Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Sinal verde para a redução dos combustíveis

Sinal verde para a redução dos combustíveis

30/05/2022 Tadeu Saint’ Clair

Um entrave burocrático que delimitava intervenções econômicas do Poder Executivo foi finalmente derrubado pelos parlamentares congressistas no fim de abril.

A aprovação do Projeto de Lei do Congresso Nacional (PLN) 02/2022 passou a conceder ao presidente da República a autonomia para reduzir tributos sobre combustíveis sem a exigência de compensar a perda de arrecadação.

A medida prevê a desburocratização de corte fiscal sobre o abastecimento com biodiesel, óleo diesel, querosene de aviação, gás liquefeito e derivado de petróleo, além do gás natural. Em síntese, agora o presidente Jair Bolsonaro dispõe das prerrogativas necessárias para tomar medidas mais enérgicas contra o preço absurdo dos combustíveis visto desde o início da pandemia.

Não que antes ele não pudesse tomar tais medidas. A diferença é que, até então, qualquer corte tributário, ainda que contemplasse uma margem imensa da população, como é o caso, deveria ser compensado com a arrecadação em outra parte. Para ficar ainda mais claro, alguém tinha de pagar a conta, exceto os cofres públicos.

Em março, o próprio presidente já havia sancionado Lei Complementar 192/2022, que determinava a isenção do PIS e da Cofins das tributações sobre os combustíveis, com data de validade até o fim do ano. O Ministério da Economia projetou uma perda orçamentária de quase R$ 16,5 bilhões.

Mas foi uma das medidas da batalha fiscal que o próprio chefe do Executivo topou travar contra a inflação sobre o preço do petróleo e contra os próprios estados, que usam e abusam do ICMS. O próximo round dessa luta será no Supremo Tribunal Federal (STF), a quem o governo federal recorreu na tentativa de assegurar a redução do ICMS praticado sobre o óleo diesel nos estados, que tentam manter a arrecadação.

Os estados, aliás, permanecem irredutíveis à cobrança monofásica da alíquota do ICMS, também prevista pela Lei Complementar 192/22, que prevê a cobrança apenas na etapa de produção. A ação da Advocacia Geral da União (AGU) questiona o descumprimento dos governadores, que vem provocando impactos negativos na imagem do presidente da República.

Portanto, é importante colocar os pingos nos “is”. Há uma predisposição do Palácio do Planalto e até mesmo do Congresso Nacional em reduzir drasticamente os preços dos combustíveis, mas essa intervenção tem limite. O grosso dos preços dos combustíveis, que está concentrado no ICMS, segue com políticas estaduais sem sustentação, amparadas apenas na arrecadação, ainda que diante de todo o impacto fiscal que vêm provocando.

Cabe ao STF fazer uma análise fria e distante das animosidades que tem enfrentado com o governo federal. Uma decisão favorável pode auxiliar ainda mais a tentativa de redução dos combustíveis, que é o desejo de todos os brasileiros.

* Tadeu Saint’ Clair é advogado tributarista.

Para mais informações sobre a redução dos combustíveis clique aqui…

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Fonte: Naves Coelho Comunicação



Transação Tributária para grandes devedores em Recuperação Judicial

Em abril de 2020, foi concedida aos grandes devedores tributários, pela primeira vez no país, a oportunidade de regularização dos seus débitos por meio de um Acordo de Transação Individual, regulamentado pela Lei n.º 13.988/2020 e pela Portaria PGFN n.º 9.917/2020.


As polêmicas da urna eletrônica

Importante ressaltar que este artigo não tem viés político – partidário e não pretende esgotar o assunto, tendo apenas a intenção de contribuir para o debate sobre a segurança das urnas eletrônicas.


Planejamentos tributários abusivos

STF reconhece a constitucionalidade da norma limitadora.


Entenda o visto humanitário para ucranianos

A invasão da Ucrânia pela Rússia, iniciada em 24 de fevereiro, já levou mais de 4 milhões de ucranianos a deixarem seu país em busca de um lugar seguro.


Exigência de vacina não é motivo para rescisão indireta por motivo ideológico

Não se discute mais que cabe ao empregador, no exercício de seu poder diretivo e disciplinar, zelar pelo meio ambiente de trabalho saudável.


Oito dicas para advogados usarem melhor suas redes sociais

Especialista em marketing digital jurídico indica o que e como fazer para advogados se destacarem no universo online e atrair potenciais clientes.

Oito dicas para advogados usarem melhor suas redes sociais

Advogados abordarão o impacto de conflitos éticos e estatais na relação entre países

Começa no dia 13 de abril, a partir das 9h30, o “Fórum Mundial de Litígio”.


Inversões da Justiça e as 15 milhões de vítimas de fraudes financeiras no Brasil

De grande repercussão na mídia nacional e até internacional, o caso da GAS Consultoria chama atenção pelos valores envolvidos, que ultrapassam bilhões de reais e deixam milhares de pessoas na incerteza sobre o paradeiro das suas economias.


Compras efetuadas com cartão furtado geram indenização a cliente

O Brasil é o país campeão em vazamento de cartões. Considerando todos os outros países, a população brasileira é a maior vítima, totalizando 45,4% dos casos do mundo todo.


O Rompimento do Noivado e suas consequências: uma breve análise

Intimamente ligado à noção de família, o instituto do casamento é universal e elemento comum em praticamente todos os ordenamentos jurídicos mundiais modernos.


Banco é condenado a indenizar cliente

O banco Itaú Unibanco foi condenado a indenizar uma cliente em R$ 10 mil, a título de danos morais, por não assegurar proteção e segurança para sua conta bancária.


Casal que foi desalojado de hotel deve ser indenizado

Justiça condena agência online por prejudicar viagem.