alto impacto, a startup Ribon chama a atenção da mídia e do mercado internacional.

Startup de impacto social é reconhecida por mudar a forma de fazer doações no Brasil

Whatsapp atinge 2 bilhões de usuários

Em 2014 o aplicativo de mensagens tinha 500 milhões de usuários.

Whatsapp atinge 2 bilhões de usuários

Anatel recebe quase 3 milhões de reclamações em 2019

O serviço de banda larga fixa e a telefonia móvel pós-paga são os que sofreram mais queixas dos consumidores.

Anatel recebe quase 3 milhões de reclamações em 2019

Brasil ativa 24 milhões de novos celulares 4G em 2019

As redes de quarta geração estão em 4.777 municípios, onde moram 97% da população.

Brasil ativa 24 milhões de novos celulares 4G em 2019

Coronavírus chega à internet: cibercriminosos aproveitam surto para disseminar malware

As tecnologias de detecção da Kaspersky encontraram malwares disfarçados de documentos com informações sobre o coronavírus.

Coronavírus chega à internet: cibercriminosos aproveitam surto para disseminar malware

Uma breve história do mercado de chatbots no Brasil

Dois eventos que participamos no 2º semestre de 2019 nos fizeram refletir sobre o mercado nacional de chatbots e os processos de consolidação experimentados nos últimos anos.


Nova York, Bogotá e Barcelona são os destinos do StartOut Brasil em 2020

Durante o ano, estes ecossistemas receberão até 20 startups brasileiras interessadas em internacionalizar seus negócios.

Nova York, Bogotá e Barcelona são os destinos do StartOut Brasil em 2020

Tinder lança botão de pânico para emergências

Usuário poderá alertar as autoridades sobre situações perigosas.

Tinder lança botão de pânico para emergências

Startup cria calculadora de tempo de contribuição e economiza tempo de trabalho dos advogados

Segundo INSS, já são mais de 2 milhões de benefícios parados no órgão.

Startup cria calculadora de tempo de contribuição e economiza tempo de trabalho dos advogados

App do Serpro elimina listas de presença em papel

Aplicativo está disponível gratuitamente e facilita registros de presença em eventos, cursos e seminários.

App do Serpro elimina listas de presença em papel

Consumidores de todo o país podem consultar linhas pré-pagas pelo CPF

Cancelamento feito pelo usuário deverá ser atendido em 24 horas.

Consumidores de todo o país podem consultar linhas pré-pagas pelo CPF