Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Amante tem direito à pensão?

Amante tem direito à pensão?

03/03/2021 Dr. Marcelo Campelo

Antes de responder à pergunta propriamente dita, é necessária uma contextualização.

O presente texto é escrito no ano de 2021, no qual o casamento, união estável e as relações afetivas sofreram muitas mudanças.

Atualmente se estuda, no espectro jurídico, famílias paralelas, famílias com vários cônjuges, famílias com cônjuges do mesmo sexo, cujos direitos devem ser resguardados.

Independente da formação moral ou de crenças religiosas, as pessoas têm direito de serem felizes e assim nossa Constituição determina.

No Art. 226, fica declarado que “A família, base da sociedade, tem especial proteção do Estado”. Portanto, no Brasil, a família, seja como ela seja constituída, terá especial proteção do Estado.

Mas o que significa casamento? Casamento é um contrato formal entre duas pessoas, unidas pelo afeto, para a vida inteira, no qual estas têm direito e deveres iguais, cujo objetivo é construir uma vida juntos.

Nessa empreitada, se pode construir patrimônio, ter filhos e até se separar. O casamento, oriundo de crenças religiosas, é dividido entre homem e mulher.

O casamento é o mesmo que família? Não. Família tem um conceito mais amplo. Inclusive podemos utilizar o exemplo da Lei Maria da Penha que define família como: “comunidade formada por indivíduos que são ou se consideram aparentados, unidos por laços naturais, por afinidade ou por vontade expressa”.

Ou ainda, outra definição, do Professor Paulo Lôbo, “os tipos de entidades familiares expressamente definidas na Constituição brasileira não encerram numerus clausus, as entidades familiares assim entendidas, as que preencham os requisitos de afetividade, estabilidade e ostentabilidade, estão constitucionalmente protegidas, como tipo próprios, tutelando-se os efeitos jurídicos pelo Direito de Família.”

O que o professor quer ensinar, é que a Constituição deixa uma brecha para que o Direito de Família proteja as diversas formas de família adotadas pela sociedade brasileira, desde que estejam presentes os requisitos de afeto, duração e sejam reconhecidas entre todos.

Antes da resposta à questão inicial, outro ponto importante é a fidelidade. Para muitos, inexiste casamento sem fidelidade, inclusive, protegido por lei, Art. 1566, I do Código Civil.

Porém, existem relações que permitem o descumprimento deste dever? Sim, muitas. Estas pessoas vivem felizes? Ninguém pode se intrometer, a questão aqui é jurídica.

Em um casamento dividido entre um homem e uma mulher, por exemplo, imagine que eles se permitiram quebrar o dever de fidelidade.

Uma das questões jurídicas que podem surgir nesses casos é: Os companheiros da relação paralela teriam direito à herança?

Os filhos têm sempre esse direito garantido. O companheiro, também conhecido como amante, os estudiosos do direito ainda não estão seguros e partem para a decisão no caso concreto.

Numa das decisões, o Superior Tribunal de Justiça, reconheceu a relação da companheira, na hipótese de separação de fato ou jurídica do casal, “A orientação jurisprudencial desta Corte é firme no sentido de que a relação concubinária, paralela ao casamento, não pode ser reconhecida como união estável,  salvo se configurada separação de fato ou judicial entre os cônjuges.” (STJ AgRg no Resp 1235648 RS).

O caso é a regra, mas já se julgou a hipótese em que um longa relação extraconjugal, aceita pelo cônjuge, gerou o pagamento de uma pensão: Caso Peculiaríssimo. Preservação da Família X Dignidade e Solidariedade humana.

Sustento da alimentada pelo alimentante por quatro décadas. Não há como negar, que, neste caso, por mais que se tratasse de uma relação extraconjugal, com violação de um dispositivo legal, dever de fidelidade, a relação tida por quatro décadas deve ser protegida pelo direito, pois havia uma família constituída, e a amante, recebeu a pensão.

Como conclusão, em direito, mas principalmente no direito de família, não se pode firmar regras, pois sempre serão apresentadas exceções.

O melhor é estudar, analisar o caso e entender o que o legislador e a sociedade desejam. Neste caso, proteger a família, independente da origem e forma.

* Dr. Marcelo Campelo é advogado especialista em Direito Criminal.

Para mais informações sobre " pensão " clique aqui…

Fonte: Toda Comunicação



Entenda o visto humanitário para ucranianos

A invasão da Ucrânia pela Rússia, iniciada em 24 de fevereiro, já levou mais de 4 milhões de ucranianos a deixarem seu país em busca de um lugar seguro.


Exigência de vacina não é motivo para rescisão indireta por motivo ideológico

Não se discute mais que cabe ao empregador, no exercício de seu poder diretivo e disciplinar, zelar pelo meio ambiente de trabalho saudável.


Oito dicas para advogados usarem melhor suas redes sociais

Especialista em marketing digital jurídico indica o que e como fazer para advogados se destacarem no universo online e atrair potenciais clientes.

Oito dicas para advogados usarem melhor suas redes sociais

Conheça cinco vantagens do Pix para empresas

MEIs e PMEs podem economizar cerca de R$ 2.000 em serviços e produtos bancários por ano.

Conheça cinco vantagens do Pix para empresas

Advogados abordarão o impacto de conflitos éticos e estatais na relação entre países

Começa no dia 13 de abril, a partir das 9h30, o “Fórum Mundial de Litígio”.


Inversões da Justiça e as 15 milhões de vítimas de fraudes financeiras no Brasil

De grande repercussão na mídia nacional e até internacional, o caso da GAS Consultoria chama atenção pelos valores envolvidos, que ultrapassam bilhões de reais e deixam milhares de pessoas na incerteza sobre o paradeiro das suas economias.


Compras efetuadas com cartão furtado geram indenização a cliente

O Brasil é o país campeão em vazamento de cartões. Considerando todos os outros países, a população brasileira é a maior vítima, totalizando 45,4% dos casos do mundo todo.


O Rompimento do Noivado e suas consequências: uma breve análise

Intimamente ligado à noção de família, o instituto do casamento é universal e elemento comum em praticamente todos os ordenamentos jurídicos mundiais modernos.


Banco é condenado a indenizar cliente

O banco Itaú Unibanco foi condenado a indenizar uma cliente em R$ 10 mil, a título de danos morais, por não assegurar proteção e segurança para sua conta bancária.


Casal que foi desalojado de hotel deve ser indenizado

Justiça condena agência online por prejudicar viagem.


O último sobrenome deve sempre ser o do pai?

Na hora de registrar o nascimento dos filhos, é muito comum surgirem algumas dúvidas nos pais.


Proteção de dados pessoais torna direito fundamental após emenda

Desde que a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) entrou em vigor em setembro de 2018, as empresas passaram a ter a obrigação de garantir a segurança dos dados aos quais possuem acesso.