Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Hotel indeniza casal que teve que desocupar quarto durante lua-de-mel

Hotel indeniza casal que teve que desocupar quarto durante lua-de-mel

28/04/2006 Divulgação

 A 17ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais condenou um hotel, localizado em Esmeraldas, a indenizar, por danos morais, um casal que teve que desocupar um quarto de luxo, já reservado e pago para sua lua-de-mel.

Os noivos, após seu casamento, viajaram para o hotel, onde estava reservada e paga antecipadamente, para sua lua-de-mel, uma suíte de luxo, com hidromassagem, no período de três dias. Ao chegarem, foram surpreendidos com a notícia de que, por um erro do hotel, o quarto estava também reservado para outra pessoa. No entanto, eles poderiam ficar nele apenas naquela noite, com a condição de desocupá-lo às 8 horas da manhã, sendo então transferidos para um quarto mais simples. 

No dia seguinte, eles desocuparam o quarto no horário determinado pelo hotel e esperaram por uma solução, até o meio-dia. Como o hotel não apresentou nenhuma solução satisfatória, o casal decidiu retornar para Belo Horizonte.

Inconformado, o noivo ajuizou uma ação, pleiteando danos morais, por ter sua lua-de-mel interrompida. O hotel, por sua vez, argumentou que já havia reconhecido o erro e devolvido o valor que o casal havia pagado para a hospedagem (R$513,00).

A turma julgadora da 17ª Câmara Cível, por maioria dos votos, fixou a indenização em R$ 9.000,00. O desembargador relator, Irmar Ferreira Campos, em seu voto, destacou ser “inegável que o fato repercutiu no âmbito moral do casal, gerando-lhe angústia e ansiedade, ainda mais quando a ocorrência do fato se deu em momento especial de sua vida”.

Segundo o relator, a finalidade da condenação em danos morais é de “levar o ofensor a tomar atitudes que previnam a ocorrência futura de atos semelhantes e a de compensar a vítima pela dor e dissabores sofridos”.

O revisor, desembargador Luciano Pinto, acompanhou o relator. Ficou vencido o desembargador Eduardo Mariné da Cunha (vogal), que havia negado o pedido de indenização, entendendo que o fato de o casal ter sido transferido para um quarto simples não ensejaria dano moral. 

Assessoria de Comunicação Institucional (TJMG) 
Unidade Francisco Sales 
Em: 02/03/2006 
Tel: 3289-2518 
Processo: 1.0024.02.739769-4/001



Suspensão do cumprimento de acordos trabalhistas é inconstitucional

No último dia 17 de junho, a Câmara dos Deputados aprovou a Medida Provisória 927/2020, que dispõe sobre medidas trabalhistas para enfrentamento do estado de calamidade pública e da emergência de saúde pública decorrentes da pandemia do Covid-19.


Não há força tarefa maior que o Ministério Público

A decisão do presidente da Suprema Corte, ministro Dias Toffoli, determinando que os procuradores da Lava Jato compartilhassem dados e informações das investigações com a Procuradoria Geral da República (PGR), expôs o conflito existente entre os membros do Ministério Público.


Congresso on-line debate as diversas áreas do Direito

Evento realizado pelo Ser Educacional e Vai Cair Na OAB tem inscrição gratuita e será transmitido ao vivo pelo Youtube.


Advogado trabalhista explica como funciona o Aviso Prévio

André Leonardo Couto, do escritório ALC Advogados, esclarece que as regras estão mantidas mesmo durante a pandemia do Covid-19.


Bolsonaro sanciona MP 936 que permite a redução de jornada e salário

No dia 6 de Julho, o presidente Jair Bolsonaro sancionou a Medida Provisória 936, que foi convertida na Lei 14.020/2020, que permite a redução de jornada e salário dos trabalhadores.



Projeto obriga síndico a denunciar violência doméstica

O Senado aprovou nesta quarta-feira o Projeto de Lei 2.510/2020, que versa sobre a obrigação de síndicos e moradores informarem às autoridades caso ocorram casos de violência doméstica nos condomínios.


Como funcionam as regras para o servidor público abrir uma empresa

A primeira coisa que se deve ter em mente é que o funcionalismo público é dividido entre servidores públicos de natureza federal, estadual e municipal, sendo certo que cada Estado e Município tem uma regulamentação específica, e é claro, a federação também tem uma regulamentação diferenciada.


A revisão dos contratos de franquia em tempos de pandemia

O texto do art. 421 do Código Civil, alterado pela Lei 13.874 de 2019, tem como intuito reduzir a intervenção estatal nas relações contratuais em prol de uma maior liberdade de negociação, favorecendo o negociado com principal fonte de direito dos contratantes - pacta sunt servanda, enfatizando a força vinculativa dos contratos.


Por que é importante apoiar ações contra a violência de gênero?

O período da pandemia de COVID-19 trouxe à tona um tema já conhecido por muitos: a violência contra mulher.


Como a redução de vencimentos dos servidores públicos é inconstitucional

A redução da remuneração dos servidores públicos vem sendo discutida há tempos.


O golpe do motoboy e a responsabilidade dos bancos

O golpe do motoboy é uma fraude efetuada em que os golpistas se passam por funcionários do banco, e ligam para o cliente informando que o seu cartão de crédito foi fraudado, razão pela qual leva o correntista a bloquear o cartão imediatamente.