Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Sofrimento humano virou palanque político

Sofrimento humano virou palanque político

20/03/2019 Bady Curi Neto

A existência da oposição para a democracia é de suma importância.

Nelson Rodrigues, considerado um dos maiores dramaturgos brasileiros, em uma de suas célebres frases, dizia que “toda unanimidade é burra”.

A oposição é o contraponto à burra unanimidade, mas deve ser exercida de forma responsável e com os olhos voltados para o crescimento do país, em respeito ao povo e com vistas no engrandecimento da nação.

A velhaca oposição do “quanto pior melhor”, que somente traduz o desinteresse pelo bem maior da pátria com o desejo incontido de voltar ao poder ou de alçá-lo a qualquer custo, deveria ser extirpada do cenário político nacional.

Infelizmente, no Brasil, temos vivido algumas tragédias que resultaram em dor não apenas das vítimas e seus familiares, mas de toda a nação.

Estes momentos dolorosos nos quais a solidariedade humana desperta a compaixão, o senso de caridade e a assistência revelam-se em sentimento de interdependência com a dor de seu igual, têm-se tornado, infelizmente, palco de politicagem barata para oposição e posições ideológicas.

O sofrimento alheio, como nunca antes na história deste país, apresenta-se como um oportunismo de montar um palanque para arrivistas políticos, alheios com o padecimento humano.

Há pouco, o Brasil vivenciou a tragédia do rompimento da barragem de resíduos da Mineradora Vale, em Brumadinho/MG, desabrigando várias pessoas e vitimando mais de duzentas, cujos os corpos foram encontrados encobertos pela avalanche de lamas.

Neste triste episódio, enquanto a população estava consternada com a tragédia, a Presidente do PT – Gleisi Hoffman – e seus asseclas compareceram no local da calamidade, para um discurso disfarçado de solidariedade, transformando a amargura em ato político contra o Governo recém empossado.

O enterro do irmão e do neto do condenado e ex-presidente Lula, transformara o funeral em bandeira política do Partido dos Trabalhadores, com as bravatas do “Lula Livre”.

No dia 13 de março, o Brasil assistiu pela televisão vídeos do ataque a funcionárias e alunos de uma escola em Suzano, interior de São Paulo, culminando com a morte de 08 pessoas.

Enquanto todos os cidadãos “de bem” estavam desconsolados com o ocorrido, pensando nos inocentes que foram alvejados e brutalmente assassinados e a angústia de seus familiares, eis que surge a oposição, ato contínuo, para deflagrar seu proselitismo político e falacioso.

Novamente a presidente do PT, Gleisi Hoffman, utilizou seu twiter para postar, em menos de duas horas dos assassinatos de inocentes: “Tragédias como essa resultam no incentivo à violência e a liberação do uso de armas. O Brasil precisa de paz”.

A decrepita Luiza Erundina, do PSOL, escreveu: “um absurdo a incompetência desse governo de SP, que não garante segurança sequer nas escolas do Estado”.

Assim como elas, outros seguiram a mesma infeliz tática, de sobrepor interesses políticos e ideológicos à dor humana. Triste o país em que seus representantes improvisam palanques para discursarem sobre tragédias e corpos de inocentes.

* Bady Curi Neto é advogado fundador do Escritório Bady Curi Advocacia Empresarial, ex-juiz do Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG).

Fonte: Naves Coelho Comunicação



Taxas abusivas cobradas na atividade de mineração

O setor minerário está atento ao julgamento das Ações Diretas de Inconstitucionalidade nº 4.785 e nº 4.786, propostas pela Confederação Nacional das Indústrias, tem como base a Inconstitucionalidade e a desproporcionalidade das taxas que fiscalizam a exploração dos recursos minerais nos estados de Minas Gerais e do Pará.


Planeje seus tributos para fazer de 2022 seu melhor ano

É chegado o final do ano e, para muito além dos preparativos das festas natalinas, o empresário autônomo, em especial, dentistas, médicos, fisioterapeutas, farmacêuticos e tantos outros profissionais da área da saúde se deparam com algumas perguntas.


Legalidade ou ilegalidade: o falso impasse das empresas offshores

Apesar de pouco utilizadas pela maior parte dos indivíduos, as empresas offshores são bastante conhecidas, face à intensa profusão de material acerca delas, seja com conteúdo fictício ou não.


As controvérsias do acesso aos dados de vacinação dos trabalhadores

Ainda existem muitas controvérsias sobre a exigência de vacinação de trabalhadores aqui no Brasil.


Efeitos do plano de demissão voluntária na quitação geral do contrato de trabalho

As relações individuais e coletivas produzem efeitos diferentes nas relações de trabalho e, ao que parece, ainda vão ocupar as discussões jurídicas nas questões envolvendo os direitos atingidos no âmbito de cada uma e a adequação instrumental que permita sua compreensão e redução da litigiosidade.


Está proibida a venda de remédios para emagrecer

O Supremo Tribunal Federal derrubou a lei que autorizava a produção, a venda e o consumo de 4 medicamentos para emagrecer: a sibutramina, a anfepramona, o femproporex e o mazindol.


Por que fazer um planejamento previdenciário

O primeiro argumento para convencer você a fazer um planejamento previdenciário é o tempo.


As vantagens (e os perigos) das contratações temporárias

A chegada do fim do ano, com as festas de Natal e do Réveillon, abre a temporada de contratações temporárias no varejo.


Direitos autorais na pichação e no grafite

Você sabe qual é a diferença entre pichação e grafismo? As pichações são as escritas nas fachadas e nos muros, e muito presente nos anos 80 quando ainda não tinha uma lei específica para a prática.


A restituição do dinheiro aos investidores no caso GAS Consultoria

Recentemente, uma ação conjunta entre Ministério Público Federal (MPF) e Polícia Federal denominada Operação KRYPTOS, com ampla cobertura midiática, encerrou as operações da GAS Consultoria, sob acusação dos responsáveis pela empresa supostamente cometerem crimes contra o sistema financeiro nacional.


Stalking: o que você precisa saber

Nas últimas semanas, liderou o Top 10 da Netflix o seriado Você (You), cujo roteiro romantiza a vida de um personagem charmoso e carismático que pratica o denominado “stalking” em pessoas de seu círculo social.


O dilema do reconhecimento da paternidade

O pedido de reconhecimento de paternidade muitas vezes é constrangedor para a mulher e assustador para o homem.