Portal O Debate
Grupo WhatsApp

O uso da inteligência artificial na gestão jurídica

O uso da inteligência artificial na gestão jurídica

02/05/2018 Claudio Bernardo

A tecnologia de IA (Inteligência Artificial) pode trazer muitos benefícios para a gestão jurídica.

Imagine o seguinte cenário: toneladas de papéis, pilhas de documentos, milhares de processos, centenas de relatórios periódicos enviados pelos escritórios terceirizados. Se identificou?

Pois saiba que a tecnologia de IA (Inteligência Artificial) pode trazer muitos benefícios para a gestão jurídica. Para comprovar isso, o JP Morgan, maior banco dos Estados Unidos, estima que, por meio de IA, são processadas em segundos, análises que consomem cerca de 360 mil horas de trabalho de advogados por ano.

De acordo com estudo da Thomson-Reuters, a IA pode desempenhar um papel significativo na área jurídica, aumentando a produtividade dos profissionais - não substituindo-os, como muitos podem pensar.

Se esse dia a dia burocrático já excede o tempo disponível dos profissionais do departamento jurídico, pense, então, no esforço necessário para classificar tendências, detectar padrões, procurar desvios e anomalias.

Por isso, todas as áreas e profissionais devem olhar para a IA como uma oportunidade de transformação de seus serviços. Na gestão jurídica, a tecnologia de IA já é usada para diversas atividades:

- Em pesquisas legais e para projetos piloto que tentam prever resultados de litígios;

- Na automatização de tarefas repetitivas, como a elaboração de acordos de menor exposição ou de baixa responsabilidade;

- Com amostragem para identificar documentos relevantes;

- Na busca e coleção de cláusulas para revisão durante uma due diligence transacional, por exemplo;

- Na avaliação do desempenho dos serviços contratados aos escritórios parceiros.

Os chatbots são um exemplo atual de como a Inteligência Artificial pode contribuir no atendimento e relacionamento empresa-cliente. Ao analisar e consultar uma base gigantesca de dados e interações, esses robôs respondem em linguagem humana, auxiliando nos chamados dos clientes e dando detalhes e prazos de determinado chamado, priorizando as solicitações de acordo com a urgência.

Os gestores das áreas jurídicas das empresas precisam perceber o potencial da IA para transformar seus departamentos, reduzir custos, desenvolver estratégias de negócios, minimizar os riscos contratuais e avaliar os serviços dos escritórios contratados.

Adotar ferramentas de Inteligência Artificial na gestão jurídica já está se transformando em realidade porque, simplesmente, elas já estão por aqui e em todos os lugares. Você vai ficar de fora?

* Claudio Bernardo é arquiteto de soluções da Benner.

Fonte: Brain Story Comunicação



Honorários advocatícios não podem ser compensados, e rateados, podem?

Embora o Código de Processo Civil (20150) tenha trazido avanços consideráveis acerca dos honorários advocatícios, um dispositivo em especial me chama a atenção.


Como a Lei Geral de Proteção de Dados se aplica ao setor de “food service”

A atividade está entre as que mais se utilizam das informações dos clientes; contar com sistemas de gestão adequados facilita o cumprimento da lei.


A responsabilidade civil dos influenciadores digitais

Influenciar é o ato de exercer uma ação psicológica ou uma ascendência sobre algo ou alguém.


Os vícios insanáveis e a flexibilização da Lei da Inelegibilidade

O Senado Federal aprovou no último dia 14 de setembro o projeto que flexibiliza a Lei de Inelegibilidade e garante que os políticos possam se candidatar mesmo quando tiverem as contas julgadas irregulares, desde que tenham sido punidos apenas com multa, sem imputação de débitos.


O caso do jogador Dudu do Palmeiras: por que o divórcio deixou a ex-mulher sem nada?

O caso da separação do jogador Dudu, do Palmeiras, deixa um alerta para quem pretende estabelecer um casamento ou uma união estável.


Demissão por WhatsApp não é ilegal

Entendimento da Justiça tem sido de verificar, independente do meio, postura digna e comunicação clara nos desligamentos de trabalhadores.


Caso Daniel Alves, a Lei Pelé e a cultura de atraso de salários no futebol brasileiro

Na última semana fomos surpreendidos pela atitude corajosa do lateral Daniel Alves que decidiu não atuar mais pelo São Paulo Futebol Clube, por conta de atrasos de salários.


As expectativas advindas do Marco Legal das Startups

É verdade que a sensação da comunidade empresarial, quando da eminência da publicação de um novo diploma legal a fim de regular determinada atividade, volta-se naturalmente aos entraves burocráticos capazes de frear e obstar a chancela de negócios.


As fraudes financeiras com bitcoins e a necessidade da punição exemplar

A ampla cobertura da mídia sobre as operações das autoridades brasileiras contra fraudes financeiras utilizando a rentabilidade das criptomoedas como forma de atrair investidores deu visibilidade à uma prática que vem crescendo exponencialmente no Brasil.


Polêmica da Anvisa: atuação do órgão no jogo entre Brasil e Argentina

Na tarde do último domingo (5 de setembro), a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) paralisou a partida de futebol entre Brasil e Argentina, que jogavam pelas Eliminatórias da Copa do Mundo.


As virtudes e desvirtuamentos do Novo Código Eleitoral

Tramita no Congresso Nacional o projeto do Novo Código Eleitoral com mais de novecentos artigos.


Principais impactos da LGPD nas relações de trabalho

A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD - Lei nº13.709/2018) prevê regras e princípios que devem ser observados quando da utilização de dados pessoais pelas empresas privadas e públicas.