Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Como proteger o infoproduto e o conteúdo digital e ficar seguro na Internet

Como proteger o infoproduto e o conteúdo digital e ficar seguro na Internet

20/09/2021 Dra. Fabiana Barbosa

A opção clássica é fazer o registro na Biblioteca Nacional garantindo uma proteção mais efetiva.

Como proteger o infoproduto e o conteúdo digital e ficar seguro na Internet

O boom de conteúdo online, como podcasts, e-books, vídeo aulas, livros, textos, fotos e outros materiais tem levado seus autores a ficarem mais alertas na busca de proteção dos seus registros. Isso porque o conteúdo  distribuído na Internet tem muitas chances de sofrer derivações, ou seja, terceiros que fazem uso indevido desses conteúdos e acabam inclusive se monetizando com esses materiais, sem contar com o risco de manchar a sua reputação, levando ao ponto de perda da sua relevância no mercado. De acordo com a Lei de Direitos Autorais 9.610/98 a prova de autoria independe de registro, bastando a sua comprovação. Mas essa lei é obsoleta quando o assunto é Internet, tornando hoje o registro dos direitos autorais uma maior garantia de proteção da obra. Mas como proteger o seu infoproduto da contrafação ou da reprodução de um conteúdo autoral não autorizado?

Existem duas opções. A opção clássica é fazer o registro na Biblioteca Nacional garantindo uma proteção mais efetiva. Para isso, a obra deve ser numeradas e rubricadas em todas as páginas. Na capa deve constar o nome da obra e os dados do autor (nome completo, RG, CPF, cidade e ano). O segundo passo é pagar uma guia de recolhimento e preencher um formulário de Requerimento de Registro ou Averbação. Todo esse material deve ser entregue junto com a documentação pessoal do autor via Sedex ou presencialmente para o endereço da Biblioteca Nacional.

Ou ainda a forma mais inovadora para quem precisa de urgência, é por meio de plataformas de blockchain. A plataforma traz mais agilidade ao criador, funcionando como um livro de registros

Para os conteúdos publicados no Instagram e no Facebook existem especificações e normas internas sobre a aplicação dos direitos autorais respeitando a legislação de cada pais, que no Brasil implica em pagamentos de indenizações, a remoção do conteúdo ou até mesmo a desativação da conta de quem violar direitos autorais de terceiros. No entanto, o que muitos autores têm buscado é a proteção do conteúdo mais abrangente.

Outra opção clássica é fazer o registro na Biblioteca Nacional garantindo uma proteção mais efetiva. Para isso, a obra deve ser impressa com todas as páginas numeradas e rubricadas. Na capa deve constar o nome da obra e os dados do autor (nome completo, RG, CPF, cidade e ano). O segundo passo é pagar uma guia de recolhimento e preencher um formulário de Requerimento de Registro ou Averbação. Todo esse material deve ser entregue junto com a documentação pessoal do autor via Sedex ou presencialmente para o endereço da Biblioteca Nacional.

E o Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI), onde fica nessa história?

Caso você precise registrar o nome que usa como marca para fazer a distribuição do seu conteúdo no mercado, esse será o órgão responsável, sendo assim, temos a possibilidade de promover a proteção em mais de um local, os Direitos Autorais sempre protegidos na Biblioteca Nacional ou em plataformas de Blockchain, e a marca do seu produto protegido no INPI.

Diante dessas opções e da quantidade excessiva de dados e conteúdos gerados no universo online diariamente, garantir os direitos de suas obras digitais é extremamente importante para impedir plágios, que podem custar a sua reputação e a perda de muitos reais.

* Dra. Fabiana Barbosa é empresária, advogada especialista em Direito Empresarial, Direito Digital e Propriedade Intelectual, palestrante, mentora de novos negócios e start ups e proprietária do escritório de advocacia B3S Marcas e Patentes.

Para mais informações sobre Infoproduto clique aqui...

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Fonte: Case Comunicação Integrada



Instagram e Facebook vão inserir rótulos em postagens sobre eleições

Objetivo é rebater notícias falsas com informações oficias do TSE.

Instagram e Facebook vão inserir rótulos em postagens sobre eleições

Metrô de Moscou lança pagamento por meio de reconhecimento facial

Moscou é a metrópole que mais aplica pagamentos com biometria no mundo. Dentro deste contexto, na última semana o Metrô da cidade lançou o serviço Face Pay.

Metrô de Moscou lança pagamento por meio de reconhecimento facial

Novas possibilidades para os games

Os games invadiram nosso cotidiano de maneira avassaladora.

Novas possibilidades para os games

Marco Legal do Câmbio: como as novas tecnologias podem revolucionar as transações internacionais?

A modernização não pode ficar para trás, já que o mercado de câmbio cresce no Brasil há tempos.

Marco Legal do Câmbio: como as novas tecnologias podem revolucionar as transações internacionais?

Como negociar dívidas pelo WhatsApp

Ferramenta traz uma grande vantagem para o mundo dos negócios, principalmente para a recuperação de crédito.

Como negociar dívidas pelo WhatsApp

Bancos e carteiras digitais registram quase 18 milhões de downloads em setembro

Destaque para Nubank, PicPay, Banco Pan, C6 Bank e PagBank.

Bancos e carteiras digitais registram quase 18 milhões de downloads em setembro

Apagão da internet, pior que o da luz

O “apagão” do Facebook, WhatsAPP e Instagram, registrado na segunda-feira, revelou-se tão impactante quanto o da eletricidade.

Apagão da internet, pior que o da luz

Aprenda a medir a velocidade da sua conexão

Em meio a pane nas redes sociais, usuários relatam instabilidade no sinal de internet.

Aprenda a medir a velocidade da sua conexão

4 formas de empreender na era digital

O modelo de negócio conhecido como dropshipping é uma das maneiras mais fáceis de começar a empreender pela internet.

4 formas de empreender na era digital

Caixa lança nova versão do aplicativo Bolsa Família

Acesso passa a ser realizado com CPF e senha do beneficiário.

Caixa lança nova versão do aplicativo Bolsa Família

Plataformas digitais faturam equivalente a 48,8% do PIB brasileiro

FENAJ apresenta proposta de taxar parte para financiar jornalismo.

Plataformas digitais faturam equivalente a 48,8% do PIB brasileiro

WhatsApp testa no Brasil funcionalidade de indicação de negócios

Recurso é, por enquanto, exclusivo para usuários de São Paulo.

WhatsApp testa no Brasil funcionalidade de indicação de negócios