Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Pais processam Coca-Cola por bebida contaminada

Pais processam Coca-Cola por bebida contaminada

31/08/2006 Divulgação

A fabricante de refrigerantes Coca-Cola foi processada por um grupo de pais que desejam forçar a empresa a eliminar de seus refrigerantes ingredientes que, segundo eles, podem causar câncer, como o benzeno.

A reclamação contra a companhia ocorreu depois que duas empresas americanas entraram com um processo para a eliminação do benzeno da fórmula. A substância é apontada como uma das causas da leucemia.
"Eu acho que eles entendem que os consumidores, e talvez os tribunais, esperam que eliminem este problema, e eles vão fazer isso", afirmou o advogado Andrew Rainer, que representa um grupo de pais de crianças consumidoras que resolveram processar a fabricante.
Um porta-voz da empresa afirmou que o processo não é sobre a saúde dos consumidores, mas serve para "encher os bolsos dos advogados". Segundo ele, a agência local que avalia a qualidade dos alimentos e bebidas, a Food and Drug Administration, já fez testes sobre a presença de benzeno nos refrigerantes e "nunca encontrou nenhum problema", afirmou o porta-voz Ray A. Crockett.
Processos semelhantes foram impetrados por pais de crianças americanas. As ações tramitam na corte federal de Kansas, Massachusetts e Nova Jersey, além de Flórida e Califórnia.
O benzeno, combinado à vitamina C presente em alguns refrigerantes, pode gerar uma substância química que alguns analistas dizem ser prejudiciais à saúde. Contudo, outros fabricantes que também são alvos de processos - como PepsiCo e Kraft Foods - negam que seus produtos sejam prejudiciais. No entanto, essas duas últimas empresas concordaram em um processo anterior mudar seus ingredientes.
 
Fonte: Invertia, 28 de agosto de 2006. Na base de dados do site www.endividado.com 



Calamidade Pública e a Portaria MF 12/2012

O cenário atual decorrente da pandemia causada pelo agente coronavírus movimenta, além dos governantes e da população, os aplicados do Direito que buscam, de forma incessante, recursos para combater ou aliviar os efeitos da crise.


Advocacia-Geral defende no STF suspensão de visitas em presídios federais

Objetivo é proteger da disseminação do vírus presos, advogados, familiares e servidores.


Solução judicial para o colapso financeiro da indústria e do comércio

A pandemia do coronavírus está provocando enormes consequências na indústria e no comércio.


Assédio Moral no Direito do Trabalho

A evolução da complexidade nas relações de trabalho também aperfeiçoou e expandiu a tipificação dos ilícitos referentes ao assédio moral.


Covid-19 e teletrabalho: como funciona o “home office”?

O aumento no número de casos de coronavírus (Covid-19) e a disseminação global resultaram na decretação, em 11 de março, de estado de pandemia por parte da OMS (Organização Mundial de Saúde).


A inviabilidade fiscal de pequenos municípios

Dados recentes da Secretaria do Tesouro Nacional demonstram que pouco mais de 6% de toda a arrecadação tributária no Brasil pertence aos Municípios.


Novas regras trabalhistas durante a pandemia

Dentre as medidas regulamentadas, destacamos aqui as mais importantes.


Coronavírus: respeite ou corra o risco de ser punido criminalmente

Nos últimos meses não se fala de outra coisa em todo o canto do planeta senão sobre a pandemia provocada pelo COVID-19, popularmente conhecido como “coronavírus”.


Telemedicina

Não foi por amor, foi pela dor.


Os impactos trabalhistas com a crise do coronavírus

A pandemia de Covid-19 (coronavírus) trouxe para as empresas a necessidade de adotar formas alternativas ao modelo tradicional e presencial de trabalho, com pouquíssimo prazo para adequação.


A obrigatória participação dos trabalhadores na prevenção ao coronavírus nas empresas

Com o avanço galopante do coronavírus (Covid-19) no Brasil, as empresas vêm recorrendo à elaboração unilateral de protocolos de enfrentamento da doença e de medidas destinadas ao controle de sua propagação em seus respectivos ambientes de trabalho.


Loja compensa consumidora por falsa acusação

TJMG reformou a sentença e fixou indenização de R$ 3 mil.