Portal O Debate
Grupo WhatsApp


STJ define situação de bens adquiridos em união estável

STJ define situação de bens adquiridos em união estável

06/01/2006 Da Redação

Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu que os conviventes são condôminos de todos os bens adquiridos na constância da relação.

Em julgamento de recurso especial oriundo de ação de reconhecimento de união estável e respectiva dissolução, em ação de bens e alimentos, o STJ confirmou sentença que julgou procedente, em parte, o pedido para reconhecer a união estável, decretar a dissolução e deferir a meação do patrimônio adquirido na constância da vida em comum na forma do artigo 5º da Lei nº 9.278/96, especificando os bens objeto de partilha.


Antes, o Tribunal de Justiça de São Paulo havia dado provimento, em parte, para excluir da partilha bens que decorreram de investimentos individuais de um dos conviventes, "não se prestando à comunhão, na medida em que com isso estar-se-ia permitindo o enriquecimento indevido de uma pessoa em detrimento da outra".


No STJ, contudo, o relator, Ministro Carlos Alberto Menezes Direito asseverou que, se os bens foram adquiridos durante a convivência e isso não é contestado, aplica-se o artigo 5º da Lei nº 9.278/96, entendendo-se, portanto, que pertencem aos dois e devem ser partilhados por igual. Segundo o Ministro, "os investimentos feitos são considerados comuns, à medida que o acórdão não indicou particularidade capaz de afastar a comunhão, assim, por exemplo, a circunstância de ser decorrentes de bens anteriores à caracterização de união estável".

Fonte: Assessoria de Imprensa do STJ.



A greve dos correios e outras greves: sociedade refém

Destaca-se ainda o fato de que, tal qual ocorre em algumas outras categorias.


MP do Agro facilita o crédito para o agronegócio

Foi publicada no Diário Oficial da União, no dia 02 de outubro de 2019, a Medida Provisória nº 897/2019, denominada “MP do Agro”, que institui o Fundo de Aval Fraterno (FAF).


LGPD para gestores: dúvidas comuns e suas respostas

Algumas incertezas precisam ser esclarecidas com assertividade.


A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) e os contratos de trabalho

A LGPD promete trazer grande impacto às empresas e à população em geral.


A proteção dada pela “Lei Maria da Penha” aos idosos

A violência contra a pessoa idosa no Brasil faz parte de uma realidade triste.


Os direitos dos animais ganham espaço no Judiciário brasileiro

No dia 04 de outubro será comemorado o Dia Mundial dos Animais.


Fim das restrições à publicidade médica?

Lei da Liberdade Econômica tem como objetivo de reduzir a burocracia para empresários, estimular o empreendedorismo e gerar mais empregos.


LGPD no viés trabalhista

Os reflexos da nova Lei de Proteção de Dados na esfera Trabalhista.


Candidatas laranjas: até quando veremos isso no Brasil?

As primeiras eleições foram palco de candidatas “fake”, ou seja, candidaturas que serviram única e exclusivamente para cumprir a exigência legal.


A justiça e a injustiça são antagônicas, não se misturam?

“Há mais coragem em ser justo, parecendo ser injusto, do que injusto para salvaguardar as aparências da Justiça”.


Código Florestal

O emaranhado no direito ambiental brasileiro.


Benefício de auxílio-acidente

Segurado que sofre acidente do trabalho tem direito à indenização de até 50% do salário pago pelo INSS.