Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Agora é mais fácil recorrer às reclamatórias trabalhista

Agora é mais fácil recorrer às reclamatórias trabalhista

11/09/2017 Divulgação

Atualização da CLT facilita processo de depósito recursal para as empresas.

Dentre as mudanças feitas nas Consolidações das Leis do Trabalho (CLT), um ponto importante é facilitação do depósito recursal. Conforme a legislação, esta é uma obrigação que o empregador tem quando deseja recorrer de uma decisão judicial definitiva às reclamatórias trabalhistas.

A alteração define que o depósito recursal, antes realizado na conta do FGTS, seja efetuado diretamente em conta bancária vinculada ao Juízo do processo. Segundo o advogado Fernando Damiani, essa mudança reduz prejuízos das empresas. “Ou seja, é alterado o modo de correção monetária dos depósitos. Os índices utilizados acarretavam desvalorização e, com o depósito direto em conta bancária vinculada ao processo, agora passa a ser corrigido pelos mesmos índices da caderneta de poupança, o que alivia as perdas que recaiam sobre o depósito recursal”, explica Damiani.

Para o advogado a reforma trabalhista são atualizações que há tempos se fazem necessárias para a modernização das relações de produção, capital e trabalho. Ele também destaca que foi introduzida uma redução de 50% do valor do depósito recursal para as entidades sem fins lucrativos, microempreendedores individuais, empregadores domésticos, microempresas e empresas de pequeno porte, que até então vinham amargando a impossibilidade de recorrer na Justiça do Trabalho, em face aos altos valores dos encargos.

Fonte: WH Comunicação



O dilema do reconhecimento da paternidade

O pedido de reconhecimento de paternidade muitas vezes é constrangedor para a mulher e assustador para o homem.


Doença mental adquirida no exercício profissional pode ser considerada acidente de trabalho

Alguns tipos de transtornos mentais podem estar relacionados ao ambiente de trabalho.


Os paradigmas legais da greve dos jogadores do Cruzeiro

Os jogadores do elenco profissional do Cruzeiro anunciaram no dia 13 de outubro que estão em greve por conta do atraso no pagamento dos salários.


Nova Lei de Improbidade Administrativa separa o joio do trigo

Recentemente seguiu para sanção presidencial o projeto de lei, aprovado pelo Congresso Nacional, que modifica substancialmente a Lei 8429/90, conhecida como a Lei de Improbidade Administrativa.


O falso dilema do IRPJ e CSLL sobre a Selic no indébito tributário

O Supremo Tribunal Federal vem adiando sucessivamente o julgamento do RE nº 1.063.187/SC, que em sede de repercussão geral, poderá decidir tema de grande importância para os contribuintes.


Licença e afastamento do servidor público: Como funciona?

Você já sabe que para o servidor público, existem várias leis e regras diferentes dos trabalhadores da iniciativa privada; por isso, é importante ficar atento a essas normas.


Fraudes podem diminuir a chance do Green Card

Advogado especialista em direito internacional, Daniel Toledo explica o que fazer ao suspeitar de problemas com o investimento.


Queda do WhatsApp pode gerar indenização aos usuários que tiveram prejuízo

Para o especialista em Direito do Consumidor, Marco Antonio Araujo Junior, comunicador instantâneo se enquadra como serviço pelo Código de Defesa do Consumidor.


Revista de empregados: os limites do poder diretivo e disciplinar do empregador

A relação de emprego tem características inconfundíveis.


O STF desprestigiado pelas ações políticas

Realmente, tornou-se um nefasto hábito, os políticos acionarem o Judiciário quando não conseguem bem encaminhar seus projetos ou perdem votações no âmbito do Legislativo.


Trabalho escravo da fé e a relação entre pastores e igrejas no Brasil

Os tribunais brasileiros estão recebendo uma série de ações de pastores e ministros de igrejas contra o chamado “trabalho escravo da fé”.


Embate entre condomínio e proprietário para locação por aplicativo vai parar no STJ

Para especialista, muitas vezes as multas condominiais aplicadas aos usuários da locação por aplicativo não são suficientes para coibir abusos.